Estrada Real Rota que integra a Estrada Real pode se transformar em
Patrimônio da Humanidade



26/03/2007

A cidade de Juiz de Fora pode ficar internacionalmente cotada para o turismo, assim como os 177 municípios que integram o circuito da Estrada Real. A possibilidade de transformar o trecho em Patrimônio Histórico da Humanidade está sendo discutida em todo o estado, através de reuniões com as secretarias de turismo das cidades envolvidas.

De acordo com o subsecretário de Turismo da Prefeitura de Juiz de Fora, Ricardo Francisco, será realizado um levantamento dos bens e obras ao longo de toda a Estrada Real. "A reunião dos dados nos dará condições de oferecer novas condições para os turistas, como a localização de pontos específicos, além de criar referênciais de hotéis, serviços e atrativos", avalia.

Para que o trecho seja considerado Patrimônio da Humanidade, o pedido terá que ser encaminhado a UNESCO, pelo diretor do Instituto Estrada Real, Eberhard Hans. Logo após, haverá uma avaliação de todos os quesitos exigidos neste processo.

A turismóloga Daniele Feyo, da subsecretária de Turismo da Prefeitura, acredita que o tombamento pode significar maior representatividade de Juiz de fora no cenário turístico internacional. "Estamos com 50km do Caminho Novo só na cidade, que será referência para a região", considera.

Atualmente a Estrada Real possui 162 cidades em Minas Gerais, oito no Rio de Janeiro e sete em São Paulo. O trecho que corta Juiz de Fora e os municípios da Zona da Mata Mineira é considerado o Caminho Novo.


Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.