• Assinantes
  • Autenticação
  • Direitos Humanos
    matéria em audio

    GEDAE: Grupo Espírita de Ajuda aos Enfermos Três projetos aprovados pelo Estado contribuem para melhorar o atendimento. O Gedae também foi um dos escolhidos, entre 51 instituições do país, para receber recursos do Bill Gates

    Djenane Pimentel
    05/01/2005

    fachada da casa Em face às profundas discriminações que os soropositivos sofreram nos anos 80 e início dos 90, o Grupo Espírita de Assistência aos Enfermos (Gedae) resolveu fundar, em 1989, um centro de recuperação dedicado, principalmente, a portadores do vírus HIV. Apesar disso, a casa recebe também pessoas com outras enfermidades, como câncer, por exemplo. Os doentes vêm não só de Juiz de Fora, mas também de cidades da região, como Muriaé, Leopoldina, Ponte Nova, Viçosa...

    "O centro de recuperação tem o objetivo de dar assistência aos enfermos, tentando levantar o astral do doente, além de fornecer a eles amor fraterno, amparo psicológico, espiritual e melhores condições de vida", informa o diretor-presidente do Gedae, Laércio Rocha.

    A Sede

    fachada da casa A instituição mantém, desde 1996, uma sede própria, chamada de Casa de Apoio Lar de Jesus, localizada no Bairro de Lourdes. O Lar possui, atualmente, 40 leitos, mas, infelizmente, não tem capacidade para abrigar tantos enfermos. "Atendemos de 15 a 18 doentes, pois ainda não temos condições para mais", conta Laércio. Segundo ele, a alimentação, roupa de cama e parte da medicação fica por conta da instituição. "O governo estadual só repassa os medicamentos básicos (do coquetel). Mas existem também as doenças oportunistas, consequência da baixa da imunidade, provocada pelo vírus HIV. Os soropositivos têm muitas destas doenças e somos nós quem temos que comprar os remédios", explica.

    cozinha O espaço ocupado pelo Gedae é grande e conta com quatro amplos quartos, dois para os homens e dois para mulheres; banheiros; salas de convivência, com TV; copa; cozinha; quartos para as crianças; berçário; lavanderia industrial; sala para orações; salas para futuras oficinas de trabalho; varanda; e até um projeto de uma pequena UTI, que não foi desenvolvida ainda devido à necessidade de médicos e enfermeiras durante 24 horas, além de gastos que estão fora do alcance da instituição, no momento.

    De acordo com Laércio, no final de 2003, o Gedae foi uma das instituições agraciadas, dentre outras 51 no Brasil, com recursos da Fundação Bill & Melinda Gates. "O dinheiro veio em ótima hora, porque nos deu oportunidade para reformar a casa, azulejar, colocar piso, aumentar alguns cômodos... hoje a casa está muito mais agradável para se viver", diz.

    Projetos aprovados, vida nova

    cozinheiras preparando refeição Além destas reformas, a comunidade voluntária do Gedae está feliz também por outro motivo. Para 2005, foram aprovados três projetos que irão melhorar ainda mais o atendimento da instituição. "A Secretaria de Estado da Saúde aprovou nossos projetos no Programa Nacional DST-AIDS e, agora, teremos recursos para usar os 40 leitos da instituição", avisa Laércio. Além disso, a instituição também conseguiu recursos para aumentar a equipe que trabalha no Lar e ainda dar continuidade a um projeto interessante, que vai trazer sustentabilidade à casa.

    "Estamos nos reestruturando este ano para, com os novos recursos, conseguirmos angariar mais voluntários, e talvez até contratarmos alguns. Também precisamos dar sustentabilidade à casa", avisa Laércio. Para conseguir isso, o grupo tenta de tudo: bazares, jantares, contribuições de sócios, doações, parceria com a Cemig... Mas o que está animando mesmo a instituição é um broa gostosa que o Grupo está fazendo, e que está sendo vendida a uma média de 150 por semana. "Mas, para 2005, vamos tentar aumentar para 500", conta o diretor, confiante.

    Atendimento às crianças

    quarto O Grupo Espírita pretende também, este ano, aprovar outro projeto para atender às crianças de 0 a 2 anos e adolescentes, filhos de soropositos. "Foi realizado um levantamento junto ao Programa DST-AIDS, onde já foram cadastradas mais de cinquenta crianças", avisa Laércio. Os recursos do governo estadual para este projeto ainda não foram repassados, mas, assim que o forem, o diretor avisa que o próximo passo será contactar as famílias, observar suas necessidades reais e escolher as crianças.

    "Serão atendidas dez crianças internas e 15 crianças externas", explica. As internas ficam na instituição; já as externas são apanhadas em suas casas pela manhã e devolvidas à noite, como numa creche.

    De acordo com Laércio, hoje, os portadores do vírus HIV têm condição de possuírem qualidade de vida bem melhor do que antes, se tomada a medicação correta. "E é isso que a gente tenta fazer aqui no Gedae: tratamos dos pacientes, damos assistência, oferecendo uma estrutura de recuperação, para que ele se reintegre à sua família", informa.

    Doações

    voluntária passando roupa A equipe do Gedae, atualmente, é formada por quatro enfermeiras, uma psicóloga, um médico coordenador e voluntários. Então, pode-se perceber que não é só de doações que o Grupo precisa. Se você quiser ser voluntário, basta entrar em contato com a instituição. O mesmo ocorre para as doações. O Gedae está localizado na Rua Maria Gonçalves Torres, nº 150, no Bairro de Lourdes. O telefone para contato é 3235-1039.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.