Juiz de Fora registra 20 mortes por Covid-19

Com 577 pacientes internados, taxa de UTI do SUS está em 95,71%

por Jorge Júnior - 22/03/2021

Juiz de Fora registrou 20 mortes pela Covid-19 no Boletim da Secretaria de Saúde (SS) desta segunda-feira, 22 de março. Além disso, a cidade teve outro recorde de hospitalizações pela doença, com 577 pessoas internadas em unidades públicas e privadas. 

As vítimas são possuem idade entre 39 e 88 anos.  Os óbitos foram dos dias 16, 19, 20 e 21 de março. A mulher, de 39 anos, não apresentava comorbidades.

Óbito 935 Feminino, 39 anos. Óbito em: 16/03/21 Comorbidades: Sem comorbidades relatadas
Óbito 936 Masculino, 61 anos. Óbito em: 20/03/21 Comorbidades: HAS
Óbito 937 Feminino, 71 anos. Óbito em: 20/03/21 Comorbidades: DM, HAS, Hipotireoidismo
Óbito 938 Feminino, 54 anos. Óbito em: 20/03/21 Comorbidades: DM, Obesidade
Óbito 939 Masculino, 78 anos. Óbito em: 20/03/21 Comorbidades: Síndrome de down, HAS
Óbito 940 Masculino, 64 anos. Óbito em: 21/03/21 Comorbidades: DCC, Ex tabagista
Óbito 941 Masculino, 47 anos. Óbito em: 21/03/21 Comorbidades: Sem comorbidades relatadas
Óbito 942 Feminino, 69 anos. Óbito em: 21/03/21 Comorbidades: DCC, DM, Obesidade
Óbito 943 Masculino, 53 anos. Óbito em: 21/03/21 Comorbidades: Pré diabético
Óbito 944 Masculino, 78 anos. Óbito em: 21/03/21 Comorbidades: DCC, HAS, DAC, HPB
Óbito 945 Masculino, 71 anos. Óbito em: 21/03/21 Comorbidades: DCC, DM, Doença renal crônica
Óbito 946 Masculino, 88 anos. Óbito em: 21/03/21 Comorbidades: Outra pneumopatia crônica, CA próstata
Óbito 947 Masculino, 67 anos. Óbito em: 21/03/21 Comorbidades: DM, Obesidade, HAS
Óbito 948 NATIMORTO - anos. Óbito em: 19/03/21 Comorbidades: Sem comorbidades relatadas
Óbito 949 Masculino, 79 anos. Óbito em: 21/03/21 Comorbidades: DCC, DM
Óbito 950 Masculino, 57 anos. Óbito em: 20/03/21 Comorbidades: Obesidade, HAS
Óbito 951 Feminino, 83 anos. Óbito em: 20/03/21 Comorbidades: Eplepsia, Metastase hepática
Óbito 952 Masculino, 71 anos. Óbito em: 21/03/21 Comorbidades: DCC, HAS
Óbito 953 Feminino, 67 anos. Óbito em: 20/03/21 Comorbidades: Sem comorbidades relatadas
Óbito 954 Feminino, 63 anos. Óbito em: 21/03/21 Comorbidades: DM, HS, DM, AVC

Hospitalização Covid: 577
Ocupação UTI SUS: 89,12%
Ocupação UTI Privado: 101,65%
Ocupação UTI Geral: 93,33%
Leitos ocupados Uti (Covid): 215
Leitos ocupados enfermaria (Covid): 362
Ocupação UTI SUS (Covid): 95,71%
Ocupação enfermaria SUS (Covid): 79,22%

Mais 19 novos leitos

Os 19 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) criados pela Secretaria de Saúde (SS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) estão abertos desde sábado e foram ocupados de imediato. A viabilização de novas vagas não impediu a continuidade do aumento da taxa de ocupação que, nesta segunda-feira, 22, está em 94,29%. Até o início desta tarde, havia 18 pessoas aguardando por uma vaga.

Os dados reafirmam que mais do que a criação de leitos, o isolamento social é a principal medida preventiva no momento. “Cada um deve se conscientizar sobre a necessidade do uso da máscara, da incorporação do hábito de lavar as mãos e permanecer o máximo que puder em isolamento”, declarou a secretária de Saúde, Ana Pimentel.

Dos leitos criados agora, nove estão no Hospital Albert Sabin e dez no Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), antigo HTO. Também estão sendo viabilizados mais 30 leitos de enfermaria para Covid no HSVP.

Além dos leitos que estão sendo criados, a cidade conta com 28 do Hospital Ana Nery; dez no Hospital de Pronto Socorro Mozart Geraldo Teixeira (HPS), mesmo número na Santa Casa e 13 no Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). O Hospital Regional Dr. João Penido, a Maternidade Therezinha de Jesus e o Hospital Monte Sinai possuem 20 cada.

Desde o início do agravamento da pandemia na cidade, a Prefeitura está tentando viabilizar, por meio de todas as estratégias possíveis, a ampliação de leitos e o fornecimento de vacinas, entretanto, tão importante quanto a abertura de novos leitos é o respeito à medida restritiva de lockdown e o distanciamento social a fim de diminuir a taxa de transmissibilidade do vírus, em fase de ascensão.

Entidades médicas se manifestam

Devido à gravidade da pandemia de Covid-19, as entidades Médicas de Juiz de Fora se posicionam através deste manifesto: "Atualmente as cidades de Juiz de Fora e região enfrentam elevadas taxas de ocupação de leitos hospitalares de enfermaria e unidades de terapia intensiva como nunca antes observado ao longo desta pandemia. Com risco iminente de colapso do atendimento e com impossibilidade de continuidade da assistência à saúde dos pacientes infectados por SARSCOV2 em nossa comunidade. Entendendo a ausência de intervenções medicamentosas com ação antiviral que tratem ou previnam o adoecimento por SARSCOV2 ou suas formas graves; Entendendo também que as intervenções de protocolos sanitários como uso de máscaras, álcool, álcool gel e higienização das mãos com água e sabão, primordiais, necessitam mais que somente isto, para serem suficientemente efetivos visando o controle da transmissão viral; Gostaríamos de ressaltar quão imperativa e urgente é a necessidade de, neste momento atual, intensifiquemos as intervenções que, comprovadamente, têm eficácia para controle da transmissão viral: o distanciamento social e a vacinação"

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.