Segunda-feira, 13 de setembro de 2010, atualizada às 18h03

Artista de Niterói vence Concurso de Sambas Inéditos e Originais em Miraí

Clecius Campos
Repórter

"Quero ter a liberdade de pedir a Deus que jogue luz em todos os sonhos meus e me dê forças pra cantar e cantar." Os versos de José Carlos Miranda (ao lado, à esquerda), compositor de Angra dos Reis, criaram vida e viraram música na voz do grande campeão do Concurso de Sambas Inéditos e Originais, do II Festival Samba e Botequim de Miraí, Luiz Ferrar (ao lado, à direita).

O cantor, que vive em Niterói, levou os R$ 10 mil por apresentar a canção vitoriosa Liberdade e mais R$ 5 mil ao ser escolhido o melhor intérprete, pela mesma canção e por sua versão de Saudosa Mangueira, de Herivelto Martins. As performances ocorreram no último dia 11 de setembro, no Largo da Rodoviária de Miraí.

As cerca de 20 mil pessoas que prestigiaram os três dias de festival — de 10 a 12 de setembro — viram outros quatro intérpretes e quatro compositores consagrarem-se campeões no segundo, terceiro, quarto e quinto lugares no concurso. O gaúcho Anderson Bueno compôs Menti, em parceria com Edu Tardin, e subiu ao palco para levar o segundo lugar na competição. Gustavo Henrique Pinto, mineiro radicado no Rio de Janeiro, cantou seu Samba Chorado e ficou com a terceira colocação.

O quarto lugar ficou com No auge da solidão, escrito e interpretado por Evandro Luís Mello. O paulista José Carlos da Silva (Kaká Silva) levou o quinto lugar, cantando Da Silva, de sua autoria. O II Festival Samba e Botequim deu prêmio de R$ 2 mil e um troféu para a melhor comida de boteco, a carne bêbada, do Botequim da Apae. O evento da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho distribuiu R$ 26 mil em prêmios.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.