Artigo
Competências
Uma bússola para sua carreira
::: 17/09/2002

Trataremos neste artigo de uma questão muito importante para empresas e profissionais de hoje - iremos nos ater ao aspecto pessoal e não organizacional. Vamos abordar o tema competências. Mais especificamente iremos buscar definir e identificar o termo, no sentido de características individuais que levam a resultados. Identificar as competências e avaliar sua interferência construtiva ou restritiva em seu desempenho é fundamental para o controle e direcionamento da carreira de qualquer profissional.

Mais do que o conceito antigo de domínio de conhecimentos que garantem um melhor resultado, a competência passou a ser definida como “a aplicação de um ou mais dos requisitos de conhecimentos, experiências, aptidões, habilidades, motivos, interesses, etc., com obtenção de resultados práticos” (Ênio Resende). Ou seja, no atual contexto, competências são “repertórios de comportamentos que algumas pessoas dominam melhor que outras, o que as faz eficaz em uma determinada situação.” (Levy-Leboyer Apud Gramigna).

Por isso, é necessário que saibamos quais os principais itens que nos levarão aos resultados que esperamos ou que esperam de nós. Com a identificação das competências você tomará decisões com a certeza de resultados, pois estará levando em conta todas as variáveis que interferem no seu desempenho.

Mas quais são as principais competências que devo levar em conta? Na verdade, cada cargo ou função tem um conjunto de competências mais relevantes à atuação do ocupante, o que está diretamente relacionado aos resultados esperados intrínsecos à sua atuação. Para exemplificarmos isso usaremos como referência um cargo de supervisor. Como ponto de partida usaremos As Dezesseis Competências Referenciais de McCauley para funções de liderança, conforme o quadro de Rita Gramigna:

  1. Ser uma pessoa de muitos recursos: saber adaptar-se a mudanças e situações ambíguas, ser capaz de pensar estrategicamente e tomar decisões acertadas mediante pressão; liderar sistemas de trabalho complexos e adotar condutas flexíveis na resolução de problemas; capacidade de trabalhar eficazmente com os superiores em problemas complexos de gestão.
  2. Fazer o que sabe: perseverar e se concentrar mediante obstáculos, assumir, saber o que é necessário e seguir adiante; ser capaz de trabalhar só e também aprender com os demais, em caso de necessidade.
  3. Aprender depressa: dominar rapidamente novas tecnologias.
  4. Ter espírito de decisão: atuar com rapidez de forma aproximativa e com precisão.
  5. Administrar equipes com eficácia: delegar eficazmente, ampliar oportunidades e demonstrar justiça ante seus feitos.
  6. Criar um clima propício ao desenvolvimento: ampliar os desafios e as oportunidades para criar um clima que favoreça o desenvolvimento de sua equipe.
  7. Saber lidar com colaboradores quando apresentam problemas: agir com decisão e equidade quando tratar colaboradores com problemas.
  8. Estar orientado para o trabalho em equipe.
  9. Formar uma equipe de talentos: investir no desenvolvimento do potencial de seus colaboradores, identificando e oferecendo novos desafios e responsabilidade compartilhada.
  10. Estabelecer boas relações na empresa: saber como estabelecer boas relações no trabalho, negociar quando houver problemas, conseguir cooperação.
  11. Ter sensibilidade: demonstrar interesse pelos demais e sensibilidade ante as necessidades de seus colaboradores.
  12. Enfrentar os desafios com tranqüilidade: apresentar atitude firme, contrapor com base em dados, evitar censurar os outros pelos erros cometidos, ser capaz de sair de situações constrangedoras.
  13. Manter o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal: estabelecer prioridades na vida profissional e pessoal de forma harmoniosa.
  14. Auto-conhecer-se: ter a idéia exata de seus pontos fracos e fortes e estar disposto a investir em si mesmo.
  15. Apresentar bom relacionamento: manifestar-se afável e dar mostras de bom humor.
  16. Atuar com flexibilidade: capacidade para adotar comportamentos que, a princípio, podem parecer opostos – exercer liderança e deixar-se liderar, opinar e aceitar opiniões dos demais, etc.
Com isso, devemos ir um pouco mais além, compreendendo que as competências devem abranger três pontos:
  • conhecimentos necessários (cursos e treinamentos que tenha feito);
  • habilidades exigidas (saber fazer, utilizar os conhecimentos adquiridos);
  • atitudes esperadas (comportamentos pertinentes à sua atuação).
Esses pontos são observáveis na atuação diária do profissional ou em situações criadas especificamente para sua avaliação, tais como recrutamento e seleção, provas situacionais, entre outros. Como exemplo, para melhor compreendermos esses desdobramentos vamos citar a função de consultor da Consultoria de Talentos. Visto que esta pessoa atuará em consultoria e assessoria institucional, e também na instrutoria, organização e condução de eventos, temos que, para o bom desempenho de suas funções, as competências requeridas são:

1 - Conhecimentos

  • Técnicas de Comunicação
  • Conceitos e Técnicas de Dinâmica de Grupo
  • Recrutamento e Seleção
  • Treinamento e Desenvolvimento
  • Cerimonial e Eventos
  • Orçamento aplicado a eventos
  • Sistemas e processos de consultoria
  • Técnicas de negociação
  • Técnicas de instrutoria
  • Técnicas pedagógicas aplicadas à empresa
  • Informática básica (Windows e Office).
2 - Habilidades
  • Condução de Grupo
  • Liderança
  • Fluência Verbal
  • Postura (Expressão Corporal)
  • Bom negociador
  • Criatividade
3 - Atitudes
  • Flexibilidade
  • Responsabilidade
  • Iniciativa
  • Ética
  • Franqueza
  • Proatividade
  • Acertividade
Identificando as competências mais importantes à nossa atuação, podemos avaliar como estamos em relação a cada uma delas. Como a nossa proposta nesse artigo é a identificação das competências ficaremos por aqui, a questão da avaliação fica para os próximos artigos. Com isto, até lá, vá definindo as principais competências necessárias à sua função e sues desdobramentos. No próximo artigo veremos como avaliá-las e o que fazer a partir desta avaliação.

Lembre-se: Não espere. Faça melhorar! Sucesso.


Eduardo Santos é psicólogo e consultor
formado pelo Centro de Ensino Superior
de Juiz de Fora e Pós-Graduado em Consultoria em RH.
Saiba mais clicando aqui.

Mande sua pergunta,
esclareça sua dúvida sobre mercado de trabalho com
o consultor Eduardo Santos.



Conteúdo Recomendado