Série MEI - Formação de preço de produtos e serviços

por Leandro Bitencourt Albino - 14/04/2021

Caros leitores, espero que todos estejam bem! Em nossa última coluna tratamos de um assunto importantíssimo que foi o desenvolvimento de um produto ou serviço.

Mas ter um bom produto ou serviço não é garantia de sucesso! Assim, após cuidar de seu desenvolvimento deve-se dedicar atenção especial à formação de seu preço de venda. Um preço muito elevado não irá gerar vendas. Por outro lado, um preço muito baixo poderá gerar prejuízos para o seu negócio, colocando-o em sério risco.

Assim, a formação adequada de seu preço de venda se mostra tão fundamental quanto a qualidade de seu produto.

Então vejamos algumas dicas que lhe ajudarão em sua formação de preço:

MATERIAIS NECESSÁRIOS:

O primeiro passo para a formação de preço é a verificação dos materiais e mercadorias necessários à fabricação de seu produto, à execução do serviço ou, no caso de revenda o custo de compra da mercadoria.

Assim, você deverá levantar e anotar os seguintes custos:

  • No caso de fabricação, os materiais necessários para se fabricar uma unidade do produto, incluindo matérias primas e materiais de embalagem.

 

  • No caso de serviços, os materiais que serão empregados na prestação de serviço.

 

  • Já no caso de revenda, o custo de aquisição da mercadoria, incluindo o custo com embalagens.

 

Devem ser incluídos também no custo dos materiais o frete sobre a compra e qualquer outra despesa cobrada pelo fornecedor, como impostos e despesas acessórias.

Vamos a um exemplo na prática:

Gasto com materiais:    R$22,56

Material de embalagem:  R$1,33

Frete sobre compras:    R$2,00

Total custo com materiais:R$25,89

MÂO DE OBRA:

Em seguida, deve-se mensurar o custo com a mão de obra do MEI empregada em um produto ou serviço. Para tanto deve-se verificar qual é o tempo necessário para se produzir uma unidade do produto ou o tempo necessário para se concluir o serviço.

Em seguida, temos que valorar esta hora, ou seja, atribuir valor a este tempo gasto para que depois possa leva-lo em conta em sua formação de preço.

Um método prático para fazer isso é pensar em qual seria o salário médio mensal para se desempenhar o trabalho (ou quanto se almeja receber por mês). Depois deve-se dividir este valor (salário) por 220, que é a quantidade de horas mensais padrão de trabalho de um trabalhador contratado com carteira assinada, obtendo-se assim, o valor de custo hora de sua mão de obra.

Ex.:

Determinado MEI pretende ter uma renda mensal de R$3.000,00. Assim, o valor de sua mão de obra por hora será de R$13,64 (R$3.000,00 dividido por 220).

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS:

Deve-se também verificar se existem outros custos com a contratação de serviços de terceiros, tais como:

 

  • Comissão a pagar a terceiros.

 

  • Frete sobre vendas ou custo por entrega.

 

  • Serviços tomados referentes à terceirização de parte da produção ou de parte da execução do serviço.

Ex.:

Custo com entrega de R$4,00

 

ATRIBUIÇÃO DE DESPESAS E CUSTOS FIXOS: 

Apesar de não ser possível atribuir diretamente os custos e despesas fixas ao produto, como é o caso do aluguel de uma loja, é muito importante que estes sejam considerados na formação de preço.

Desta forma, deverá ser escolhido um método de rateio, ou seja, uma base para que possamos verificar o quanto deste custo ou despesa fixa iremos atribuir ao produto ou serviço. Neste caso pode-se utilizar como base de rateio a quantidade de produtos vendidos no mês ou as horas totais trabalhadas no mês.

Ex.:

Aluguel mensal:                            R$1.100,00

Energia elétrica:                             R$380,00

Água:                                         R$264,00

Imposto mensal do MEI:                       R$56,00

Total:                                     R$1.800,00

Média de produtos vendidos mês: 300 unidades

Valor custo/despesas rateado por produto: R$6,00

 

MARGEM DE LUCRO DESEJADA: 

Por fim, antes de fazermos as contas e chegar em qual deve ser o preço de venda, deve-se pensar em qual é a margem de lucro final que se deseja obter, lembrando que o custo da mão de obra já foi considerado, conforme citado anteriormente.

Ex.: margem de lucro desejada: 10%

 

FORMANDO O PREÇO NA PRÁTICA: 

De posse de todos os valores que compõe o preço do produto ou serviço, é possível chegar ao preço de venda através da fórmula abaixo:

 

FÓRMULA

EXEMPLO

Custo dos Materiais

25,89

+

+

Custo Mão de Obra

02 hs = 27,28

+

+

Custo com serviços de terceiros

4,00

+

+

Rateio de Custos e Despesas fixos

6,00

=

=

Subtotal

63,17

 

 

Em seguida:

 

 

 

Subtotal dividido por

(1 – percentual de lucro)

63,17/(1-0,10)

=

=

Preço de Venda

70,19

Lucro Líquido final

7,02

 

Assim, conforme exemplo, para que o MEI pague todos os seus custos mais sua mão de obra e sobre ao final um lucro de 10%, o preço de venda deverá ser de R$70,19 por unidade de produto.

Gostou desse assunto? Então compartilhe essa informação importante e fique ligado! Nossa série não termina aqui. Trarei muito mais assuntos para contribuir com o crescimento do seu negócio. 

Um abraço e até a próxima!

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.