Coral da UFJF homenageia o Dia dos Namorados com “Fruta Boa”

Música de Milton Nascimento e letra de Fernando Brant compara o sabor do amor ao de uma fruta

da Redação - 11/06/2021

O Coral da Universidade Federal de Juiz de Fora (Coral da UFJF), vinculado à Pró-reitoria de Cultura (Procult), em parceria com o Centro de Educação a Distância (Cead), lança nesta sexta-feira, dia 11, às 20h, nas suas redes sociais – YouTubeInstagram Facebook – o vídeo “Fruta Boa”, música de Milton Nascimento e letra de Fernando Brant, com arranjo vocal de Pablo Trindade-Roballo.

Uma novidade que o coro virtual “Fruta Boa” apresenta ao público é a utilização do som binaural (3D), ou seja, uma técnica que cria uma esfera sonora ao redor do ouvinte. Tal efeito, que só funciona quando se usa fones de ouvido, nos permite perceber de onde vem o som, como se o ouvinte estivesse caminhando no meio do coro.

De acordo com a professora da UFJF e maestrina do grupo, Hellem Pimentel, desde o início da pandemia o coro selecionou algumas músicas que já faziam parte do repertório para trabalhar no formato coro virtual. É o caso de “Fruta Boa”, cuja letra compara o sabor do amor ao de uma fruta. “Visando oferecer aos casais apaixonados um presente musical, decidimos lançar o vídeo no Dia dos Namorados.”

Estreando a nova parceria, a equipe do Cead propôs a produção de um lyric video, com diversas mãos escrevendo a bela poesia de Brant como uma carta para o/a  amado/a. Além da equipe do Cead, alguns cantores participaram do projeto desempenhando outras funções, como as funcionárias Michelle Flores e Ana Sukita Macedo, na preparação vocal; o tenor Mateus Maier, na edição de áudio; a contralto Laura Castro, na supervisão das informações; e o baixo Paulo Vitor, no auxílio à edição de imagem; além da soprano Lili da Rocha, à frente do projeto de edição de imagem, que atuou como ponte entre o Coral e o Cead.

De acordo com a pró-reitora de Cultura, Valéria Faria, ações culturais como a do Coral da UFJF são muito importantes. “Mais do que nunca, em tempos difíceis como este que estamos vivendo, precisamos de cultura para nos fortalecer e manter o ânimo positivo. O trabalho do coro é de uma qualidade extraordinária e cada vídeo do grupo nos enche de muito orgulho. A maestrina Hellem e os coralistas estão fazendo um trabalho maravilhoso ao compartilhar essas produções com o público nas plataformas digitais. Essa é uma forma de proporcionar cultura de qualidade em um espectro mais amplo, levando o canto coral a plateias sem fronteiras.”

Aprendendo a cantar no mundo virtual

Uma característica da história do Coral da UFJF é que, ao longo dos seus 55 anos, ele nunca interrompeu suas atividades. Na pandemia, para que as ações do grupo não fossem suspensas, foi preciso muita criatividade e reinvenções. De acordo com a maestrina, a administração das novas e várias funções que surgiram a partir da demanda remota, intensificaram a carga de trabalho e exigiram outras expertises. “Na regência virtual o gestual do regente, como é feito nos coros presenciais, também teve que ser repensado, uma vez que é impossível todos cantarem  juntos e ao mesmo tempo. A forma de produção sonora em conjunto mudou e, com isso, o papel do regente também ganhou outros aspectos.”

Hellem ressalta que, mesmo com todas as transformações, tem sido muito importante continuar cantando junto e vivenciando esse encontro, possibilitado pela música, mesmo que de maneira virtual. Todos os membros do coral tiveram que aprender a usar novas ferramentas tecnológicas. “Com a produção dos coros virtuais, os cantores tiveram que gravar seus próprios áudios, tendo que aprender a lidar com o processo de gravação de forma autônoma e a experiência de ouvir a própria voz gravada, algo até então novo para a maioria dos integrantes, o que também impactou o grupo.”

Aos poucos, o coro foi se familiarizando com as novas práticas e amadurecendo enquanto grupo musical imerso no contexto remoto. Os encontros virtuais semanais, os compromissos com as atividades do coro e a manutenção da prática do canto têm ajudado a manter a sanidade durante a pandemia, como afirmam vários cantores.

Troca de informações e experiências

A troca de informações e experiências entre grupos corais do mundo todo tem sido muito importante na busca de possibilidades para a prática musical coletiva em modo remoto. A produção dos coros virtuais também se mostrou uma boa alternativa enquanto forma de se obter um produto musical, compartilhá-lo com as pessoas, interagir com o público e manter o foco e a energia.

“No Coral da UFJF temos experimentado alguns procedimentos, como encontros semanais, ensaios de naipe e aulas de canto e teoria musical, tudo de forma virtual, via Google Meet.  As gravações, tanto de áudio quanto de vídeo, são feitas individualmente, cada cantor em sua própria casa,  utilizando seu próprio equipamento, como celular, tablet ou notebook. É preciso gravar áudio e vídeo separadamente, para que o áudio tenha mais qualidade de execução e a captação do vídeo nos permita mais possibilidades de movimentos e cenas”, ressalta Hellem.

Responsável pela edição de áudio, Mateus Maier, que é aluno do terceiro período de Composição, foi quem teve a ideia de experimentar o efeito binaural (3D) em “Fruta Boa”. Ele explica como funciona a técnica, que, apesar de antiga, é inédita ao ser aplicada na música coral, com cada voz se movimentando no espaço independentemente uma da outra. 

“O Coral da UFJF é o primeiro coro a usar esta técnica. O tratamento é feito por meio de plugins que simulam a direção da fonte sonora no espaço. Quando você coloca os fones de ouvido, a sensação é de que o som está vindo de uma direção específica. A automação é o que dá a sensação de que o som está se movimentando e o ouvinte tem a sensação do som surround (espacial) usando apenas os dois fones de ouvido.”

O uso de plataformas de edição de som baseadas na nuvem, como o Bandlab e o Soundtrap, e a utilização de drives compartilhados para o envio de arquivos de áudio e de vídeo, são ferramentas importantes para a realização do processo, que inclui, ainda, a disponibilização das partituras e das guias de áudio. Tornou-se necessária, também, a criação de vídeo-partituras para estudo e gravação do repertório. Além disso, a própria apresentação do trabalho e a interação com o público passou a ser feita exclusivamente de forma virtual, por meio das redes sociais.

Outras informações: (32) 2102-3487 (Cead-UFJF)

Cead no Facebook

Twitter @Cead_UFJF


Com informações da Diretoria de Imagem Institucional

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.