• Assinantes
  • Autenticação
  • Tecnologia Segurança na Internet

    Proteja-se dos hackers

    Mude sua senha todo mês
    Os vírus de computador
    Vírus de e-mail não existe
    Os antivírus
    Back Orifice e NetBus

    Mude sua senha todo mês.
    Com este procedimento básico, você está mais protegido de ataques dos “piratas da Rede”, os hackers. Este não é o único segredo que você deve conhecer para garantir um acesso seguro à Internet, mas é o mais importante. Sabendo sua senha, outra pessoa pode ler seus e-mails e roubar o tempo de conexão à Internet pelo qual você paga.

    Procure criar uma senha difícil, que contenha letras maiúsculas e minúsculas, números e outros caracteres do teclado. Evite palavras óbvias como o próprio nome ou números como a data do nascimento. Anote sua senha em um lugar seguro e não divulgue para ninguém, nem mesmo para os administradores do sistema do seu provedor de acesso.

    Uma dica importante é conferir com regularidade sua contabilidade de acesso através do serviço disponível na home-page de seu provedor. No caso de alguma sessão não coincidir com seu controle de uso, faça contato com o provedor imediatamente. (Nos provedores ArtNet e IPS os clientes podem conferir as opções de troca de senha e de contabilidade de acesso na própria home-page de cada um.)

    A nova arma dos hackers são os programas que permitem ao intruso ter total acesso e controle da máquina da vítima, como o NetBus e o Back Orifice. Este é mais um motivo para que você altere constantemente sua senha de acesso. Eles vêm escondidos dentro de arquivos executáveis (.exe, por exemplo) e são instalados no computador sem que o usuário perceba. Quando ativos, podem abrir as portas da máquina e deixar que estranhos roubem informações importantes, como senhas e números de cartão de crédito.

    Os vírus de computador

    Os vírus de computador, há anos atrás, eram transmitidos, principalmente, por disquetes. Com a Internet, os vírus espalharam-se com alta velocidade e facilidade. Pesquisas recentes mostram que cerca de 80% das contaminações ocorrem por meio da Internet ou de redes corporativas, em função de downloads ou de arquivos compartilhados. Arquivos anexados em mensagens de correio eletrônico são uma forma de contaminação constante.

    Cuidado com os “Cavalos de Tróia”: programas aparentemente saudáveis que carregam escondido o código de um vírus. Por exemplo: você faz um download do que pensa ser um jogo, mas quando executa o programa, ele apaga arquivos de seus disco rígido ou captura a sua senha da Internet e a envia por e-mail para outra pessoa.

    Os vírus de macro são a grande praga dos computadores. Eles infectam as macros (códigos executáveis utilizados em processadores de texto como o Word e planilhas de cálculo como o Excel para automatizar tarefas repetitivas) de documentos e podem desabilitar funções corriqueiras dos programas, como Salvar, Fechar e Sair.

    Para quem ainda não sabe, os vírus de computador são programas desenvolvidos para alterar nociva e clandestinamente softwares instalados em um computador. Eles têm comportamento semelhante ao do vírus biológico: multiplicam-se, precisam de um hospedeiro, esperam o momento certo para o ataque e tentam se esconder para não ser exterminados. Estão agrupados em famílias (boot, arquivo e programa), com milhares de variantes.

    Para ativar um vírus, é preciso rodar (executar) o programa infectado. Quando você executa o código do programa infectado, o código do vírus também é executado e tentará infectar outros programas no mesmo computador e em outros computadores conectados a ele por rede.

    Todo o arquivo que contém códigos executáveis podem espalhar vírus (.exe, .sys, .dat, .doc, .xls etc.). Arquivos de dados puros estão seguros. Isso inclui arquivos gráficos, como .bmp, .gif e .jpg, bem como textos em formato .txt. Portanto, apenas olhar arquivos de imagens não provocará a infecção do computador com um vírus.

    Vírus de e-mail não existe

    O que existem são vírus escondidos em programas anexados ao e-mail. Você não infecta seu computador só de ler uma mensagem de correio eletrônico escrita em formato texto (.txt). Mas evite ler o conteúdo de arquivos anexados sem antes certificar-se de que eles estão livres de vírus. Salve-os em um diretório e passe um programa antivírus atualizado. Só depois abra o arquivo.

    Não dê ouvidos para os boatos espalhados por mensagens de correio eletrônico. Os hoaxes, ou vírus social, são boatos que servem para assustar o usuário de computador, mas não representam qualquer risco. São mensagens maldosas que avisam, geralmente, para um novo vírus totalmente destrutivo que está circulando na rede e que infectará o micro do destinatário enquanto a mensagem estiver sendo lida ou quando o usuário clicar em determinada tecla ou link. Quem cria a mensagem hoax normalmente costuma dizer que a informação partiu de uma empresa confíavel, como IBM e Microsoft, e que tal vírus poderá danificar a máquina do usuário.

    Os antivírus

    Os programas antivírus são a melhor arma para prevenir e combater os vírus, mas precisam ser atualizados constantemente. Antes de comprar um ou baixar uma versão da Internet, verifique se o software é certificado pelo ICSA (Internetional Computer Security Association), uma entidade mundial que testa e aprova a qualidade dos softwares antivírus e de outros programas de segurança.

    Na Internet há informações em diversos sites sobre prevenção e proteção. É possível encontrar softwares antivírus gratuitos, suporte on line 24 horas e até diagnóstico à distância. Veja alguns endereços:

    Back Orifice e NetBus

    Criado por hackers para explorar falhas de segurança nos sistemas operacionais Windows, o Back Orifice e o NetBus são uma ameaça a todos os internautas. Não se tratam de vírus, como se chegou a pensar, mas de programas do tipo “Cavalo de Tróia”. Eles permite que um usuário remoto não-autorizado tenha total controle de sua máquina, podendo apagar ou copiar arquivos, ler mensagens de correio eletrônico, reformatar o disco rígido e olhar informações confidenciais armazenadas, como senhas de cartão de crédito ou de acesso à Internet.

    O nome Back Orifice, é um trocadilho com o nome da suíte de programas para escritório Back Office, da Microsoft. Embora a empresa afirme que o programa dos hackers não representa problema para os usuários de seus sistemas operacionais, é sempre bom ter cuidado. Para evitar a contaminação pelo Back Orifice, a melhor medida é não executar programas de origem duvidosa. Os programas antivírus líderes de mercado já receberam atualizações que detectam e eliminam o Back Orifice antes mesmo que ele seja ativado.

    Existem programas escritos especialmente para remover Cavalos de Tróia. Um deles é o Puppet's Cleaner, que pode ser capturado em http://dynamsol.dyn.ml.org/puppet/thecleaner.php. O programa é bastante eficiente, mas se a sua versão de Windows estiver em português, é melhor evitá-lo. Foram reportados conflitos do Puppet's Cleaner com versões do Windows em outros idiomas que não o inglês.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.