• Assinantes
  • Esporte

    Atletas afirmam ganhar incentivo com realização do Pan Além disso, os participantes locais, de outros Estados e países, lembram que o evento é oportunidade de ganho de visibilidade

    Aline Furtado
    Repórter
    27/8/2010

    Idioma da Espanha

    A realização dos Jogos Pan-americanos Escolares, que prosseguem até o próximo domingo, 29 de agosto, em Juiz de Fora, está sendo vista pelos atletas como oportunidade de visibilidade e incentivo ao investimento no esporte. A opinião é partilhada pelos competidores locais, de outros Estados e países.

    Um exemplo são as gêmeas de 14 anos, que defendem o time de vôlei do Brasil II, representado por atletas locais, Tereza Cristina de Almeida Marques e Jaqueline Mara de Almeida Marques.

    As irmãs têm contato com o esporte desde os oito meses de idade, quando começaram a frequentar aulas de natação. Mais tarde, deram início às aulas de balé e, anos depois, passaram a se dedicar a esportes, como futebol, basquete e handebol. "O vôlei veio há cinco anos", contam as gêmeas.

    Fazendo uma análise da participação na competição, Jaqueline reconhece que a equipe local de vôlei precisa melhorar o preparo físico. "Os Jogos estão mostrando que estamos bem tecnicamente, mas a parte física requer cuidados."

    Tereza destaca que a visibilidade proporcionada pelo evento pode trazer reflexos direto na carreira dos atletas. "Infelizmente, falta incentivo ao esporte na cidade. Com os Jogos, as pessoas passam a nos enxergar", destaca a atleta. Ela afirma que pretende sair de Juiz de Fora, pois quer seguir carreira como jogadoras de vôlei e a cidade não tem um time profissional que permita a participação delas, por exemplo, em ligas mundiais.

    Segundo as irmãs, um dos pontos importantes de participar da competição é ter atletas de fora como parâmetro. "O contato nos permite prestar atenção no desempenho dos outros, o que nos ajuda a melhorar aquilo que é deficiente em nós", explicam as gêmeas.

    O representante da delegação da Colômbia no atletismo, Diego Palomeque, destaca que começou cedo no mundo dos esportes. Nos últimos dois anos, os treinos foram intensificados. "É uma entrega, tanto física quanto mental. Mas vale a pena."

    Natação Atletismo
    Exemplo

    Falando com propriedade de adultos, Tereza lembra que o fato de Juiz de Fora sediar os Jogos faz com que crianças e adolescentes que não têm contato com o esporte possam ser incentivados. "A longo prazo, isso pode até contribuir para a redução da violência, já que aquelas crianças que vão assistir às partidas podem se sentir motivadas e iniciar no esporte."

    Em visita, junto com a Escola Estadual Professor Quesnel, ao Complexo Esportivo da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), o estudante Davi Andrade Machado demonstrou empolgação ao assistir à prova de natação. "Dá vontade de aprender a nadar e de ser um campeão."

    Investindo no esporte

    Depois de três meses de preparo, o atleta da modalidade salto em distância, Felipe da Silva Oliveira, representante do Brasil II, afirma ter orgulho da sua participação. "Estou feliz, e sei que preciso me dedicar mais", pondera, ainda sem saber se investe no atletismo ou no futebol. Um dos ganhos apontados pela avó de Felipe, Jandira da Silva Oliveira, depois da prática esportiva, é a desenvoltura. "Ele está mais extrovertido."

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.