Roupas são preferências dos juiz-foranos para o Dia das Mães

Estudo realizado aponta que 38,1% dos entrevistados pretendem presentear com peças do vestuário. Dado surpreendeu o Sindicomércio-JF

Thiago Stephan
Repórter
24/4/2012
Vendas para o Dia das Mães

As mães de Juiz de Fora devem ficar ainda mais elegantes. De acordo com pesquisa realizada pelo Sindicato do Comércio de Juiz de Fora (Sindicomércio-JF), 38,1% das 389 pessoas entrevistadas pretendem presentear com roupas no Dia das Mães, que neste ano cai em 13 de maio. Em segundo lugar na pesquisa aparecem os cosméticos, com a preferência de 9,21% dos consumidores, seguido de flores (7,94%), joias (5,08%) e sapatos (4,76%). Ainda de acordo com o estudo, 34,9% dos que responderam a pesquisa pretendem presentear com outros itens.

A acentuada preferência por roupas surpreendeu o presidente do Sindicomércio-JF, Emerson Belotti. "Esse percentual encontrado geralmente é visto no Dia dos Namorados. Essa grande preferência por vestuário não foi vista no ano passado. Acredito que isso aconteceu em razão do valor que os consumidores pretendem gastar, a maior parcela entre R$ 50 a R$ 100. Por isso, o vestuário ficou mais forte", disse.

De acordo com o estudo, 32,06% pretendem gastar entre R$ 50 e R$ 100, enquanto 19,37% afirmam que vão investir de R$ 100 a R$ 150. Gastos entre R$ 30 e R$ 50 é a previsão de 16,51%. Em relação à forma de pagamento, 58,41% dos entrevistados pretender fazer a compra à vista, enquanto 34,6% pretende usar o cartão de crédito. O cartão de débito é o preferido de 6,03%. Ainda de acordo com a pesquisa, 29,84% dos consumidores farão suas compras com base no preço, enquanto 20,95% prezam pela qualidade do atendimento.

Ainda segundo Belotti, uma nova pesquisa está sendo realizada, mas junto aos lojistas, para saber a expectativa de crescimento nas vendas. Entretanto, ele acredita que o patamar deva ser o mesmo do ano passado, entre 9% e 12%, e justifica: "O consumidor quer presentear, mas está mais comedido na sua compra", disse.

Sem medo de errar

A professora Débora de Moraes confirma os resultados encontrados na pesquisa do Sindicomércio-JF e garante: presentear com roupa é menos arriscado. "A gente sempre dá alguma coisa, a data não pode passar em branco. Geralmente eu dou roupa, calçado ou bolsa. Não devo variar este ano, já que a chance de errar o presente é menor. Além disso, agora é época de mudança de coleção, com muitas roupas de inverno. Vou dar alguma coisa que certamente será usada", comenta.

Entre os lojistas que trabalham com vestuário, o clima é de otimismo, já que a data é considerada a segunda melhor do ano, perdendo apenas para o Natal. A expectativa é de crescimento de até 50% em relação ao movimento normal, conforme relata Aline de Paula, gerente de um estabelecimento situado na rua Batista de Oliveira. "Temos modelos especiais voltados para senhoras e a nossa expectativa é que o movimento realmente seja muito bom. Temos produtos variados e para todos os bolsos. A expectativa de aumento é de até 50% em relação ao movimento normal".

Projeção semelhante é a de Valéria de Souza, gerente de uma loja de roupas de um shopping do Centro da cidade. "Nossa expectativa é de muito movimento, já que a data é o nosso segundo Natal", garante, sem tentar projetar o percentual de crescimento. Apesar da expectativa de lojas cheias, não houve a necessidade, em nenhum dos dois estabelecimentos, de contratação de novos funcionários.

Os textos são revisados por Mariana Benicá

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.