Homem de 24 anos é morto no Democrata ap?s brigar com a companheira

Por

Terça-feira, 2 de abril de 2013, atualizada às 09h49

Homem de 24 anos é morto no Democrata após brigar com a companheira

Da Redação
pm

Um homem, de 24 anos, foi morto na noite desta segunda-feira, 1º de abril, na rua Professora Violeta dos Santos, bairro Democrata. A vítima, que, segundo a polícia, já teve envolvimento com drogas, foi morta por um conhecido de sua companheira, após briga doméstica.

Familiares do homem assassinado contaram aos policiais militares que ele teria brigado com a companheira. Em seguida, a mulher, já com seus pertences separados, ligou para uma pessoa, que veio buscá-la de carro. Segundo a mulher, o companheiro se aproximou do veículo, de arma em punho e, por isso, foi baleado pelo motorista.

A princípio, a mulher negou conhecer o autor dos disparos. Mais tarde, confirmou ter vivido por seis meses em companhia deste homem. Ela contou ainda que, junto com homem assassinado, teve de se mudar do bairro Santa Lúcia, onde vivia anteriormente, por causa de ameaças de morte em razão de disputa por venda de drogas.

Pouco tempo depois, a polícia acabou localizando o veículo, registrado em nome de uma mulher, na rua Trieste Trentini, bairro Vale do Ipê. Os policiais foram ao seu encontro, e ela confirmou que o carro estava com seu filho, contando, inclusive, que ele havia feito contato por telefone, explicando que havia matado um homem em legítima defesa, e que havia levado um tiro na perna e outro de raspão no abdômen. Ela contou que ele estaria escondido, aguardando o prazo de 72 horas para, junto de um advogado, se apresentar voluntariamente à Delegacia. Por fim, a mãe confirmou que a companheira do homem assassinado já havia morado em sua casa, que conseguira emprego para ela, mas que a mulher, após alguns meses, abandonou seu filho e voltou para o companheiro, que acabou assassinado.

">
Terça-feira, 2 de abril de 2013, atualizada às 09h49

Homem de 24 anos é morto no Democrata após brigar com a companheira

Da Redação
pm

Um homem, de 24 anos, foi morto na noite desta segunda-feira, 1º de abril, na rua Professora Violeta dos Santos, bairro Democrata. A vítima, que, segundo a polícia, já teve envolvimento com drogas, foi morta por um conhecido de sua companheira, após briga doméstica.

Familiares do homem assassinado contaram aos policiais militares que ele teria brigado com a companheira. Em seguida, a mulher, já com seus pertences separados, ligou para uma pessoa, que veio buscá-la de carro. Segundo a mulher, o companheiro se aproximou do veículo, de arma em punho e, por isso, foi baleado pelo motorista.

A princípio, a mulher negou conhecer o autor dos disparos. Mais tarde, confirmou ter vivido por seis meses em companhia deste homem. Ela contou ainda que, junto com homem assassinado, teve de se mudar do bairro Santa Lúcia, onde vivia anteriormente, por causa de ameaças de morte em razão de disputa por venda de drogas.

Pouco tempo depois, a polícia acabou localizando o veículo, registrado em nome de uma mulher, na rua Trieste Trentini, bairro Vale do Ipê. Os policiais foram ao seu encontro, e ela confirmou que o carro estava com seu filho, contando, inclusive, que ele havia feito contato por telefone, explicando que havia matado um homem em legítima defesa, e que havia levado um tiro na perna e outro de raspão no abdômen. Ela contou que ele estaria escondido, aguardando o prazo de 72 horas para, junto de um advogado, se apresentar voluntariamente à Delegacia. Por fim, a mãe confirmou que a companheira do homem assassinado já havia morado em sua casa, que conseguira emprego para ela, mas que a mulher, após alguns meses, abandonou seu filho e voltou para o companheiro, que acabou assassinado.

Terça-feira, 2 de abril de 2013, atualizada às 09h49

Homem de 24 anos é morto no Democrata após brigar com a companheira

Da Redação

Um homem, de 24 anos, foi morto na noite desta segunda-feira, 1º de abril, na rua Professora Violeta dos Santos, bairro Democrata. A vítima, que, segundo a polícia, já teve envolvimento com drogas, foi morta por um conhecido de sua companheira, após briga doméstica.

Familiares do homem assassinado contaram aos policiais militares que ele teria brigado com a companheira. Em seguida, a mulher, já com seus pertences separados, ligou para uma pessoa, que veio buscá-la de carro. Segundo a mulher, o companheiro se aproximou do veículo, de arma em punho e, por isso, foi baleado pelo motorista.

A princípio, a mulher negou conhecer o autor dos disparos. Mais tarde, confirmou ter vivido por seis meses em companhia deste homem. Ela contou ainda que, junto com homem assassinado, teve de se mudar do bairro Santa Lúcia, onde vivia anteriormente, por causa de ameaças de morte em razão de disputa por venda de drogas.

Pouco tempo depois, a polícia acabou localizando o veículo, registrado em nome de uma mulher, na rua Trieste Trentini, bairro Vale do Ipê. Os policiais foram ao seu encontro, e ela confirmou que o carro estava com seu filho, contando, inclusive, que ele havia feito contato por telefone, explicando que havia matado um homem em legítima defesa, e que havia levado um tiro na perna e outro de raspão no abdômen. Ela contou que ele estaria escondido, aguardando o prazo de 72 horas para, junto de um advogado, se apresentar voluntariamente à Delegacia. Por fim, a mãe confirmou que a companheira do homem assassinado já havia morado em sua casa, que conseguira emprego para ela, mas que a mulher, após alguns meses, abandonou seu filho e voltou para o companheiro, que acabou assassinado.

Últimas Notícias