Terça-feira, 31 de maio de 2011, atualizada às 19h43

Comissão Especial do Idoso propõe a criação de uma Delegacia especializada para atender os idosos

Jorge Júnior
Repórter
idosos

A criação de uma Delegacia especializada para atender os idosos foi proposta nesta terça-feira, 31 de maio, pela Comissão Especial do Idoso. "Temos que seguir os modelos de outras cidades, em que a Delegacia já existe," enfatiza o vereador Isauro Calais (PMN).

A proposta da ampliação do Fórum de Juiz de Fora, com a vara especializada do idoso, como garantem os artigos 70 e 71 do Estatuto do Idoso, também foi apresentada pela Comissão. Outras ações como a criação de um centro de atendimento a idosos vítimas de violência e a implantação de uma clínica de tratamento para dependentes químicos também foram sugeridas na reunião. "Além de agilizar o serviço, essas ações vão ser uma referência para os idosos da cidade," destaca Calais.

Os projetos foram apresentados em decorrência do número de casos de violência contra os idosos. A Polícia Militar mostrou dados registrados ao longo de 2010 e os números referentes aos quatro primeiros meses de 2011 (ver tabela abaixo). "Precisamos capacitar os profissionais da segurança pública e fortalecer a rede para dar mais apoio aos cidadãos", diz a sargento do 4º Batalhão da Polícia Militar, Sandra Oliveira Ramos.

A coordenadora do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Idoso Mulher, Maria Cláudia Siqueira Dutra, apresentou dados da entidade. "Em 2009 foram 212 denúncias registradas, 186 em 2010 e em 2011 já foram contabilizadas 83." De acordo com a percepção dos membros da comissão, a violência acontece no próprio lar e, na maioria das vezes, os autores das ações são os filhos e netos do cidadão.

Casos de violência registrados pela PM
Violências registradas contra os idosos Ano 2010 Ano 2011 (até maio) Total
Vítimas fatais 74 28 102
Lesões leves 559 255 814
Outras lesões 158 71 229
Vítimas de ação criminal cível 2841 1259 4100
Empréstimos consignados

A facilidade dos empréstimos consignados também foi discutida na pauta. "Tem que haver um trabalho em cima das instituições financeiras. A oferta está muito grande, o que acaba estimulando os aposentados a fazerem o empréstimo", diz a representante da Associacão dos Aposentados e Pensionistas das Autarquias do Brasil, Dilva Araújo Porto Leme. "Temos que proibir as propagandas nas ruas, afixar cartazes informativos, porque a maioria dos empréstimos é solicitado pelos netos ou filhos dos aposentados", constata Maria Cláudia.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.