Jussara Haddad Jussara Hadadd 12/04/2008

Acorda, menino!

Ilustração: Laura Martins Ferreira / imagem de uma mulher sensual Nunca vi nada igual. Não há nada que o homem tema mais, que levar uma "galhada" no alto da cabeça, expressão atual para traição. Ficam aterrorizados, petrificados, quase mortos mesmo, diante da possibilidade de um chifre, de uma traição vinda da sua mulher.

Não importa se ele a ama ou a despreza, se a acha bela ou feia, se a relação é nova ou desgastada, enfim se acontece com a mulher dele, a coisa é grave. É inadmissível e imperdoável, mesmo tendo em vista, os motivos que a levaram à traição. Sim, porque via de regra, boa parte das mulheres ainda hoje, precisam de motivos para trair.

Tem aquela turminha que já concebeu tal atitude como procedimento normal, assim como fazem os homens. "Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa". Mas, na maioria das vezes, elas precisam de um bom motivo ou, no mínimo, de um motivinho para trair. E isso é o que os bonitões não deixam faltar em uma relação, principalmente no que tange ao sexo que, hoje em dia, é quesito fundamental para uma relação de qualidade estabelecida pelas mulheres.

Vamos lá, vamos relatar alguns desses motivos:

O bonitão que se acha o poderoso chefão.

Envolveu-se em uma relação estável (casou-se, amigou-se, ficou noivo) com uma linda jovem de boa família que trabalhava fora e era independente. Rendeu-a em sua teia de homem carente e apaixonado de modo que, sem pensar, assim, em um relâmpago mesmo, ela decidiu entregar sua vida por completo.

Ela se dedica integralmente ao companheiro, a casa e à criação dos filhos e ele cada dia mais ocupado, desenvolvido intelectualmente e profissionalmente, completamente absorvente das energias e serviços que ela presta para ele em casa. Uma segunda mãe, vamos dizer assim. E acaba que com mãe não se faz certas coisas, né? Ah, chega um dia que ela não agüenta, é porque tudo tem limite, e de mãezona passa a doidona do lar e daí pra cair nos braços de qualquer um que a faça sentir mulher, desejada e priorizada, não custa nada.

O bonitão que só pensa em trabalhar

Esse é dos piores, porque deixa a moça com uma culpa danada. O coitadinho faz tudo para prover sua amada e a família se esquecendo que as pessoas precisam de muito mais do que somente pão para viver. E como ninguém é de ferro, e nem muito menos ela, enquanto o bonitão só pensar em sair pra trabalhar e sustentar a família em detrimento à felicidade intima do casal, a linda moça, embora assistida em todos os recursos materiais de que necessita, vai à luta em busca da realização das suas fantasias mais ocultas. É, porque para "pai" não se conta tudo!

O bonitão que só pensa nos parentes

Nossa, esse é terrível. Trabalha, estuda, vê TV, joga bola e quando tem um feriado, ou um final de semana livre para curtirem a dois o bonitão quer ir visitar o papai e a mamãe, os cunhados, as irmãs e a parentalha toda. Qualquer mulher que não comungue com este tipo de pensamento, (sim, porque têm muitas assim também), fica irada e sua mente gira em torno das mais loucas idéias de realização neste sentido. O quê, se ela não tomar cuidado, se realiza. Tem muito homem interessante e com o cordão umbilical cortadinho, dando sopa por aí.

O bonitão que se acha perfeito

Quinze anos já se passaram desde que tudo começou, ele já engordou 20 kg, tem uma barriguinha daquelas, uma preguiça fenomenal e uma moleza descomunal. Só pensa em comer (comida) e dormir. Dormir, quando não tem futebol e nem alguma baboseira na televisão pra assistir, deixando sempre para o dia seguinte um momento mais gostosinho para os dois. Aí ela passa pela praia e vê que existe vida fora daquela mornidão e é aí que mora o perigo.

O bonitão que é surdo, cego e mudo

Como é difícil para uma mulher cheia de energia e disposição, vaidosa, cuidadosa, cheirosa, gostosa, fogosa e tudo o que os amantes de plantão estão doidos pra encontrar, conviver com um sujeito que finge que ela não existe. Os anos passam e o corpo dela continua lindo. Nenhum elogio ele faz. Ela está sempre comprando roupinhas provocantes, e o danado se fazendo de cego. Ela cheia de fantasias, sempre convidativa, cheia de propostas para uma vida a dois mais quente e o boneco, surdo como uma porta.

E o pior, é quando eles têm em casa uma mulher dessa qualidade e se acham no direito de buscar aventuras na rua. Existem muitos desses, podem acreditar.

Ah, fica muito difícil de agüentar mesmo, e aí, o jeito é partir pra ser feliz de qualquer jeito. Quem não tem cão caça com gato, no melhor sentido da palavra.

Estes são só alguns dos motivos dentre os inúmeros que encontramos e ouvimos freqüentemente para justificar a traição feminina.

Ponto de vista: Ainda assim, mesmo sendo desprezada e relegada a último plano na vida do cidadão, quando a mulher é legal, sensata e com tudo em cima, mesmo assim, ainda acho que a melhor solução para esta solidão imposta dentro da relação deva ser, no caso de ser temporária, a elegância de se bastar cuidando do próprio corpo, se acariciando e buscando o prazer sozinha, além de complementar com outras atividades que a realize. E quando a coisa não tem jeito mesmo e ficar constatado que o rapaz é e será pra sempre assim, partir pra outra, mas depois de resolver a situação atual. Traição é algo que, no caso das mulheres, é sempre muito difícil de administrar.

Use a cabeça!


Clique aqui e mande sua sugestão sobre esta coluna

Jussara Hadadd é terapeuta holística,
especializada em sexualidade
Saiba mais, clicando aqui!

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.