Estratégias de atendimento e contato podem aumentar vendas de Natal Sucesso para o período vai além da decoração montada e está ligado à ampliação do contato com o cliente e melhoria no atendimento

Victor Machado
*Colaboração
8/11/2011
Foto de decoração natalina

O sucesso nas vendas para o Natal vai além da decoração montada pelo estabelecimento comercial para atrair o consumidor e está diretamente ligado às estratégias criadas para ampliar o contato com o cliente e aprimorar o atendimento. Essa é a visão do mestre em Sistemas de Gestão, instrutor de formação profissional, professor e palestrante, José Geraldo Nogueira.

Nogueira acredita que primeiro é preciso entender o Natal como uma referência do que foi feito durante todo o ano. "O Natal é um reflexo do que se faz nos outros 11 meses. Se você tem um estabelecimento e sua relação com o cliente é boa, ele irá procurá-lo nesta época. Por isso, é importante trabalhar o seu cliente o ano inteiro."

Para ele, mais do que uma bela decoração, é preciso que o comerciante se prepare para a data, observando a relação interpessoal com o cliente e com o consumidor. O professor explica que o consumidor é aquele que vai ao local e compra uma vez, já o cliente frequenta várias vezes. "Uma boa relação pode transformar um consumidor em cliente, o que traz fidelidade. Isso é importante."

Para isso, Nogueira afirma que alguns detalhes devem ser observados no momento de se criar a estratégia para o Natal. De acordo com ele, deve-se observar qual conceito de Natal é criado pelo estabelecimento, através da decoração, ambiente interno, comunicação, marketing e geração de valor. Ele ainda destaca o monitoramento de preços, descontos e promoções, além do preparo para situações adversas. "O estabelecimento não pode perder o público-alvo. Tem que criar condições diferenciadas para os clientes, como formas de pagamento, descontos, pós-venda, etc. E trabalhar para atrair o consumidor. Uma boa forma de se conseguir isso é estabelecer metas reais, baseadas na vivência da loja em outras datas."

Nogueira comenta que a estratégia comercial deve atender às necessidades das pessoas, mas também não pode se esquecer do preparo e suporte da equipe de funcionários. "Primeiro, deve-se estabelecer um padrão de seleção para trabalhadores temporários. Depois, dar conhecimento aos trabalhadores sobre as ferramentas de venda. Isso engloba as formas de promoção que estou utilizando (rádio, televisão, jornal), linhas de crédito, políticas internas de incentivo e feedback. Às vezes, a loja vende menos por falta de conhecimento do vendedor e de contato com a gerência."

Novidade, tendência, decoração e vitrine

Para o mestre em Sistemas de Gestão, a estratégia para o período deve se apoiar em quatro pilares. A novidade, a tendência, a decoração e a vitrine. "A imagem da empresa é a imagem do patrão. Ele deve se colocar no lugar do consumidor. Analisar as necessidades, oportunidades e prazer do comprador. Não adianta uma bela vitrine sem uma novidade na loja. Portanto, é fundamental acompanhar o dia a dia, refletir sobre as ações da loja e observar a concorrência."

O professor conclui que o sucesso durante o período não está associado à sorte e sim ao preparo das lojas. "Sorte nada mais é do que estar preparado. Quanto mais preparado, mais chances. Tem que buscar o diferencial." 

*Victor Machado é estudante do 8º período de Comunicação Social da Faculdade Estácio de Sá

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.