Próteses artesanais são criadas para resgatar a autoestima de mulheres em tratamento do câncer de mama

Idealizado pela Ascomcer, o Grupo Vitoriosas reúne pacientes submetidas ao procedimento da mastectomia e que confeccionam próteses de seios gratuitamente

Nathália Carvalho
Repórter
25/9/2012
Projeto Vitoriosas da Ascomcer

Com a generosidade e sensibilidade de quem vive ou já passou por um problema como o câncer de mama é que as pacientes do Grupo Vitoriosas ajudam a levantar a autoestima das companheiras. O projeto, que visa confeccionar próteses artesanais de seios para serem usadas pelas pacientes durante e após o tratamento, está acessível, gratuitamente, a qualquer pessoa que se sinta interessada em Juiz de Fora e região.

Iniciado há cerca de quatro anos, as Vitoriosas fazem parte da Associação Feminina de Prevenção e Combate ao Câncer de Juiz de Fora (Ascomcer), e é um grupo formado por mulheres em tratamento. Elas vão até o hospital para receber atendimento psicossocial e realizar exercícios de fisioterapia (foto acima). "O nosso objetivo é trabalhar as sequelas e as dificuldades deixadas pelo câncer nas pacientes. Queremos que elas retornem às atividades normalmente após o tratamento, que refaçam os laços sociais e voltem a trabalhar, com uma boa qualidade de vida", explica a coordenadora do projeto, a psicóloga Ana Karina Porto.

A ideia das próteses

Dentro deste contexto clínico, a maioria das mulheres com diagnóstico de câncer de mama é submetida ao procedimento da mastectomia, ou seja, a retirada completa ou parcial da mama. Ana explica que tal cirurgia costuma afetar o psicológico das pacientes, o que requer atenção e cuidados adequados. "Além dos aspectos físicos, trabalhamos intensamente a questão emocional dessas mulheres, e as próteses se encaixam nesse objetivo", diz.

Próteses artesanais para câncer de mama Segundo ela, a ideia da confecção surgiu em 2010, quando as pacientes participaram da Caminhada da Cura no Rio de Janeiro. A iniciativa é mundial e, a cada ano, uma cidade é escolhida para abrigar o evento. "Foi lá que nosso grupo conheceu uma ONG [Organização não governamental] que fazia este tipo de trabalho. Após a orientação recebida por algumas pacientes que se interessaram, elas aprenderam a técnica e trouxeram para a cidade", conta.

E, desde o início deste ano, a Ascomcer disponibiliza as próteses para todas as pacientes mastectomizadas e que ainda não fizeram a reconstrução mamária de Juiz de Fora e região, independente de realizarem o tratamento na entidade ou não.

As próteses são feitas de malha com preenchimento de isopor e uma pastilha de plástico. Os seios postiços são colocados por dentro do sutiã e, segundo a coordenadora, são fáceis de usar e lavar. "Temos de vários tamanhos diferentes, conforme a necessidade das pacientes. E o volume também varia para que elas não tenham problemas de postura futuros." Para Ana, o principal retorno da iniciativa é a sensação de melhoria física e psicológica causada pelo uso das próteses. "O nome da iniciativa é Autoestima, pois esse é o nosso grande objetivo."

Para participar

Atualmente, o grupo das Vitoriosas é composto por cerca de 25 mulheres, mas a iniciativa das próteses atinge outras pacientes que são atendidas na Ascomcer e se interessam pelo uso. Para aquelas mulheres que tiverem interesse em participar ou obter uma prótese, é necessário entrar em contato com o Departamento de Psicologia e Serviço Social da entidade, de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h. A instituição fica localizada na avenida Presidente Itamar Franco 3500, bairro Cascatinha. O telefone de contato é (32) 3311-4010.

Os textos são revisados por Mariana Benicá

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.