Tupi sofre empate aos 44' do 2º tempo, e dá adeus ao sonho de ir às semifinais

Matheus BrumMatheus Brum 3/04/2017

A partida contra o América-MG foi um “mix” do Tupi nas últimas duas temporadas. O tradicional time desorganizado dentro de campo, marca da equipe neste ano, e o “azar”, do ano passado, de sofrer gols nos últimos minutos, deixando escapar pontos preciosos. CR7 fez o quarto dele na competição, em lance, no mínimo, engraçado, e Mike, após falha de Edmário, empatou. 1 a 1 que coloca o Coelho nas semifinais, e tira do Carijó as chances de passar de fase.

O jogo começou morno, com as duas equipes errando diversos passes e não criando grandes chances de gol. A primeira foi apenas aos 15 minutos, e veio do lado visitante. Juninho recebeu em profundidade na esquerda e cruzou. Mike buscou o canto direito de Paulo Henrique, mas a bola foi pra fora.

Seis minutos depois, o lance mais polêmico da partida. Ruan Teles lançou Jajá pela esquerda. O camisa 10 driblou o goleiro, mas, na hora de finalizar, parou com a bola em cima da linha. Quando todos pensavam que ia tocar de calcanhar, Flávio Caça-Rato chutou a bola que estava no pé do próprio colega de time. A jogada levantou uma dúvida, queria Jajá “humilhar” o América-MG? No intervalo, em entrevistas, o jogador disse que não. Que ouviu um zagueiro americano gritar que estava em impedimento, e, para não tomar o cartão amarelo, resolveu não finalizar. Já CR7 disse que chutou por achar que algum zagueiro do Coelho pudesse roubar a bola.

Depois do tento, o alvinegro recuou, dando campo para o clube da capital. Em alguns momentos, chegaram a ter 61% de posse bola. Mesmo com esta vantagem, nenhuma chance clara de gol foi criada. Com isso, os times foram para o vestiário com o gol de CR7 separando as duas equipes no placar.

No segundo tempo, a tônica foi a mesma. O “Fantasma do Mineirão”, abriu mão de jogar, enquanto o América ensaiava uma pressão. Porém, pecava na parte técnica.

Nas poucas chances que criaram, Paulo Henrique apareceu muito bem. O jovem goleiro fez grandes defesas em chutes de Christian e Renan Oliveira, aos 33 e 36 minutos do segundo tempo, respectivamente.

Quando tudo parecia que o alvinegro iria quebrar um jejum de 32 anos sem vitória contra o América-MG, pelo Mineiro, e de sobra, se manter vivo por uma vaga no G-4, o “fantasma” de 2016 apareceu. Aos 44 minutos, Gerson Magrão cruzou da esquerda. Edmário, que vinha fazendo uma excelente partida, não conseguiu cortar. A bola sobrou para Mike, que cara-a-cara com Paulo Henrique, não desperdiçou.

Com o resultado, o Tupi se manteve na oitava colocação, e com o ponto conquistado, chegou a 12, no campeonato. Na próxima rodada, vai até o Triângulo Mineiro, enfrentar o Uberlândia, domingo, às 16h, no Parque do Sabiá. Uma vitória pode colocar o time na Copa do Brasil do ano que vem. Além desta conquista, se terminar em sexto pra cima, o clube tem mais chances de realizar seis partidas dentro de casa, no Campeonato Mineiro de 2018.

Ficha Técnica – Tupi 1 vs 1 América-MG

Gols: Flávio Caça-Rato (TUP), aos 21’ do 1º tempo; Mike (AME), aos 44’ do 2º tempo.

Tupi: Paulo Henrique; Jonathan, Elivelton, Edmário e Bruno Santos; Leandro Ferreira, Marcel Ruan Teles e Jajá (Bruno Paiva); Matheus Pato (Carlos Jr) e Flávio Caça-Rato (Rafael Teixeira). Técnico: Ailton Ferraz

América-MG: João Ricardo; Alex Silva (Marlon), Messias, Rafael Lima e Auro; Juninho, Christian Sávio, Renan Teixeira e Tony (Felipe Amorim); Rubão (Gerson Magrão) e Mike. Técnico: Enderson Moreira

Arbitragem: Marco Aurélio Ferreira, auxiliado por Magno Arantes Lira e Marcyano da Silva Vicente

Público e Renda: 1115 (691 pagantes) / R$13.140,00

-

Tupi sofre empate aos 44' do 2º tempo, e dá adeus ao sonho de ir às semifinais

Matheus BrumMatheus Brum 3/04/2017

A partida contra o América-MG foi um “mix” do Tupi nas últimas duas temporadas. O tradicional time desorganizado dentro de campo, marca da equipe neste ano, e o “azar”, do ano passado, de sofrer gols nos últimos minutos, deixando escapar pontos preciosos. CR7 fez o quarto dele na competição, em lance, no mínimo, engraçado, e Mike, após falha de Edmário, empatou. 1 a 1 que coloca o Coelho nas semifinais, e tira do Carijó as chances de passar de fase.

O jogo começou morno, com as duas equipes errando diversos passes e não criando grandes chances de gol. A primeira foi apenas aos 15 minutos, e veio do lado visitante. Juninho recebeu em profundidade na esquerda e cruzou. Mike buscou o canto direito de Paulo Henrique, mas a bola foi pra fora.

Seis minutos depois, o lance mais polêmico da partida. Ruan Teles lançou Jajá pela esquerda. O camisa 10 driblou o goleiro, mas, na hora de finalizar, parou com a bola em cima da linha. Quando todos pensavam que ia tocar de calcanhar, Flávio Caça-Rato chutou a bola que estava no pé do próprio colega de time. A jogada levantou uma dúvida, queria Jajá “humilhar” o América-MG? No intervalo, em entrevistas, o jogador disse que não. Que ouviu um zagueiro americano gritar que estava em impedimento, e, para não tomar o cartão amarelo, resolveu não finalizar. Já CR7 disse que chutou por achar que algum zagueiro do Coelho pudesse roubar a bola.

Depois do tento, o alvinegro recuou, dando campo para o clube da capital. Em alguns momentos, chegaram a ter 61% de posse bola. Mesmo com esta vantagem, nenhuma chance clara de gol foi criada. Com isso, os times foram para o vestiário com o gol de CR7 separando as duas equipes no placar.

No segundo tempo, a tônica foi a mesma. O “Fantasma do Mineirão”, abriu mão de jogar, enquanto o América ensaiava uma pressão. Porém, pecava na parte técnica.

Nas poucas chances que criaram, Paulo Henrique apareceu muito bem. O jovem goleiro fez grandes defesas em chutes de Christian e Renan Oliveira, aos 33 e 36 minutos do segundo tempo, respectivamente.

Quando tudo parecia que o alvinegro iria quebrar um jejum de 32 anos sem vitória contra o América-MG, pelo Mineiro, e de sobra, se manter vivo por uma vaga no G-4, o “fantasma” de 2016 apareceu. Aos 44 minutos, Gerson Magrão cruzou da esquerda. Edmário, que vinha fazendo uma excelente partida, não conseguiu cortar. A bola sobrou para Mike, que cara-a-cara com Paulo Henrique, não desperdiçou.

Com o resultado, o Tupi se manteve na oitava colocação, e com o ponto conquistado, chegou a 12, no campeonato. Na próxima rodada, vai até o Triângulo Mineiro, enfrentar o Uberlândia, domingo, às 16h, no Parque do Sabiá. Uma vitória pode colocar o time na Copa do Brasil do ano que vem. Além desta conquista, se terminar em sexto pra cima, o clube tem mais chances de realizar seis partidas dentro de casa, no Campeonato Mineiro de 2018.

Ficha Técnica – Tupi 1 vs 1 América-MG

Gols: Flávio Caça-Rato (TUP), aos 21’ do 1º tempo; Mike (AME), aos 44’ do 2º tempo.

Tupi: Paulo Henrique; Jonathan, Elivelton, Edmário e Bruno Santos; Leandro Ferreira, Marcel Ruan Teles e Jajá (Bruno Paiva); Matheus Pato (Carlos Jr) e Flávio Caça-Rato (Rafael Teixeira). Técnico: Ailton Ferraz

América-MG: João Ricardo; Alex Silva (Marlon), Messias, Rafael Lima e Auro; Juninho, Christian Sávio, Renan Teixeira e Tony (Felipe Amorim); Rubão (Gerson Magrão) e Mike. Técnico: Enderson Moreira

Arbitragem: Marco Aurélio Ferreira, auxiliado por Magno Arantes Lira e Marcyano da Silva Vicente

Público e Renda: 1115 (691 pagantes) / R$13.140,00

Tupi sofre empate aos 44' do 2º tempo, e dá adeus ao sonho de ir às semifinais

Matheus BrumMatheus Brum 3/04/2017

A partida contra o América-MG foi um “mix” do Tupi nas últimas duas temporadas. O tradicional time desorganizado dentro de campo, marca da equipe neste ano, e o “azar”, do ano passado, de sofrer gols nos últimos minutos, deixando escapar pontos preciosos. CR7 fez o quarto dele na competição, em lance, no mínimo, engraçado, e Mike, após falha de Edmário, empatou. 1 a 1 que coloca o Coelho nas semifinais, e tira do Carijó as chances de passar de fase.

O jogo começou morno, com as duas equipes errando diversos passes e não criando grandes chances de gol. A primeira foi apenas aos 15 minutos, e veio do lado visitante. Juninho recebeu em profundidade na esquerda e cruzou. Mike buscou o canto direito de Paulo Henrique, mas a bola foi pra fora.

Seis minutos depois, o lance mais polêmico da partida. Ruan Teles lançou Jajá pela esquerda. O camisa 10 driblou o goleiro, mas, na hora de finalizar, parou com a bola em cima da linha. Quando todos pensavam que ia tocar de calcanhar, Flávio Caça-Rato chutou a bola que estava no pé do próprio colega de time. A jogada levantou uma dúvida, queria Jajá “humilhar” o América-MG? No intervalo, em entrevistas, o jogador disse que não. Que ouviu um zagueiro americano gritar que estava em impedimento, e, para não tomar o cartão amarelo, resolveu não finalizar. Já CR7 disse que chutou por achar que algum zagueiro do Coelho pudesse roubar a bola.

Depois do tento, o alvinegro recuou, dando campo para o clube da capital. Em alguns momentos, chegaram a ter 61% de posse bola. Mesmo com esta vantagem, nenhuma chance clara de gol foi criada. Com isso, os times foram para o vestiário com o gol de CR7 separando as duas equipes no placar.

No segundo tempo, a tônica foi a mesma. O “Fantasma do Mineirão”, abriu mão de jogar, enquanto o América ensaiava uma pressão. Porém, pecava na parte técnica.

Nas poucas chances que criaram, Paulo Henrique apareceu muito bem. O jovem goleiro fez grandes defesas em chutes de Christian e Renan Oliveira, aos 33 e 36 minutos do segundo tempo, respectivamente.

Quando tudo parecia que o alvinegro iria quebrar um jejum de 32 anos sem vitória contra o América-MG, pelo Mineiro, e de sobra, se manter vivo por uma vaga no G-4, o “fantasma” de 2016 apareceu. Aos 44 minutos, Gerson Magrão cruzou da esquerda. Edmário, que vinha fazendo uma excelente partida, não conseguiu cortar. A bola sobrou para Mike, que cara-a-cara com Paulo Henrique, não desperdiçou.

Com o resultado, o Tupi se manteve na oitava colocação, e com o ponto conquistado, chegou a 12, no campeonato. Na próxima rodada, vai até o Triângulo Mineiro, enfrentar o Uberlândia, domingo, às 16h, no Parque do Sabiá. Uma vitória pode colocar o time na Copa do Brasil do ano que vem. Além desta conquista, se terminar em sexto pra cima, o clube tem mais chances de realizar seis partidas dentro de casa, no Campeonato Mineiro de 2018.

Ficha Técnica – Tupi 1 vs 1 América-MG

Gols: Flávio Caça-Rato (TUP), aos 21’ do 1º tempo; Mike (AME), aos 44’ do 2º tempo.

Tupi: Paulo Henrique; Jonathan, Elivelton, Edmário e Bruno Santos; Leandro Ferreira, Marcel Ruan Teles e Jajá (Bruno Paiva); Matheus Pato (Carlos Jr) e Flávio Caça-Rato (Rafael Teixeira). Técnico: Ailton Ferraz

América-MG: João Ricardo; Alex Silva (Marlon), Messias, Rafael Lima e Auro; Juninho, Christian Sávio, Renan Teixeira e Tony (Felipe Amorim); Rubão (Gerson Magrão) e Mike. Técnico: Enderson Moreira

Arbitragem: Marco Aurélio Ferreira, auxiliado por Magno Arantes Lira e Marcyano da Silva Vicente

Público e Renda: 1115 (691 pagantes) / R$13.140,00