Era do Conhecimento: Informática e Educação


Jungley Torres 15/06/2020

As instituições de ensino não podem, nos dias atuais, deixarem de preparar os alunos para a revolução tecnológica que invade cada vez mais a vida das pessoas. A escola tem que assumir essa realidade tecnológica e trabalhar a inserção do aluno no mundo da informática, visto que o computador é, indubitavelmente, uma ferramenta indispensável no nosso meio; o mercado de trabalho exige e requisita, a todo momento, profissionais cada vez mais preparados para usufruir das novas tecnologias.

Evidenciando o nascimento da Informática educativa, sua origem e aportes teóricos fundamentais de Papert, Piaget, Vygotsky e outros, conseguem estabelecer a relação adequada com a prática escolar cotidiana. O caminho escolhido para tecerem suas considerações é o da formação de dificuldades no processo de aprendizagem. Assim, eles caracterizam os diferentes aspectos do sujeito que aprende, ou “aprendente” biológico, afetivo-social, corporal e cognitivo para definir o aparecimento das dificuldades no processo de aprendizagem.

Nos dias de hoje, que a tecnologia está bem intensificada, ainda mais com os acontecimentos recentes (pandemia), o uso da tecnologia e informática são imprescindíveis para fazer determinadas atividades e até mesmo manter alguns vínculos rotineiros. No ambiente escolar o uso da informática precisa ser uma preocupação de todos os professores que objetivam mostrar com clareza a utilização dela no trabalho em grupo, como uma ferramenta que irá enriquecer o processo de aprendizagem. Assim, o professor poderá observar as dificuldades no processo de aprendizagem do aluno e procurar, concomitantemente, com a equipe escolar, usar os recursos da informática na resolução de tais dificuldades. O mestre deve, então, assumir a postura de facilitador, mediador do processo de ensino.

Neste sentido, a chamada “Era do Conhecimento” exige que a escola fique mais atenta às dificuldades no processo de aprendizagem dos alunos. Não é possível que o aluno perca a competição mundial pelo mercado de trabalho, porque não consegue ler, escrever e calcular ou usar o computador. Porque, também, é excluído da escola, por repetir a mesma série, sem dominar os conteúdos mínimos exigidos. Daí a preocupação da Psicopedagogia na Instituição escolar, que tem como um de seus objetivos principais melhorar as condições de aprendizagem dos alunos, professores e de toda equipe escolar.

Dessa forma, se coloca o desafio no âmbito da educação e escolar, de ajudar a fazer desaparecer o analfabeto no letramento e na tecnologia, que sendo bem conduzida não será um fim em si mesma mas, sim, um meio, um instrumento a ser utilizado na busca constante do conhecimento. Este aspecto, de que a informática educativa é um meio, e mais amplamente, a informática como um todo nas empresas e no mundo em que nos situamos, também é vista como um meio, deve ser ressaltado. Não se trata dos professores e alunos se tornarem “técnicos” em informática, mas, sim, enquanto mediadores do conhecimento, possam auxiliar no processo de conhecimento e tecnológico, pois a tecnologia vem se mostrando, cada vez mais, um pilar fundamental nos dias de hoje.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.