• Assinantes
  • Autenticação
  • Direitos Humanos

    Quarta-feira, 23 de janeiro de 2008, atualizada às 11h51

    Número de crianças abandonadas, em JF, é considerado alto. Abandono por incapaz lidera lista


    Priscila Magalhães
    Repórter

    Segundo o conselheiro tutelar e sociólogo Claudinei dos Santos Lima, só no primeiro semestre de 2007 foram mais de 200 casos registrados de crianças abandonadas. O abandono por incapaz engrossa a lista, com 89 casos em toda a cidade. "Em seguida, estão os casos de abandono moral, quando os pais têm relação sexual na presença das crianças, por exemplo, que contabiliza 55 registros. Depois vêm os casos de abandono intelectual, quando deixam de prover escola, com 42, e, em seguida, o de abandono material, quando deixa de prover o sustento, com 34 casos", especifica ele.

    Joana D'arc Garcia de Oliveira também é conselheira em Juiz de Fora e diz que o número é considerado alto. "Estamos em uma cidade onde as pessoas têm condições de viver bem, pois são assistidas. Elas recebem cesta básica, ajuda de programas sociais e escola em tempo integral. Essa situação é lamentável", diz.

    Segundo ela, os pais que abandonam os filhos, geralmente, usam drogas e vivem em conflito familiar. "Quando os pais são separados e a mãe não recebe a pensão alimentícia, ela abandona como forma de mostrar que quer receber a pensão ou abandona para pressionar o pai a voltar.

    A orientação que a conselheira dá, é acionar o Conselho Tutelar em caso de encontrar crianças em situação de abandono. "Se encontrar crianças dentro de casa, ou na rua, ligue para o nosso número ou para o 190, que a polícia nos avisa. Vamos acionar um carro e não deixamos de ir. Se não tiver um parente mais próximo para ficar com a criança, a levamos para o abrigo, mas isso é em último caso", explica.

    Claudinei diz que é necessário saber o paradeiro da família para que a criança possa permanecer junto dela. "Queremos fortalecer a família, então procuramos modificar a situação existente para manter a criança junto dos pais. Se isso não acontecer, tentamos deixá-la com outros membros da família e, em último caso, colocamos no abrigo", ressalta.

    O abandono por incapaz é considerado crime e pode ser classificado como doloso ou culposo. "Às vezes, os pais não têm culpa por abandonar uma criança. Eles têm que trabalhar, não têm onde deixar e os acidentes acontecem. O Conselho é a favor das famílias e não quer punir. Algumas vivem algum drama social, como a pobreza", diz Claudinei.

    Em caso de encontrar crianças abandonadas, procure os Conselhos Tutelares. Em Juiz de Fora são três. O telefone do Conselho Tutelar Leste é o 3690-7390, o do Norte é 3690-7398 e o do Sul é o 3690-7397.



    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.