• Assinantes
  • Autenticação
  • Negócios
    Terça-feira, 6 de abril de 2010, atualizada às 18h

    Consumidores residenciais vão pagar menos pela conta de luz

    Aline Furtado
    Repórter

    Os consumidores residenciais vão pagar menos pela conta de luz. As novas tarifas a serem aplicadas pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) foram aprovadas nesta terça-feira, 6 de abril, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e entram em vigor na próxima quinta-feira, dia 8. Segundo informações da Cemig, a variação só deverá ser percebida pelo consumidor a partir da fatura do mês de maio.

    A Aneel autorizou redução de 0,05% para mais de 3,2 milhões de consumidores residenciais. Já os 2,4 milhões de clientes classificados como residencial baixa renda serão reajustados negativamente em 5,18%. Para os demais consumidores, de média e de alta tensão, onde estão incluídos indústrias, comércio, serviços, entre outros, o impacto médio do reajuste será positivo em 6,16%. Na média geral, o impacto do reajuste a todas as classes consumidoras será de 1,73%.

    Para conceder o reajuste, a Aneel considerou a variação de 1,9% do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) nos últimos 12 meses. O fator que mais contribuiu, no entanto, para a redução da tarifa foi a compra de energia produzida pela hidrelétrica de Itaipu, que é cotada em dólar. Nos últimos 12 meses, a cotação do dólar caiu de R$ 2,25 para R$ 1,78.

    No ano passado, o reajuste definido pela Aneel aos consumidores residenciais da Cemig foi de 4,87%. Para os demais consumidores, o reajuste médio foi de 9,42%. Na média geral, o aumento verificado foi de 6,21%. A Cemig atende a 6,9 milhões unidades consumidoras em 774 municípios de Minas Gerais.

    Os textos são revisados por Madalena Fernandes
    Aneel define reajuste negativo para tarifa residencial da Cemig



    A Agência Nacional de Energia Elétrica - Aneel definiu, nesta terça-feira (06/04), as novas tarifas da Cemig Distribuição, autorizando um reajuste negativo de 0,05% para os mais de 3,2 milhões de consumidores residenciais da Empresa. Já os 2,4 milhões de clientes classificados como residencial baixa renda serão reajustados em -5,18%. Para os demais consumidores de média e alta tensão (indústria, comércio, serviços etc), o impacto médio do reajuste será positivo em 6,16%.



    Na média geral, o impacto do reajuste a todas as classes consumidoras será de 1,73%. As novas tarifas passam a valer a partir de quinta-feira, dia 8 de abril, porém o consumidor só sentirá essa variação a partir das faturas de maio.



    De acordo com o gerente de Tarifas da Cemig, Ronalde Xavier Moreira Júnior, dois componentes tarifários merecem destaque. O primeiro é o encargo Conta de Consumo de Combustíveis (CCC), que foi elevado em 107%, e o segundo é o custo de energia comprada, que foi reduzido em 4%, principalmente devido à queda da taxa do dólar. "Esses fatores explicam bem as diferenças entre os reajustes da baixa tensão, que foi negativo, e o da média/alta, que foi positivo. Na baixa tensão só há consumidores cativos, que pagam sua energia para a própria Cemig Distribuição. Como essa energia ficou mais barata, sua tarifa foi reduzida", explica.



    Já o grupamento de consumidores em média/alta tensão é representado em grande parte por clientes livres, que adquirem energia de outro fornecedor. "Esses consumidores não fazem jus à redução de 4% da energia comprada. A tarifa deles é composta basicamente por custos gerenciáveis pela distribuidora e os encargos, como a CCC, que mais que dobrou, sem qualquer influência da concessionária. Portanto, seu impacto percebido é de aumento", diz Ronalde Moreira.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.