Lucas Soares Lucas Soares 13/10/2014

A seleção de Dunga já tem forma

Na manhã do último sábado, 11 de outubro, Brasil e Argentina se enfrentaram em Pequim (China) pelo Superclássico das Américas 2014. A vitória canarinha por 2 a 0 sobre a atual vice-campeã do mundo mostra que, aos poucos, nossa equipe vai tomando forma para as Eliminatórias, Copa América e, quem sabe, a próxima Copa do Mundo.

A primeira coisa a se observar é a coerência do Dunga. Não há críticas em suas convocações, seja por parte da imprensa ou de torcedores. Dunga chama aquilo que há de melhor e, mesmo com seguidas lesões de jogadores, mostra sim que nossa safra não era tão ruim quanto pensávamos após o 7 a 1. Temos boas opções e isso pode fazer a diferença.

Claro que isto é apenas o início de um trabalho que pode durar, pelo menos, quatro anos. Esbaldada em Neymar como principal jogador, a Seleção vai construindo vitórias através de uma defesa sólida e de certa individualidade. Se nos dois primeiros jogos marcaram Neymar, de falta, e William, após jogada ensaiada de bola parada, contra os argentinos foi a vez do atleticano Diego Tardelli estufar as redes, duas vezes.

É óbvio que é extremamente cedo para avaliação do que está sendo mostrado até aqui. Foram só três jogos, mas notou-se uma evolução grande do grupo dos primeiros amistosos, nos Estados Unidos. Melhor ainda é ver que os jogadores sabem que não estão garantidos, e correm cada vez mais para manter sua vaga na seleção. O caminho é esse.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

-
Lucas Soares Lucas Soares 13/10/2014

A seleção de Dunga já tem forma

Na manhã do último sábado, 11 de outubro, Brasil e Argentina se enfrentaram em Pequim (China) pelo Superclássico das Américas 2014. A vitória canarinha por 2 a 0 sobre a atual vice-campeã do mundo mostra que, aos poucos, nossa equipe vai tomando forma para as Eliminatórias, Copa América e, quem sabe, a próxima Copa do Mundo.

A primeira coisa a se observar é a coerência do Dunga. Não há críticas em suas convocações, seja por parte da imprensa ou de torcedores. Dunga chama aquilo que há de melhor e, mesmo com seguidas lesões de jogadores, mostra sim que nossa safra não era tão ruim quanto pensávamos após o 7 a 1. Temos boas opções e isso pode fazer a diferença.

Claro que isto é apenas o início de um trabalho que pode durar, pelo menos, quatro anos. Esbaldada em Neymar como principal jogador, a Seleção vai construindo vitórias através de uma defesa sólida e de certa individualidade. Se nos dois primeiros jogos marcaram Neymar, de falta, e William, após jogada ensaiada de bola parada, contra os argentinos foi a vez do atleticano Diego Tardelli estufar as redes, duas vezes.

É óbvio que é extremamente cedo para avaliação do que está sendo mostrado até aqui. Foram só três jogos, mas notou-se uma evolução grande do grupo dos primeiros amistosos, nos Estados Unidos. Melhor ainda é ver que os jogadores sabem que não estão garantidos, e correm cada vez mais para manter sua vaga na seleção. O caminho é esse.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

Lucas Soares Lucas Soares 13/10/2014

A seleção de Dunga já tem forma

Na manhã do último sábado, 11 de outubro, Brasil e Argentina se enfrentaram em Pequim (China) pelo Superclássico das Américas 2014. A vitória canarinha por 2 a 0 sobre a atual vice-campeã do mundo mostra que, aos poucos, nossa equipe vai tomando forma para as Eliminatórias, Copa América e, quem sabe, a próxima Copa do Mundo.

A primeira coisa a se observar é a coerência do Dunga. Não há críticas em suas convocações, seja por parte da imprensa ou de torcedores. Dunga chama aquilo que há de melhor e, mesmo com seguidas lesões de jogadores, mostra sim que nossa safra não era tão ruim quanto pensávamos após o 7 a 1. Temos boas opções e isso pode fazer a diferença.

Claro que isto é apenas o início de um trabalho que pode durar, pelo menos, quatro anos. Esbaldada em Neymar como principal jogador, a Seleção vai construindo vitórias através de uma defesa sólida e de certa individualidade. Se nos dois primeiros jogos marcaram Neymar, de falta, e William, após jogada ensaiada de bola parada, contra os argentinos foi a vez do atleticano Diego Tardelli estufar as redes, duas vezes.

É óbvio que é extremamente cedo para avaliação do que está sendo mostrado até aqui. Foram só três jogos, mas notou-se uma evolução grande do grupo dos primeiros amistosos, nos Estados Unidos. Melhor ainda é ver que os jogadores sabem que não estão garantidos, e correm cada vez mais para manter sua vaga na seleção. O caminho é esse.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.