Ana Paula Ladeira Ana Paula Ladeira 17/05/2014

A audiência mudou.... e a televisão também!

tvMais da metade dos telespectadores assistem à televisão enquanto acessam a internet. E as emissoras estão de olho neles.

A população brasileira nunca esteve tão conectada: segundo último estudo divulgado pelo Ibope, 86% das pessoas tiveram acesso à internet em seu domicílio no final do ano passado. Este amplo acesso está interferindo diretamente no modo de assistir à televisão e já foi mencionado como um dos fatores decisivos para a queda de audiência de algumas emissoras. Segundo o mesmo instituto de pesquisa, 54% das pessoas costumam assistir à televisão enquanto acessam a internet e quase 10% dos internautas já ligaram a televisão ou mudaram de canal em busca do conteúdo comentado na rede.

Sem dúvida, a audiência, hoje em dia, é muito mais dispersa, dividindo sua atenção entre as diversas telas – celular, computador e televisão. Sabendo disso, a maioria das emissoras abertas tem disponibilizado conteúdo para as diversas plataformas e buscado novas formas de interação com seus telespectadores. A Rede Globo, por exemplo, possui uma equipe responsável exclusivamente pela produção de conteúdo transmídia desde 2010, com o objetivo de atrair e reter a atenção deste público. A novela Malhação, que apresenta uma audiência cada dia mais baixa, disponibiliza conteúdo exclusivo para a internet, incluindo blogs e aplicativo para celulares. O resultado é um público telespectador pequeno, mas bastante engajado, que gera alta repercussão na internet sobre aquilo que passa na televisão. As emissoras e anunciantes, é claro, querem saber o que pensam e o que falam estes telespectadores.

Na última semana, o Ibope anunciou que começará a realizar pesquisas de audiência em parceria com o Twitter. Sabendo que 98 % das conversas públicas sobre televisão acontecem por meio deste site de relacionamentos, pretende-se medir qual o engajamento dos telespectadores e observar o impacto do conteúdo transmitido pelas emissoras. Até o final do ano, os tweets passarão a ser monitorados em tempo real, permitindo às emissoras conhecer melhor as preferências de seu público e, assim, oferecer um conteúdo mais condizente com este novo perfil de telespectador.


Ana Paula Ladeira é Jornalista pela Universidade Federal de Juiz de Fora e Doutora em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense. Pesquisa assuntos relacionados especialmente à TV.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.