Sexta-feira, 18 de janeiro de 2008, atualizada às 15h31

Cursos de Direito de Juiz de Fora têm qualidade aprovada pela OAB e estão fora das novas determinações do MEC para garantir a qualidade do ensino


Priscila Magalhães
Repórter

O Ministério da Educação (MEC) assinou termos de compromisso para melhorar o ensino em 29 cursos de Direito oferecidos por instituições privadas. Os cursos vão ser fiscalizados e, em um ano, vai haver uma redução de sete mil vagas em todo o país.

Em Juiz de Fora, são oito faculdades que oferecem o curso de Direito para cerca de três mil alunos e, segundo o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-JF), Wagner Parrot, nenhuma delas está incluída na lista do MEC. "As escolas da cidade têm um cuidado muito grande com o curso de Direito, o que podemos perceber pelos resultados do exame da OAB, que têm sido superiores à média".

O Ministério espera melhorar a formação a partir de um número adequado de alunos de Direito. "Houve a abertura, desenfreada, de faculdades de Direito, de forma desproporcional às condições do mercado". Parrot acrescenta que a OAB é totalmente a favor das novas determinações do MEC. "Fiscalizar é o primeiro passo. Vai chegar uma hora que cursos vão ser fechados, pois o aluno estuda, se forma sem saber nada e fica cinco anos agarrado na prova da Ordem, que é a simples averiguação dos seus conhecimentos".

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.