Rena Conheça mais sobre as ajudantes do Papai Noel

*colaboração
27/12/05

Toda criança já gastou pelo menos alguns minutos imaginando como o Papai Noel faz para entregar todos os presentes em uma única noite e, se não encontrou uma boa explicação, procura a ajuda de alguém mais velho que, quase sempre, responde: "Ele vem em um trenó puxado por oito ou nove renas, que correm muito rápido pelo céu".

Tem pessoas que acreditam no Bom Velhinho, outras que não e até hoje ninguém chegou a uma conclusão. Mas você sabia que as renas existem mesmo?

As renas são mamíferos que vivem na região ártica e que se alimentam com folhas, raízes, cogumelos, musgos e, principalmente, líquens. Pesam cerca de 300 kg e são capazes de percorrer até 150 km por dia para procurar por comida. Podem atingir até 2m e 20cm e viver 15 anos.

A principal característica desses animais é o chifre, que é a continuação dos ossos da cabeça. Tanto o macho quanto a fêmea possuem chifres e sua função é chamar a atenção e servir como "arma" durante as competições. Além disso, como as renas são excelentes nadadoras, ajudam o animal a boiar.

No outono, as renas esfregam os chifre nas árvores para tirar uma película que se forma no verão. Para limpar o pêlo, esses mamíferos contam com a ajuda de pássaros, que comem os parasitas.

Antigamente, o homem comia carne de rena, usava a gordura para produzir luz, bebia o leite e fazia lanças, flechas e ferramentas com os ossos. Mas esse animal não foi domesticado totalmente e ainda hoje pode ser encontrado em grandes bandos fechados na tundra, vegetação composta de líquens e musgos, localizada na Sibéria, na Islândia e nas cadeias montanhosas da Escandinávia, da Lapônia e da Finlândia.

As renas do Papai Noel

A primeira vez que as renas do Papai Noel apareceram foi em 1822, em um poema do americano Clement Clarke Moore. O nome delas é:

  • Corredora
  • Dançarina
  • Empinadora
  • Raposa
  • Cometa
  • Cupido
  • Trovão
  • Relâmpago

A mais famosa de todas acabou surgindo cem anos mais tarde e ficou conhecida como Rudolf, a nona rena. A história foi escrita em 1939 pelo poeta Robert l. May para atrair mais clientes para a loja onde trabalhava.

Rodolf era uma rena desprezada pelas outras porque tinha o nariz vermelho e luminoso. Então, em uma noite de Natal, havia um forte nevoeiro e foi graças a ele, que guiou as outras renas e iluminou o caminho, que o Papai Noel conseguiu entregar os presentes pelo mundo.

*Rita Couto é estudante do quarto período de Comunicação Social da UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.