• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação

    UFJF adota novo sistema de cotas do governo federal

    O principal critério para ser cotista é ter estudado os três anos do ensino médio em escola pública

    Andréa Moreira
    Repórter
    22/11/2012
    Coletiva UFJF

    A partir de 2013, a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) irá adotar o novo sistema de cotas para ingresso nos cursos de graduação. O anúncio foi feito no início da tarde desta quinta-feira, 22 de novembro, pelo pró-reitor de graduação, Eduardo Magrone. "O principal critério para que o aluno seja cotista, é ele ter estudado os três anos do ensino médio ou equivalente em escola pública", diz.

    Com o novo método, metade das vagas em cada curso será destinada para os cotistas e, a outra metade, será distribuída entre as pessoas que não se enquadram no sistema ou não desejam participar das cotas. O pró-reitor ressalta que a decisão obedece à lei, decreto e portaria federais e resolução do Conselho Superior da Universidade, e afirma, ainda que é cedo para avaliar se o novo processo irá funcionar. "Infelizmente nenhuma instituição de ensino superior foi chamada para discutir essa proposta. Agora, resta esperar, para ver se este sistema irá funcionar ou se irá apresentar falhas como o anterior," destaca Magrone.

    Grupos

    A UFJF separou o sistema em cinco grupos. O candidato deve escolher, ao fazer a inscrição, para o Vestibular 2013 ou para o Programa de Ingresso Seletivo Misto (Pism), de qual grupo irá participar. (veja o quadro abaixo). O grupo C totaliza 50% das vagas e é destinado para os alunos não cotistas. Os outros 50% são para os estudantes que optaram pelo sistema de cotas, sendo que o grupo A é para as pessoas que possuem renda per capita familiar de até 1,5 salários mínimos, o que corresponde atualmente a R$ 933, e que se declararem preto, pardo ou indígena, de acordo com o levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em Minas Gerais.

    O grupo B terá o mesmo critério socioeconômico, entretanto, para os candidatos que não se declararam pretos, pardos ou indígenas. Os grupos D e E são para os estudantes que fizeram o ensino médio em escola pública independentemente da renda, sendo que o grupo D é para as pessoas que se declararam pretas, pardas ou indígenas, e o grupo E, para as que não se declararam. "O percentual de vagas destinado para pretos, pardos e indígenas, nos grupos A e D, será proporcional ao contingente dessa população em Minas Gerais, conforme levantamento do IBGE. Ou seja, se um candidato do Amazonas quiser fazer o vestibular na UFJF terá que se adequar aos percentuais do IBGE de Minas," acrescenta Magrone. O pró-reitor informa também que o formulário de inscrição dos processos seletivos terá um campo para indicar a raça.

    Esses critérios irão constar nos editais do Pism e do Vestibular 2013, que foram lançados nesta quinta-feira, no site da UFJF. As vagas ofertadas serão para os campi de Juiz de Fora e de Governador Valadares.

    Diferenças

    A instituição já adota o sistema de cotas desde 2006. Até este ano, 50% das vagas eram destinadas a cotistas. Dessa metade, 75% eram reservadas a inscritos que cursaram os quatro anos do ensino fundamental e todo o ensino médio em colégio público. Os outros 25%, eram destinados a estudantes que também atendiam a esse critério de origem, mas se declaravam negros.

    Outra diferença é que antigamente não existia o critério de renda de pardos e indígenas. De acordo com o pró-reitor, a UFJF já estudava a implantação do fator socioeconômico no sistema de cotas então vigente, pois somente o filtro por escola pública não era suficiente. "Sabemos que em muitas escolas públicas existem alunos com a renda per capta elevada, o que tornava este critério, algumas vezes injusto," ressalta Magrone, lembrando que o modelo passará por análises na UFJF, assim como era feito anteriormente, para avaliar os desdobramentos da adoção do novo método.

    Pism

    Ainda durante a coletiva, também foi lançado o edital do Programa de Ingresso Seletivo Misto (Pism) para os campi de Juiz de Fora e Governador Valadares. O documento destaca que o candidato que fizer o Pism III, também poderá participar do Sistema de Seleção Unificado (Sisu), desde que tenha feito o Enem 2012. "Teremos 70% das vagas destinadas para os candidatos que optaram pelo Sisu e os outros 30% para os candidatos do Pism III," explica o diretor da Comissão Permanente de Seleção (Copese), José Maria Pereira Guerra.

    As inscrições para as três modalidades do Pism abrem nesta sexta-feira, 23, a partir das 14h e encerram no dia 15 de dezembro, às 15h. O valor da inscrição é de R$ 85, a qual é pago até o dia 17 de dezembro, somente nas agências do Banco do Brasil.

    As provas do Pism serão realizadas de 20 a 22 de janeiro. Os candidatos que forem fazer o Pism I, além de Juiz de Fora, também terão a oportunidade de realizar as provas nas cidades de Muriaé (MG), Conselheiro Lafaiete (MG) e Volta Redonda (RJ). "Escolhemos estes locais, pois são municípios da área de influência da UFJF," explica Guerra.

    O diretor da Copeve ressalta ainda que o site da UFJF possui o espaço Antenado, que visa solucionar as dúvidas dos candidatos, pais ou professores. "Neste endereço, as pessoas poderão receber mais informações sobre a universidade e Juiz de Fora, e ainda esclarecer alguma dúvida sobre os processos seletivos da UFJF," destaca o diretor.

    O comprovante definitivo de inscrição sairá a partir das 11h do dia 15 de janeiro de 2013, no site da UFJF.

    Quem pode fazer o Pism?

    O Pism I é destinado a candidatos que se enquadram em três situações: matriculados no primeiro ano do ensino médio; na segunda série de curso técnico de duração de quatro anos; na modalidade de Educação de Jovens e Adultos; ou em curso supletivo.

    Só pode se inscrever no módulo II quem está matriculado no segundo ano do ensino médio ou na terceira série de curso técnico, cuja duração seja de quatro anos.

    O módulo III é reservado para candidatos do terceiro ano do ensino médio e da quarta série de curso técnico que dure quatro anos.

    No caso específico dos candidatos que, no período de inscrição nos módulos II e III do Pism, já tiverem concluído o ensino médio, na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA) ou outra modalidade supletiva, será facultada a inscrição.

    Provas de Habilidade Específica

    A prova de habilidade específica para o curso de Arquitetura e Urbanismo irá ocorrer no dia 16 de dezembro, já os candidatos que optarem pelo curso de Música irão realizar a prova entre os dias 16 e 18 de dezembro. O valor da inscrição é de R$ 40.

    A seleção para esses dois cursos será dividida em duas etapas, sendo que a primeira é a prova de habilidade específica e a segunda, a prova do Enem 2012.

    Novo sistema de cotas
                                                                                                                                                                               Os textos são revisados por Juliana França

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.