Lucas Soares Lucas Soares 27/10/2014

Matemágica: o Botafogo cai ou não?

Reta decisiva do campeonato brasileiro é sinônimo de constantes reportagens veiculadas na imprensa sobre as chances matemáticas dos times de terminar no G-4 ou dentro do Z-4. Em 2014 não é diferente. Temos dois personagens que já são famosos por essa turma: os matemáticos Tristão Garcia e Oswald de Souza, ambos realizando trabalhos para vários tipos de veículo de comunicação dando uma série de números que, no fim das contas, não quer dizer absolutamente nada.

É como foram essas pesquisas eleitorais. Se lá no início da campanha era apontado um segundo turno entre Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB), na última pesquisa já deu Dilma e Aécio Neves (PSDB). No decisão, as primeiras pesquisas apontaram o tucano como vencedor, e quem levou mesmo foi a petista.

Esse paralelo com as pesquisas foi apenas para comparar a forma de como isso ilude o torcedor. Em 2013, por exemplo, tinha o Criciúma "matematicamente rebaixado" na 26ª rodada do campeonato! O time se livrou e acabou enfiando o Vasco em seu lugar. É estranho porque, basta duas vitórias seguidas, pra sair da "confusão", como diz Vanderlei Luxemburgo, técnico do Flamengo.

O matemático Tristão Garcia hoje, por exemplo, crava que o Botafogo tem 57% de chances de rebaixamento. A meta, que antes era de 46 pontos, foi para 45. O Glorioso venceu o Flamengo no final de semana e melhorou bastante sua situação. Com 33 pontos, precisa de 12 nos sete jogos restantes. É uma missão complicada, ainda mais quando se olha os adversários: o líder Cruzeiro (Fora), Atlético-PR (Casa), Fluminense, Figueirense (C), Chapecoense (F), Santos (F), Atlético-MG (C). No primeiro turno, o alvinegro venceu três dessas partidas, empatou uma e perdeu outras três, fazendo 47,61% de aproveitamento, o que não seria suficiente, segundo Garcia, para se livrar da Série B. Sabendo da inconstância da equipe botafoguense e da qualidade dos adversários, o foco em pontuar deve ficar nos três jogos em casa, contra os dois Atléticos e o Figueirense, e fazer de tudo para ganhar o clássico contra o Fluminense.

Se o Glorioso atuar nessas partidas finais com a mesma vontade em que entrou contra o Flamengo, pode se safar. A tarefa não é fácil, principalmente porque do outro lado existem times que também tem interesses no campeonato. Fiquem ligados!

Tupi

Uma pena a eliminação do Tupi da Série C. A equipe mostrou um nervosismo incompatível com a situação em que estava vivendo. A lição fica para o próximo ano, em que o clube vai disputar novamente a competição em busca de uma vaga na divisão acima.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

-
Lucas Soares Lucas Soares 27/10/2014

Matemágica: o Botafogo cai ou não?

Reta decisiva do campeonato brasileiro é sinônimo de constantes reportagens veiculadas na imprensa sobre as chances matemáticas dos times de terminar no G-4 ou dentro do Z-4. Em 2014 não é diferente. Temos dois personagens que já são famosos por essa turma: os matemáticos Tristão Garcia e Oswald de Souza, ambos realizando trabalhos para vários tipos de veículo de comunicação dando uma série de números que, no fim das contas, não quer dizer absolutamente nada.

É como foram essas pesquisas eleitorais. Se lá no início da campanha era apontado um segundo turno entre Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB), na última pesquisa já deu Dilma e Aécio Neves (PSDB). No decisão, as primeiras pesquisas apontaram o tucano como vencedor, e quem levou mesmo foi a petista.

Esse paralelo com as pesquisas foi apenas para comparar a forma de como isso ilude o torcedor. Em 2013, por exemplo, tinha o Criciúma "matematicamente rebaixado" na 26ª rodada do campeonato! O time se livrou e acabou enfiando o Vasco em seu lugar. É estranho porque, basta duas vitórias seguidas, pra sair da "confusão", como diz Vanderlei Luxemburgo, técnico do Flamengo.

O matemático Tristão Garcia hoje, por exemplo, crava que o Botafogo tem 57% de chances de rebaixamento. A meta, que antes era de 46 pontos, foi para 45. O Glorioso venceu o Flamengo no final de semana e melhorou bastante sua situação. Com 33 pontos, precisa de 12 nos sete jogos restantes. É uma missão complicada, ainda mais quando se olha os adversários: o líder Cruzeiro (Fora), Atlético-PR (Casa), Fluminense, Figueirense (C), Chapecoense (F), Santos (F), Atlético-MG (C). No primeiro turno, o alvinegro venceu três dessas partidas, empatou uma e perdeu outras três, fazendo 47,61% de aproveitamento, o que não seria suficiente, segundo Garcia, para se livrar da Série B. Sabendo da inconstância da equipe botafoguense e da qualidade dos adversários, o foco em pontuar deve ficar nos três jogos em casa, contra os dois Atléticos e o Figueirense, e fazer de tudo para ganhar o clássico contra o Fluminense.

Se o Glorioso atuar nessas partidas finais com a mesma vontade em que entrou contra o Flamengo, pode se safar. A tarefa não é fácil, principalmente porque do outro lado existem times que também tem interesses no campeonato. Fiquem ligados!

Tupi

Uma pena a eliminação do Tupi da Série C. A equipe mostrou um nervosismo incompatível com a situação em que estava vivendo. A lição fica para o próximo ano, em que o clube vai disputar novamente a competição em busca de uma vaga na divisão acima.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

Lucas Soares Lucas Soares 27/10/2014

Matemágica: o Botafogo cai ou não?

Reta decisiva do campeonato brasileiro é sinônimo de constantes reportagens veiculadas na imprensa sobre as chances matemáticas dos times de terminar no G-4 ou dentro do Z-4. Em 2014 não é diferente. Temos dois personagens que já são famosos por essa turma: os matemáticos Tristão Garcia e Oswald de Souza, ambos realizando trabalhos para vários tipos de veículo de comunicação dando uma série de números que, no fim das contas, não quer dizer absolutamente nada.

É como foram essas pesquisas eleitorais. Se lá no início da campanha era apontado um segundo turno entre Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB), na última pesquisa já deu Dilma e Aécio Neves (PSDB). No decisão, as primeiras pesquisas apontaram o tucano como vencedor, e quem levou mesmo foi a petista.

Esse paralelo com as pesquisas foi apenas para comparar a forma de como isso ilude o torcedor. Em 2013, por exemplo, tinha o Criciúma "matematicamente rebaixado" na 26ª rodada do campeonato! O time se livrou e acabou enfiando o Vasco em seu lugar. É estranho porque, basta duas vitórias seguidas, pra sair da "confusão", como diz Vanderlei Luxemburgo, técnico do Flamengo.

O matemático Tristão Garcia hoje, por exemplo, crava que o Botafogo tem 57% de chances de rebaixamento. A meta, que antes era de 46 pontos, foi para 45. O Glorioso venceu o Flamengo no final de semana e melhorou bastante sua situação. Com 33 pontos, precisa de 12 nos sete jogos restantes. É uma missão complicada, ainda mais quando se olha os adversários: o líder Cruzeiro (Fora), Atlético-PR (Casa), Fluminense, Figueirense (C), Chapecoense (F), Santos (F), Atlético-MG (C). No primeiro turno, o alvinegro venceu três dessas partidas, empatou uma e perdeu outras três, fazendo 47,61% de aproveitamento, o que não seria suficiente, segundo Garcia, para se livrar da Série B. Sabendo da inconstância da equipe botafoguense e da qualidade dos adversários, o foco em pontuar deve ficar nos três jogos em casa, contra os dois Atléticos e o Figueirense, e fazer de tudo para ganhar o clássico contra o Fluminense.

Se o Glorioso atuar nessas partidas finais com a mesma vontade em que entrou contra o Flamengo, pode se safar. A tarefa não é fácil, principalmente porque do outro lado existem times que também tem interesses no campeonato. Fiquem ligados!

Tupi

Uma pena a eliminação do Tupi da Série C. A equipe mostrou um nervosismo incompatível com a situação em que estava vivendo. A lição fica para o próximo ano, em que o clube vai disputar novamente a competição em busca de uma vaga na divisão acima.


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.