Quem é Nossa Senhora Aparecida?

Nome do ColunistaDom Gil 17/10/2016

A pergunta parece ter uma resposta óbvia, mas me parece útil refletir sobre o tema. Certamente, mesmo sendo óbvia para muitos, vê-se, por vezes, interpretações não correspondentes à realidade.

Quem é Nossa Senhora Aparecida? É a Mãe de Jesus, representada por pequena imagem negra, encontrada, há trezentos anos, nas águas do Rio Paraíba do Sul, no Norte do Estado de São Paulo. É a Virgem concebida sem o pecado original, pelos méritos não seus, mas de seu divino Filho a quem miraculosamente concebeu por obra do Espírito Santo (Cf. Lc 1, 5-25).

Quem é a Senhora Aparecida? É a Mulher prometida no livro do Gênesis, que haveria de nascer e, por força de sua Descendência (Cristo), esmagar a cabeça da serpente infernal (Cf. Gn 3, 14-15). Se lá nos primórdios a mulher denominada Eva perdeu a graça divina por força do pecado, aqui, na nova e eterna aliança, a Mulher saudada pelo Anjo com o “Ave” é plena da graça, não havendo nela mancha de pecado, pois o Filho que dela nasceu foi chamado Filho do Altíssimo (Cf. Lc 1, 5 – 25).

É a Mulher, Mãe do Salvador, que na festa de casamento em Caná da Galiléia, intercedeu a Jesus em favor da família em apuros, porque faltara vinho para os convidados. Ele, mesmo não tendo chegado a sua hora, saudando-a misticamente com o vocativo “Mulher”, evocando a narrativa promissora do Gênesis, atende o maternal pedido, transformando seiscentos litros de água em vinho de altíssima qualidade (Cf. Jo 2, 1-12). Como não ver neste primeiro sinal de Cristo, a imagem da transformação do estado de pecado da humanidade em estado da graça salvadora? Como não ver em Maria a participação da mulher no projeto divino da redenção?

Quem é Nossa Senhora Aparecida? É a Mãe do Menino Jesus que nasceu miraculosamente na gruta de Belém, a quem os coros celestiais vieram cantar Glória a Deus nas Alturas e paz na terra aos homens de boa vontade (Cf. Lc 1, 18-24).

É a Mãe aflita que, na companhia do santo esposo José, encontra o filho de 12 anos que ficara em Jerusalém discutindo com os doutores e que, voltando para Nazaré, era obediente e submisso a seus pais, enquanto ela conservava tudo em seu coração (Cf. Lc 2, 41-51).

É a Mulher que se encontra no alto do Calvário, no momento da extrema dor de seu Filho, injustamente condenado e moribundo na cruz. Ela é socorro materno, é solidariedade inconfundível, é voluntária participante dos sofrimentos humanos, singular partícipe do mistério da salvação (Cf. Jo 19, 25-27).

É a Mãe do Redentor que no sacrossanto jogo do amor divino-humano é entregue como mãe ao discípulo amado, realizando o milagre da maternidade universal, pois se torna ela mãe de toda a humanidade. Por ela, os seres humanos, além dos afetos desinteressados das mães terrenas, podem receber amor materno sem defeitos só possível a mãe celestial. Misericórdia do Pai!

Quem é Nossa Senhora Aparecida? É a Rainha incomparável do céu e da terra, que à semelhança da Rainha Ester, intermedeia a salvação para seu povo (Cf. Est 5, 1 ss). Formosa filha de Sião, negra e bela da qual nasceram e continuam nascendo misticamente todas as raças, culturas e povos em vista da conversão a Cristo.

É a Mulher vestida de Sol, com coroa de doze estrelas sobre a cabeça, tendo a lua debaixo dos pés, conforme narra o livro do Apocalipse (Cf. Ap 12, 1-12). Ela representa a Igreja geradora perpétua de Cristo na história, sempre ameaçada pelas forças de dragões infernais poderosos que podem arrastar a terça parte das estrelas do céu, mas não podem vencer o poder divino e acabam, inevitavelmente derrotados pela força do Arcanjo Miguel (Quem como Deus!).

Quem é Nossa Senhora Aparecida?

É a única e verdadeira Rainha e Protetora do Brasil que a venera humilde e confiantemente na singela imagem negra que há três séculos vem arrastando as pessoas para Deus, sendo mãe protetora dos que sofrem e intercessora fiel dos que necessitam de graças especiais, mergulhada que está na única mediação de Cristo.

A ela o povo de Deus que peregrina nesta Pátria, caminhando no tempo em busca da eternidade, ofereceu, ao correr da história, um manto com o qual quer honrá-la e sob o qual quer se agasalhar nos momentos de aflição. Pelas mãos da piedosa Princesa Isabel, a primeira mulher a governar o povo brasileiro, ornou-lhe a cabeça com uma linda coroa como gesto de amor incondicional a ela e, através dela, sobretudo de adoração a Deus que a criou e no-la deu por Mãe de misericórdia, esperança nossa, a quem todas as gerações chamarão de bendita!

Dom Gil Antônio Moreira
Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora

Os autores dos artigos assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo dos textos de sua autoria. A opinião dos autores não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Portal ACESSA.com

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.