• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    Quarta-feira, 15 de abril de 2009, atualizada às 14h46

    Orquestra Filarmônica de Minas Gerais estreia turnê gratuita
    em Juiz de Fora


    Clecius Campos
    Repórter

    Juiz de Fora recebe na noite da próxima quinta-feira, dia 16 de abril, a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, sob regência do maestro assistente Fabio Costa. É a estreia da turnê 2009 da orquestra, que deve percorrer 15 municípios mineiros ao longo do ano. A partir das 20h, o Cine-Theatro Central abre suas cortinas para a apresentação única e gratuita na cidade. Os convites para o espetáculo estão esgotados. Na sexta-feira, dia 17, a orquestra toca em Cataguases. No sábado, dia 18, é a vez de os moradores de Barbacena apreciarem o espetáculo.

    Segundo Costa, Juiz de Fora foi escolhida para sediar a estreia da turnê por ser uma das grandes cidades de Minas Gerais e por seu envolvimento com a música. "Juiz de Fora é um polo de música de concerto devido ao Festival Internacional de Música Colonial e Música Antiga e às várias escolas que formam instrumentistas." O fato de já conhecer a cidade também ajudou a contar pontos para a escolha. "Nos apresentamos aqui no ano passado e ficamos satisfeitos com o público excelente. Além disso, tocar no Cine-Theatro Central é algo especial. É, sem dúvida, um dos melhores espaços de Minas Gerais, em termos de acústica", diz.

    Além dos dois mil ingressos distribuídos gratuitamente pela Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa), crianças e adolescentes que estudam música na cidade também foram convidadas a prestigiar o evento. Líderes comunitários organizaram grupos de bairros a fim de trazer mais pessoas para assistir o espetáculo. Para Costa, a iniciativa é importante, uma vez que democratiza o acesso à música de concerto. "A música é uma linguagem universal, que fala ao espírito, ao instinto, à natureza humana. Mesmo que não tem formação e informação musical pode ser tocado. O que importa é ter sensibilidade e a intuição."

    O público deverá sentir a vibração e a intensidade das peças que serão executadas. Segundo Costa, o espetáculo será um "verdadeiro banho de energia". "As obras têm um pique alegre, vibrante, com muito ritmo e melodia. Preparamos um show bem para cima, que comunica bem com a plateia." Serão executadas a abertura da ópera Maria Tudor, do brasileiro Antônio Carlos Gomes; Danças Polovtsianas, do compositor russo Aleksandr Borodin; a Sinfonia nº 36 de Mozart e a peça Capriccio Espagnol, do também russo Rimsky-Korsakov.

    A orquestra

    Criada em fevereiro de 2008, a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais é formada por 80 músicos. Regido pelo maestro Fábio Mechetti, o grupo traz no currículo apresentações em turnês estaduais e nacionais, com apresentações nas cidades de Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Campos do Jordão. Participações especiais de músicos reconhecidos internacionalmente aumentam o prestígio da orquestra, que já contou com as presenças do pianista norte-americano Terrence Wilson, do violoncelista Márcio Carneiro, do regente convidado Ira Levin e da soprano lírica Eliane Coelho.

    Os textos são revisados por Madalena Fernandes

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.