Indenização aos moradores Comissão está criada para avaliar as residências demolidas no
Santa Tereza e chegar ao valor da indenização

Priscila Magalhães
Repórter
01/04/2008

Mesmo após o anúncio de que uma comissão havia sido criada para avaliar o valor venal dos imóveis demolidos e interditados no bairro Santa Tereza, os moradores que precisaram sair de suas casas ainda lamentavam. Ana Maria Ricardo morava na rua José Ladeira e se diz angustiada.

"Fico desesperada quando me lembro das coisas que ficaram para trás, porque não tive tempo de tirar", diz. Entre elas, a advogada cita os álbuns de casamento e de formatura e um relógio, a única lembrança que tinha do pai, já falecido. Ela se diz ainda mais angustiada quando lembra o valor da indenização. "Minha casa custava R$ 300 mil e não tenho como provar como ela era e o que eu tinha lá dentro".

Agora, Ana Maria, que está na casa de sua mãe, com a família, vai esperar o resultado das avaliações da Comissão Especial de Avaliação para, depois, pensar no que vai fazer. "Pode ser que eu conteste a avaliação deles, mas se não der resultado também não pretendo entrar na justiça, pois demora anos", diz.

A comissão foi criada na última quinta-feira, 27 de março, e, de acordo com a portaria nº 6279 tem um prazo de 20 dias para finalizar os estudos. O coordenador da comissão, engenheiro Paulo Robisson Marques Ribeiro, diz que os trabalhos já estão adiantados e começaram enquanto a Defesa Civil fazia as vistorias. "O prazo vai ser cumprido", afirma ele.

foto da rua edgard carlos pereira Enquanto isso, o presidente da Associação dos Proprietários e Inquilinos das Casas Interditadas e Demolidas pela Prefeitura, Reinaldo Recepute Freesz, diz que este prazo é curto. "Não acredito que ele seja cumprido".

Um documento foi assinado pelo executivo e vai ser encaminhado à Câmara Municipal de Juiz de Fora para que parte da verba utilizada para a construção do hospital da zona norte seja utilizada na indenização dos moradores. O Prefeito Alberto Bejani acredita que não há motivos para que o legislativo não aprove. Segundo ele, a indenização vai ser paga quando os resultados forem apresentados pela comissão.

A rua José Ladeira vai ser avaliada novamente e até esta quarta-feira, dia 02, os moradores que ainda têm suas casas interditadas vão saber se podem voltar para o local. O casal Natal de Souza Vieira e Noemi de Assis Vieira mora na rua e ainda não está com esperanças de voltar para casa, por enquanto. "Acho que a nossa vai ser uma das últimas a serem liberadas", diz ela, que morava com o marido e mais três pessoas. Todos estão em um hotel.

A presidente da Sociedade Pró-melhoramento (SPM) do Santa Tereza, Rosilene Ferreira Borges, diz que os moradores são todos solidários uns com os outros, o que contribui. "Ainda há muitos móveis guardados nas casas dos vizinhos. Agora, a a nossa preocupação é com as obras de um hospital da vizinhança. Nesta quarta, vamos ter uma reunião com a direção".

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.