Skatênis – Tênis de Rodinha Nova onda promete velocidade e diversão para a garotada. Mas é preciso ficar atento aos cuidados e precauções de uso para não "rodar" depois

tenis de rodinha Depois de rodar vários países do mundo, a moda dos tênis de rodinha chegou ao Brasil e está tomando conta da cabeça e dos pés da garotada. Com design de um tênis comum, o diferencial é uma roda de skate acoplada ao solado que permite deslizar-se equilibrando nas rodas fixadas na altura do calcanhar.

Além das ruas, a moda invade os corredores de shoppings e supermercados onde o piso favorece a rolagem e garante a diversão. As vendas, que, começaram depois do dia das crianças segundo os vendedores, cresceram com o Natal e com a volta às aulas - período no qual quase toda criança vai passear em uma loja de sapatos para ganhar um tênis novo.

Tem para menino...tem para menina, de todas as cores e ao gosto do freguês. Aliás, com esse tempo em exposição nas lojas, essa nova mania da garota foi se ganhando até tipo de rodinha diferentes, que dão a possibilidade do mocinho ou mocinha escolher se querem deslizar mais ou menos.

Imagem de uma bolsa dos rebeldes, grupo mexicano que faz sucesso com suas danças

As rodinhas que ficam na parte de baixo do sapato, foram as primeiras a ganhar o público infantil e a aparecerem nas vitrines de Juiz de Fora. Menores, deslizam menos também e acabaram dando espaço para outro tipo de Skatênis, outro jeito que esse acessório é conhecido.

“A moçada viu que o tênis com a rodinha lateral era mais parecido com patins e dava para fazer mais bagunça; aí foi a vez das mães passarem a se render por esse outro modelo do skatênis”, disse Ronalfo Rodrigues, vendedor de uma loja de calçados da cidade.

Como o vendedor mesmo brinca, as crianças e adolescentes são decisivas no momento da compra. Acabam "dobrando" os altinhos para levar o que elas querem, mesmo que no caso do skatênis os pais olhassem meio desconfiados para o produto.

E segundo o ortopedista pediátrico Alessandro Melandra não é para menos. Para ele, as crianças de seis a dez anos que usam o skatênis, estão acabando de amadurecer o andar e o uso do acessório pode atrapalhar esse processo.

O médico explica que o andar envolve duas fases – a de balanço, quando o pé está erguido, e a de apoio, quando está em contato com o solo. Quando a criança usa o skatênis, ela passa a usar como apoio somente a ponta dos pés, estabelecendo um padrão inadequado de andar.

Outro problema apontado pelo ortopedista é que o sapato é um meio de locomoção instável, o que facilita as quedas e possíveis traumas. Para o médico, nos primeiros anos de vida as crianças precisam andar descalças, para fortalecer os pés e ajudar na formação do arco do pé.

Imagem de uma bolsa dos rebeldes, grupo mexicano que faz sucesso com suas danças Para tranqüilizar os pais que já presentearam os filhos, vale uma das vantagens do tênis de rodinha: o lado positivo é fazer com que a criança ou adolescente exercite o equilíbrio, controle e ajude a melhorar a coordenação motora dos membros superiores e inferiores. Isso porque a ‘instabilidade’ que a rodinha proporciona estimula que o usuário busque postura correta e conseqüentemente sustentação para se manter em pé.

Para quem já tem um modelo em casa, segundo Alessandro, vale o bom senso. Nada de extrapolar o uso de, no máximo, duas horas por dia e nem calçar e achar que é campeão de skate ou de ski: devagar para não cair tombos e se machucar depois, hein, galera?

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.