Lucas Soares Lucas Soares 11/11/2013

O ano mudou para o Flamengo

Torcida do FlamengoAo final de setembro, ponderei sobre as realidades distintas que Flamengo e Cruzeiro enfrentavam em 2013. Dois meses depois, o cenário mudou totalmente. O futebol, novamente, pregou peças naqueles que o acompanhavam seguindo uma lógica. Futebol é ilógico. Fatores externos interferem e muito. E 2013 pode terminar com ambas as equipes sendo campeãs nacionais.

O Cruzeiro já está praticamente garantido como campeão brasileiro. Só um desastre tira o título da Toca da Raposa. E o Flamengo, que figurava na luta contra o rebaixamento no Brasileirão, foi abraçado pela torcida, além de ter sido beneficiado pela saída do covarde Mano Menezes, para entrada do simples e eficaz Jayme de Almeida. Hoje, o meu Flamengo é finalista da Copa do Brasil.

O que explica essa mudança tão repentina de comportamento e de postura do clube em campo? O Flamengo se viu desafiado com a saída de Mano. Ao deixar o clube, após levar uma virada do Atlético-PR, adversário da final da Copa do Brasil, dentro do Maracanã em jogo válido pelo Brasileirão, o antigo treinador pediu o boné. Disse que o time não assimila o que ele entendia de futebol. Deixou o Flamengo à beira da zona de rebaixamento, com um elenco desmoralizado.

Chegou Jayme e a situação mudou. O novo treinador fez os jogadores acreditarem em si. Mais do que nunca, responder que entendem sim de futebol. Colocou cada um em sua respectiva posição, sem inventar muito. A simplicidade deu certo. O Flamengo voltou a vencer no Brasileiro, eliminou o Botafogo com goleada nas quartas de final e venceu os dois jogos contra o Goiás na semifinal da Copa do Brasil. Com risco mínimo de rebaixamento no Brasileirão, o foco é todo na decisão da segunda competição de maior importância do cenário nacional.

Não há nada ganho para o clube do Rio de Janeiro. É favorito pela sua grandeza, por decidir em casa, por ter eliminado o 1º, o 4º e o 5º colocado do Brasileirão. O adversário da final é o atual vice-líder. Vai ser novamente um jogo de superação para os rubro-negros cariocas. E, mesmo que perca, já superou em muito aquilo que era esperado para este ano de reformulação.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

-
Lucas Soares Lucas Soares 11/11/2013

O ano mudou para o Flamengo

Torcida do FlamengoAo final de setembro, ponderei sobre as realidades distintas que Flamengo e Cruzeiro enfrentavam em 2013. Dois meses depois, o cenário mudou totalmente. O futebol, novamente, pregou peças naqueles que o acompanhavam seguindo uma lógica. Futebol é ilógico. Fatores externos interferem e muito. E 2013 pode terminar com ambas as equipes sendo campeãs nacionais.

O Cruzeiro já está praticamente garantido como campeão brasileiro. Só um desastre tira o título da Toca da Raposa. E o Flamengo, que figurava na luta contra o rebaixamento no Brasileirão, foi abraçado pela torcida, além de ter sido beneficiado pela saída do covarde Mano Menezes, para entrada do simples e eficaz Jayme de Almeida. Hoje, o meu Flamengo é finalista da Copa do Brasil.

O que explica essa mudança tão repentina de comportamento e de postura do clube em campo? O Flamengo se viu desafiado com a saída de Mano. Ao deixar o clube, após levar uma virada do Atlético-PR, adversário da final da Copa do Brasil, dentro do Maracanã em jogo válido pelo Brasileirão, o antigo treinador pediu o boné. Disse que o time não assimila o que ele entendia de futebol. Deixou o Flamengo à beira da zona de rebaixamento, com um elenco desmoralizado.

Chegou Jayme e a situação mudou. O novo treinador fez os jogadores acreditarem em si. Mais do que nunca, responder que entendem sim de futebol. Colocou cada um em sua respectiva posição, sem inventar muito. A simplicidade deu certo. O Flamengo voltou a vencer no Brasileiro, eliminou o Botafogo com goleada nas quartas de final e venceu os dois jogos contra o Goiás na semifinal da Copa do Brasil. Com risco mínimo de rebaixamento no Brasileirão, o foco é todo na decisão da segunda competição de maior importância do cenário nacional.

Não há nada ganho para o clube do Rio de Janeiro. É favorito pela sua grandeza, por decidir em casa, por ter eliminado o 1º, o 4º e o 5º colocado do Brasileirão. O adversário da final é o atual vice-líder. Vai ser novamente um jogo de superação para os rubro-negros cariocas. E, mesmo que perca, já superou em muito aquilo que era esperado para este ano de reformulação.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

Lucas Soares Lucas Soares 11/11/2013

O ano mudou para o Flamengo

Torcida do FlamengoAo final de setembro, ponderei sobre as realidades distintas que Flamengo e Cruzeiro enfrentavam em 2013. Dois meses depois, o cenário mudou totalmente. O futebol, novamente, pregou peças naqueles que o acompanhavam seguindo uma lógica. Futebol é ilógico. Fatores externos interferem e muito. E 2013 pode terminar com ambas as equipes sendo campeãs nacionais.

O Cruzeiro já está praticamente garantido como campeão brasileiro. Só um desastre tira o título da Toca da Raposa. E o Flamengo, que figurava na luta contra o rebaixamento no Brasileirão, foi abraçado pela torcida, além de ter sido beneficiado pela saída do covarde Mano Menezes, para entrada do simples e eficaz Jayme de Almeida. Hoje, o meu Flamengo é finalista da Copa do Brasil.

O que explica essa mudança tão repentina de comportamento e de postura do clube em campo? O Flamengo se viu desafiado com a saída de Mano. Ao deixar o clube, após levar uma virada do Atlético-PR, adversário da final da Copa do Brasil, dentro do Maracanã em jogo válido pelo Brasileirão, o antigo treinador pediu o boné. Disse que o time não assimila o que ele entendia de futebol. Deixou o Flamengo à beira da zona de rebaixamento, com um elenco desmoralizado.

Chegou Jayme e a situação mudou. O novo treinador fez os jogadores acreditarem em si. Mais do que nunca, responder que entendem sim de futebol. Colocou cada um em sua respectiva posição, sem inventar muito. A simplicidade deu certo. O Flamengo voltou a vencer no Brasileiro, eliminou o Botafogo com goleada nas quartas de final e venceu os dois jogos contra o Goiás na semifinal da Copa do Brasil. Com risco mínimo de rebaixamento no Brasileirão, o foco é todo na decisão da segunda competição de maior importância do cenário nacional.

Não há nada ganho para o clube do Rio de Janeiro. É favorito pela sua grandeza, por decidir em casa, por ter eliminado o 1º, o 4º e o 5º colocado do Brasileirão. O adversário da final é o atual vice-líder. Vai ser novamente um jogo de superação para os rubro-negros cariocas. E, mesmo que perca, já superou em muito aquilo que era esperado para este ano de reformulação.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.