Gatos

*colaboração
12/09/05

Apesar da maioria das pessoas gostar de animais, às vezes é difícil ter um bichinho de estimação e morar em um apartamento ou uma casa pequena. Por isso, ter um gato pode ser uma boa opção!

Com uma personalidade selvagem e independente, mas ao mesmo tempo doce e afável, os gatos são capazes de conquistar e encantar qualquer pessoa, como se fossem uma obra de arte que ganha vida. O jeito charmoso e leve de andar, balançando sutilmente o rabo, os olhos grandes e brilhantes e as façanhas para tentar pegar um brinquedo fazem com que esse animal ganhe a admiração de todos. Com raça ou vira-lata, o gato é uma boa companhia e merece cuidados.

Ao adquirir ou adotar o animal, a primeira coisa a se fazer é visitar o veterinário para um exame detalhado, vermifugação e vacinação. Além disso, é importante se informar sobre castração e esterilização.

O macho tem instinto de guardião e tenta defender e delimitar seu território com jatos de urina. Para diminuir esse comportamento o mais indicado é a castração quando o animal possui de sete a nove meses e ainda não adquiriu esse hábito. Já as fêmeas, durante o cio, emitem miados característicos, semelhantes ao choro de bebês, para atrair os gatos. Esses sons podem desaparecer por completo depois da esterilização.

Outro cuidado é a alimentação. Segundo a criadora Sônia Nobre (foto ao lado), se a ração não for de boa qualidade, em um período de dois anos os animais podem desenvolver problemas de fígado e cálculo renal. "É preferível gastar um pouco mais comprando uma ração de qualidade e específica para a raça e idade do animal", indica a criadora.

O veterinário Edvaldo Gueiros Filho alerta para um ponto importante: a quantidade de comida. "O problema mais comum com gatos é o excesso de alimento. O proprietário tem que tomar cuidado com a quantidade oferecida e seguir a medida indicada pelo fabricante para que o animal não fique obeso. Se o felino for castrado, a ração deve ser de baixas calorias", explica.

O gato é um animal muito limpo e faz sua "toalete" regularmente, utilizando a língua como se fosse um pente para tirar a poeira, pêlos mortos e outras sujeiras. Apesar disso, é necessário dar um banho no animal uma vez por mês e escová-lo diariamente, principalmente quando possui pêlos longos.

"O ideal é deixar a água morna e usar xampú neutro. Se o animal estiver acostumado, pode-se usar um secador para que não se desenvolvam problemas da pele ou deixá-lo se secar no sol. Todos os dias é preciso escovar o gato para tirar os pêlos mortos, evitar que se formem nós e massagear a pele", explica Sônia.

Além do cuidado com o banho, a criadora ressalta a limpeza dos olhos dos felinos, principalmente de raças com a face achatada, como persas e himalaias. Nessas espécies, as lágrimas que umedecem os olhos não são bem drenadas e tendem a escorrer sobre a parte saliente do focinho, formando uma espécie de remela. Se a limpeza não for feita, a secreção vai se acumulando e pode chegar a ferir o animal quando for retirada.

Desde pequeno o gato pode aprender a fazer suas necessidades em um único local: a liteira, que é uma caixa de plástico com paredes altas e com granulado sanitário dentro. Esse produto é prático e higiênico, já que absorve a urina e reduz o odor. A liteira deve ser limpa sempre e ficar longe do local onde o animal se alimenta.

Clique aqui e saiba sobre a linguagem dos gatos!

*Rita Couto é estudante do quarto período de Comunicação Social da UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.