Toxina Botulínica: conhecida como botox
A toxina tipo A é usada para acabar com as rugas faciais, mas também serve para amenizar paralisias musculares

Sílvia Zoche
Repórter
28/06/05

A cirurgiã plástica Édina Márcia Zinato Respeito fala as partes do rosto em que as pessoas mais procuram para aplicar a toxina. Clique no ícone ao lado e ouça!

Ouça!

Foto de
uma imagem desenvolvida pela da Allergan, Inc. de um rosto com vários 
pontos onde se aplica a toxina botulínica tipo A Toxina botulínica tipo A. Você não sabe o que é? Já ouviu falar em Botox? Pois, então! O Botox é a marca americana desta toxina e foi o primeiro a ser liberado para uso estético (em rugas de expressão), por isso é o mais conhecido. Existem, ainda, o Dysport, da Suécia e o Prosigne, de Israel. O Botox, no Brasil, é um nome tão comum, que as mulheres que usam o método são chamadas de "botocadas".

O uso dessa toxina na estética vai desde exterminar por uns tempos as rugas de expressão até diminuir o suor das mãos e axilas. A maioria dos pacientes ainda é mulheres. No consultório da cirurgiã plástica, Édina Márcia Zinato Respeito, por exemplo, a proporção é de 90% de público feminino contra 10% de homens.

A idade inicial recomendada pela médica para aplicação da técnica é de 30 anos. "Eu prefiro receitar cremes. Só quando vejo que há necessidade é que indico a toxina", afirma.

Onde ela pode ser aplicada?
A toxina é aplicada no músculo da face, especificamente na placa motora (nervos do músculo). Ela destrói os brotos que formam a placa, responsável pela contração muscular (leia-se rugas!). A ação começa em dois dias e completa-se no décimo. "Em 60 dias, os brotos começam a nascer, mas não são suficientes para que aconteça contrações musculares", explica a médica. No rosto, os brotos nervosos costumam se regenerar em seis meses. Portanto, não é a atuação da toxina que acaba e sim os nervos que se regeneram por completo e as rugas de expressão voltam.

Locais da face (nervos musculares) em que a toxina é aplicada*

  • Corrugador (olhos - ruga da preocupação)
  • Frontal (testa)
  • Orbicular dos olhos ("pés-de galinha")
  • Elevador do lábio (sorriso aberto, em que a gengiva aparece)
  • Depressor do ângulo da boca (bigode chinês)
  • Mentoniano (queixo contraído)
  • Sobrancelha (levantá-la para ficar arqueada)

    *Veja os pontos marcados na figura acima

  • Como é a aplicação?
    A aplicação é rápida (alguns minutos) e usa-se uma agulha bem fina, a de insulina. Meia hora antes, é passada uma pomada anestésica nos pontos. "Eu marco, em uma folha específica, os pontos da face que receberá a toxina e minha assistente passa a pomada nos pontos indicados", diz Édina. Cada ponto recebe uma gota de 0,1ml. A paciente pode sentir uma leve ardência, mas nada que a incomode.

    Durante as primeiras 24 horas, após a aplicação, não se deve massagear o local, nem passar cremes ou fazer atividade física e, durante as três primeiras horas, não é recomendado deitar. "É que a toxina pode espalhar para locais que não se quer atingir", explica a cirurgiã.

    Pessoas com alergia a ovo (devido a albumina), grávidas e com algum problema de infecção não devem se submeter à técnica.

    Resultado
    O grande receio é de que o resultado fique artificial. Édina diz que pergunta às suas pacientes se acham que ela usa a toxina. "Eu uso há alguns anos. A forma de aplicar o produto é que deixa o aspecto natural", diz.

    Depois de dez dias de aplicação a pessoa pode sentir-se rejuvenescida cerca de cinco anos, desde que a pele não seja flácida. Neste caso, a indicação é fazer uma cirurgia plástica ou aplicar fio russo e, só depois, complementar com a toxina botulínica tipo A.

    Além disso, a auto-estima costuma ir lá para o alto... "Uma paciente me disse que prefere fazer uma aplicação de botox do que um ano de terapia", relata Édina.

    Veja o resultado em alguns pacientes nas fotos abaixo
    clique nas imagens para vê-las ampliadas

    Antes
    Depois

    Antes
    Depois

    Uso além da estética
    O uso da toxina botulínica tipo A começou, em 1991, pela medicina esportiva para contraturas musculares e pela oftalmologia, para estrabismo. Atualmente, a toxina é usada, também, no caso de paralisia facial, ocasionada por cirurgia ou pela idade.

    Pode ser indicada para quem é paraplégico ou tetraplégico, com a finalidade de relaxar os músculos. "Isso ajuda na hora de dar banho, já que os músculos não ficarão contraídos", diz a cirurgiã.

    Também existe o caso de espamo facial (blefaroespasmo), em que os olhos não se abrem por problemas neurológicos e psicológicos. Neste caso, a toxina ajuda a relaxar a musculatura.

    Veja o antes e depois de uma pessoa que usou a toxina
    clique nas imagens para vê-las ampliadas

    Antes
    Depois

    A hiperidrose (suor excessivo nas mãos e axilas) também pode ser tratada com a toxina, que é aplicada nas glândulas sudoríparas. O efeito é um pouco maior do que na face, cerca de dez meses. Nas mãos, a aplicação é mais dolorida e usa-se uma anestesia que bloqueia os nervos, porque a pomada anestésica não é suficiente. Já nas axilas, o uso da pomada é suficiente.

    Quanto custa?
    O preço varia de clínica para clínica, da marca da toxina, e da quantidade de pontos de aplicação que serão feitos. O valor é contado por área e pode variar de R$ 500 a R$ 900.

    As fotos divulgadas nesta matéria foram autorizadas pelos pacientes para serem utilizadas exclusivamente no Portal ACESSA.com. Não está autorizada a veiculação destas imagens em outro local sem autorização prévia

    Conteúdo Recomendado

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.