Entenda os quatro níveis de energia do cachorro 

Nome do Colunista Lucas Bonoto 20/10/2018

Olá pessoal, nessa coluna vamos falar sobre níveis de energia dos cachorros e como eles interferem no relacionamento entre o dono e o cão. Quando devo chamar um educador canino? Sabia que o ideal seria chamá-lo antes mesmo de ter um peludo!? Como assim?

Irei explicar...

O comportamentalista canino pode lhe auxiliar na hora da escolha do seu peludo, para que seja um cãozinho com o nível de energia ideal para seu estilo de vida. Já que será um companheiro por mais de uma década.

Muitos desvios de comportamento que trabalho poderiam ser evitados se o cão tivesse o nível certo de energia para aquela família (ou lar). Vamos entender melhor? Existem cães com 4 níveis de energia:

  • Energia muito alta: cães extremamente agitados com vários picos de energia ao longo do dia, raramente tiram longos cochilos durante o dia, Sempre dispostos ao exercício e jamais se cansam de correr. Na maioria das vezes são dominantes.
  • Energia alta: cães bastante agitados com alguns picos de energia ao longo do dia, sempre dispostos ao exercício e demoram muito a se cansar, tiram pouquíssimos cochilos por dia. Na maioria das vezes, dominantes.
  • Energia média: cães de agitação moderada, picos de energia quase que só a noite, tiram alguns cochilos ao dia, nem sempre se mostram dispostos ao exercício e não demoram muito a se cansar. Na maioria das vezes são submissos.
  • Energia baixa: cães pouco agitados, quase não apresentam picos de energia, tiram muitos cochilos, pouco se mostram interessados pelo exercício e se cansam rápido. Na maioria das vezes submissos.

O mais importante é que qualquer raça pode apresentar os quatro níveis de energia, até mesmo em uma só ninhada. Não depende de raça.

Imagine uma família que mora numa granja e tem quatro filhos que ficam brincando ao longo do dia, correndo na granja. Pense na frustração dessa família se escolher (por falta de informação) um peludo de energia baixa que mal vai aguentar correr com a criançada pela manhã. O cachorro dessa família precisaria ser de energia alta ou muito alta.

Ao contrário, se um casal de idosos, aposentados, que moram num apartamento pequeno resolvem adotar um cão e esse é de energia muito alta, o casal de idosos não terá condições de drenar a energia desse peludo que terá desvios de comportamento oriundos do acúmulo de energia. O ideal para eles seria um cachorro de energia baixa.

Portanto, se conhecer alguém que está pensando em adquirir um peludo, sugira a consultoria de um comportamentalista canino, a fim de achar a energia certa para o estilo de vida da família, e assim ter um convívio harmonioso para ambas as partes!

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.