• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde

    Lesão por esforço repetitivo Patologia está relacionada ao trabalho, à prática de esportes e a qualquer atividade que além de repetitiva, exija certo esforço

    Renata Solano
    *Colaboração
    19/10/07

    Mais conhecida como LER (lesão por esforço repetitivo), LTC (Lesão por Trauma Cumulativo) ou, ainda, como DORT (Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho), a patologia representa um conjunto de fatores relacionados ao trabalho, à prática de esportes ou mesmo às atividades cotidianas.

    Desde que os movimentos sejam repetitivos e exijam certo esforço ou, até mesmo, não sejam realizados em condições de ergonomia necessárias, um jogo de tênis, o ato de digitação, ou mesmo a varredura da casa podem ocasionar LER/DORT.

    O ortopedista e médico do trabalho, Eli Araújo Júnior (foto abaixo), diz que deficiências no condicionamento físico da pessoa é também um fator que influencia no desenvolvimento da LER/DORT. "Atrofias musculares e alterações ósseas prévias, como fraturas, por exemplo, podem favorecer o desenvolvimento desse tipo de lesão quando a pessoa com esses sintomas realiza trabalhos de esforço repetitivo", explica.

    Eli acrescenta ainda que as profissões mais sujeitas a adquirir esse problema são as funções civis, a dos metalúrgicos, funções de escritório e setores de informática.

    E, ao contrário do que muitas pessoas acreditam, o problema tem crescido. Se antigamente as secretárias desenvolviam LER/DORT por causa do grande volume de trabalhos em máquinas de escrever, e os empregados de fábricas por causa das atividades imutáveis, como no filme "Tempos Modernos" de Charles Chaplin, hoje, o número de profissões têm ficado ainda maior.

    Foto do médico Eli "Com o desenvolvimento da informática, cada vez mais temos profissões que trabalham com computadores, por exemplo. Assim, o uso excessivo dos membros superiores, principalmente, e postura inadequada ocasionam o crescimento do números de pessoas com lesões osseomusculares", explica Eli.

    A sobrecarga do sistema músculo-esquelético através de trabalhos repetitivos e contínuos é mais comum nos membros superiores, dessa forma, ocasiona dores nos nervos, músculos e tendões de braços, pulsos e ombros.

    Eli fala, inclusive, que é preciso que o empregado comunique ao empregador e ao técnico de segurança e medicina do trabalho situações desconfortáveis e dores percebidas no ato de suas atividades. "A postura adequada do patrão é atuar no sentido de amenizar e, se possível, retirar os riscos", afirma.

    Possíveis causas da LER/DORT
    • ambiente de trabalho inadequado e desconfortável
    • atividades que exijam força excessiva com as mãos
    • postura corporal inadequada e desfavorável às articulações
    • repetição de um mesmo movimento de forma contínua
    • prazos pequenos para realizar determinado trabalho com as mãos, ou membros
    • jornada dupla e serviços domésticos
    • atividades esportivas que exijam grande esforço dos membros superiores e que sejam realizadas de forma excessiva
    • ritmo intenso de trabalho
    • pressão do patrão ou chefe sobre o trabalhador
    • metas de produção crescente e pré-estabelecidas, sem cuidados necessários com a postura e mecanismo de trabalho
    • jornada de trabalho prolongada, gerando estresse e maior esforço dos membros superiores

    Portanto, lembre-se: a LER é um conjunto de fatores que pode evoluir para doenças, como seja tenossinovites, tendinites, epicondilite, bursites, mialgias ou outras.

    Dessa forma, o diagnóstico e o tratamento dos sintomas na fase inicial e de maneira correta, com medicação, fisioterapia, Reeducação Postural Global (RPG), acupuntura e, principalmente, avaliação ergonômica no setor de trabalho para prevenir e evitar o aparecimento da lesão, são essenciais para a cura da LER e, portanto, o não desenvolvimento de doenças mais sérias.

    Exercícios que você pode fazer:
    As dicas de exercícios abaixo são paliativas, retiradas de publicação especializada na área. Dê sempre preferência às orientações prestadas por um médico especialista.




    Alongue as mãos, dedos e punhos
    1. Separe e estique os dedos até sentir a tensão de um alongamento;
    2. Mantenha por dez segundos;
    3. Relaxe, então dobre os dedos nas articulações e mantenha por dez segundos;
    4. Repita o primeiro alongamento mais uma vez.




    Alongue punhos e antebraços
    1. Com os braços esticados, palmas das mãos voltadas para baixo, dobre os punhos e levante as pontas dos dedos;
    2. Mantenha por dez segundos;
    3. Agora dobre os punhos na direção oposta, dedos apontando para baixo;
    4. Mantenha por dez segundos




    Alongue punhos
    1. Entrelace os dedos a sua frente
    2. Gire as mãos e os punhos no sentido horário, dez vezes
    3. Repita no sentido anti-horário dez vezes.




    Alongue punhos e antebraços
    1. Com o braço direito esticado, vire a palma da mão para cima;
    2. Estenda a mão esquerda sob o antebraço e segure o polegar e a parte de dentro da palma;
    3. Com a mão esquerda, lentamente vire a mão direita para fora e para baixo até sentir um alongamento suave;
    4. Mantenha por 5-10 segundos; 5. Repita com o outro braço.





    As dicas de exercícios acima foram retiradas do site: http://www.mundorp.com.br/

    *Renata Solano é estudante de Comunicação Social da UFJF

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.