Sexta-feira, 21 de setembro de 2007, atualizada às 18h45

Procon orienta sobre contas em atraso em função da greve dos correios

Priscila Magalhães
Repórter

A greve dos funcionários dos Correios de Juiz de Fora já acabou, porém em outras cidades do Brasil as agências continuam paradas e muitas correspondências e contas não chegam ao destino a tempo. Segundo a assessoria dos Correios do estado, da carga total de cinco dias de greve, 13% está parada, ou seja, cerca de 150 mil objetos.

A superintendente do Procon de Juiz de Fora, Léa Ganimi, diz que o consumidor tem a responsabilidade de pagar as contas em dia, mesmo que elas cheguem atrasadas. "Os consumidores devem entrar em contato com os credores para garantirem uma outra forma de pagamento. Algumas empresas estão prorrogando os prazos", explica.

Porém, Léa diz que se a empresa não oferecer uma alternativa para o pagamento, o consumidor deve procurar o Procon antes do vencimento da conta para formalizar queixa. "O cliente deve levar uma prova de que entrou em contato com a empresa. Essa prova pode ser o nome da atendente o o número de registro do pedido. Assim, ele paga a conta com a multa de atraso e depois pede o ressarcimento da taxa".

Para o caso de compras pela internet e demora na entrega, a superintendente diz que é responsabilidade da empresa fazer a entrega no período correto. "Se os correios estão em greve, a empresa deve procurar uma outra maneira de entregar o produto. O cliente pode cancelar o pedido se a utilização da mercadoria não for mais conveniente para ele", explica.

Léa acrescentou que essa situação é caracterizada como má prestação de serviço e o consumidor escolhe se aceita a mercadoria em atraso ou não.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.