Quarta-feira, 30 de setembro de 2015, atualizada às 18h38

Comissão que apura Empav entrega relatório final nesta quinta

castelar

A Comissão Técnica formada para apurar denúncias sobre a Empav entregará o relatório final ao Conselho de Administração do órgão nesta quinta-feira, 1º de outubro. Alegando questões éticas, o secretário de Governo, José Sóter de Figueirôa, optou por não tornar o documento público durante Audiência Pública realizada nesta terça, 30, por solicitação do vereador Wanderson Castelar (PT), mas adiantou que cópias serão encaminhadas à Câmara Municipal e ao Ministério Público para providências. O segundo secretário do Legislativo, Cido Reis (PPS), que integra a Comissão, assegurou a realização de um trabalho sério e imparcial.

O autor do pedido de audiência pública, vereador Wanderson Castelar (PT), disse que esperava a divulgação, pelo menos, dos principais pontos do relatório. Figueirôa anunciou ações consideradas positivas, como afastamento dos diretores citados em denúncias, a extinção do cargo de vice-presidente, a apresentação de estudos sobre eliminação de cargos contratados e aporte de recursos financeiros para viabilizar a Empav. Castelar, entretanto, quer mais. O vereador defendeu o aprofundamento do trabalho de reestruturação do órgão, enfatizando que passa pela valorização do efetivo, pelo alcance do superávit e fim das denúncias. Ele admite a apresentação de um novo pedido de audiência pública específica para tratar das medidas a serem tomadas.

Amarildo Romanazzi, presidente do Sinserpu, confirmou que as denúncias sobre más condições de trabalho, sucateamento da frota de veículos e excesso de cargos comissionados foram feitas no tempo devido. Em junho a entidade divulgou um jornalzinho específico sobre a situação e protocolou as informações junto ao Ministério Público em 13 de agosto, um dia antes do acidente com morte de um servidor.

Entre as irregularidades citou a retirada indevida de material do almoxarifado e pediu esclarecimentos sobre leilão de venda de imóvel nas proximidades da Regional Leste para pagamento de dívidas, o que não é permitido.

Outro representante do Sindicato, Francisco Carlos da Silva, conclamou o fortalecimento dos instrumentos de fiscalização, como o Conselho Fiscal, aliado a reestruturação do Controle Interno.

O vereador Roberto Cupolillo (Betão-PT) afirmou que o sucateamento é geralmente uma estratégia para terceirização ou privatização de serviços. O petista acompanhou cada ato por meio de pedidos de informação e pronunciamentos e alertou para problemas como o descumprimento do plano de cargos e salários. Segundo ele, atualmente os trabalhadores não conseguem alcançar as chefias. A notícia de que o Conselho Administrativo passará a responder os pedidos de informação que apresenta foi, por outro lado, apontado como válido.

O vereador José Emanuel (PSC) que tem se mostrado um crítico da situação da Empav não participou da audiência por se encontrar internado. Ele designou o assessor Douglas Fedócio para a leitura de um texto no qual manifestou a sua postura.

Com informações da Câmara Municipal

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.