Paula Medeiros Paula Medeiros 10/12/2010


Você vai conhecer o Homem de Seus Sonhos – Woody Allen traz comédia romântica leve, mas distante de seus clássicos

Cena do filmeQuando se tem um grande diretor por trás de um filme, nada mais justo do que esperar por um grande filme. Acontece que nem sempre isso funciona. Woody Allen é referência quando falamos em cinema de autor, mas já não mostra mais tanto vigor em sua filmografia atual quanto mostrava na década de 70. Allen, que sempre foi conhecido por abordar temas que levam o homem da miséria à glória - não necessariamente nessa ordem –, já não demonstra mais o entusiasmo que tinha de abordar o mesmo tema sob diversas faces.

Você Vai Conhecer o Homem de Seus Sonhos é um filme sobre ironias cotidianas, de "erros de percurso" comuns a todas as pessoas. E é nesse clima que se passa a história do recém-separado casal Alfie (Anthony Hopkins) e Helena (Gemma Jones). Alfie é tomado por um sentimento de juventude latente e pede o divórcio, a fim de tentar viver sua nova fase. Gemma, sem esperanças e motivações para continuar a viver, procura a "vidente" Cristal (Pauline Collins), sem saber que se trata de uma charlatã, com o intuito de descobrir o que o futuro lhe reserva. Enquanto isso, a filha do casal, Sally (Naomi Watts), vive uma vida difícil com o marido, Roy (Josh Brolin), escritor fracassado que vive iludido devido a um único livro de sucesso. Cada um tenta buscar a sua felicidade em outro personagem: Alfie na acompanhante profissional Charmaine (Lucy Punch), Gemma nas falsas previsões de Cristal, Sally no seu chefe Greg (Antonio Banderas) e Roy na vizinha Dia (Freida Pinto).

A comédia romântica aqui instalada não é das mais funcionais. Os diálogos não têm tanta graça e trazem pouco conteúdo, ao contrário do que muitos poderiam pensar ao ver a assinatura de Allen. O elenco foi mal dirigido – o diretor já tem a fama de não ser um bom diretor de atores, esse filme só comprova o que dizem por aí. E mesmo sendo um elenco de peso, as interpretações não conseguem retratar a aura da classe que representam. Aliás, se não ficasse claro por elementos visuais e o sotaque acentuado que o filme se passa em Londres, muitos diriam que ali está representada a classe média nova-iorquina, já explorada em diversos filmes do diretor.

Outro elemento infeliz foi o narrador. Ele surge, introduzindo o filme com uma citação de Shakespeare, desaparece e só retorna na última cena, o que causa estranhamento, pois ao longo do filme ele fica inativo. Até nos esquecemos que em algum momento houve um narrador em terceira pessoa.

Apesar de alguns deslizes – claro, nem tudo é perfeito – Você vai Conhecer... é uma comédia romântica simpática, um filme que demonstra o quão patética, complicada, sem sentido e boba a vida pode ser. E, com certeza, o filme não é uma perda total. Se encararmos o número de lançamentos cinematográficos anuais, veremos que essa comédia é bem melhor do que a produção massiva que chega às salas de cinema. O único fator decepcionante é que aqui estamos falando de Woody Allen e não de um diretor qualquer, por isso a frustração ao ver um filme mediano.

Muito se discute se Woody Allen perdeu a mão para os filmes ou se simplesmente ligou o piloto automático. Fala-se até que vemos seus últimos trabalhos mais por força do hábito do que por sua inspiração e genialidade atuais. Mais por consideração a quem ele foi um dia do que por quem ele é hoje. Mas na verdade não é nada disso. A grande questão é que ficamos mal-acostumados com a sua produção total, que é uma das maiores e melhores de todos os tempos. Sempre houve divergência de opiniões quando o assunto é cinema. Não há como cobrar que um diretor que produz a marca histórica de quase um filme por ano desde 1966, seja uma máquina de fazer clássicos. O que merece mesmo ser discutido é o fato de ele ainda conseguir arrancar risadas e nos fazer refletir sobre temas que, se não fosse por sua mão, já poderiam ter se esgotado há muito tempo.

Ficha Técnica

You Will Meet a Tall Dark Stranger / Você Vai Conhecer o Homem de Seus Sonhos
EUA, Inglaterra e Espanha 2010 - 98 minutos
Comédia
Direção: Woody Allen
Roteiro: Woody Allen
Elenco: Gemma Jones, Naomi Watts, Josh Brolin, Anthony Hopkins, Antonio Banderas, Lucy Punch, Freida Pinto, Pauline Collins, Anna Friel, Roger Ashton-Griffiths



Paula Medeiros
é estudante de Comunicação Social com participação em Projetos Cinematográficos. 

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.