• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde

    Produtos zero açúcar Eles viraram moda entre os brasileiros e têm sido consumidos em substituição aos tradicionais, mas é preciso ter cuidado

    Priscila Magalhães
    Repórter
    13/02/08

    É só dar uma volta pelos supermercados para perceber que os refrigerantes zero chegaram e os diet, da mesma marca, desapareceram das prateleiras. Então, os zero seriam considerados diet?

    A nutricionista Wanessa Aquino diz que sim. Segundo ela, o que houve foi uma mudança no nome, já que diet indicava que os produtos eram para pessoas diabéticas. "Agora, eles passam a mensagem de que qualquer pessoa pode tomar, provocando um aumento do público consumidor. Para isso, até o sabor foi modificado", diz ela.

    E foi o que aconteceu. Grande parte dos brasileiros têm consumido estes refrigerantes em substituição aos tradicionais, por pensarem que não há problema, já que eles são isentos de açúcar. Mas Wanessa garante que eles não fazem bem à saúde. "Se consumidos todos os dias, eles provocam a hipertensão ou o agravamento do caso com o passar do tempo, pois têm alto teor de sódio. Além disso, causam inchaço, pois retém líquidos", explica.

    Ela diz que, no rótulo, há uma especificação da quantidade de sódio contida no refrigerante, mas não é uma informação clara. "Para a pessoa entender e saber que faz mal, ela precisa de um conhecimento mais técnico, o que muitos não têm". O consumo pode acontecer, mas de forma equilibrada, já que durante o dia o sódio é ingerido em outros produtos, como temperos.

    Foto de soja Foto de abacaxi e laranja Foto de comida

    Além disso, os refrigerantes não possuem nenhum valor nutritivo. "Não existe quantidade significativa de vitaminas neste tipo de bebida", alerta a nutricionista. Por isso, a preocupação das empresas em fabricar produtos que atendam às necessidades do organismo. Nos supermercados já podemos encontrar os chamados alimentos enriquecidos. "Adicionar vitaminas no refrigerante é a promessa de uma das fabricantes", acrescenta ela.

    Já podemos encontrar pães, leite, farinha de trigo e de milho e margarina enriquecidos com vitaminas ou outros nutrientes, como forma de garantir uma dose diária de nutrientes importantes na alimentação. "O Governo determinou que o ácido fólico, um tipo de vitamina, fosse adicionado à farinha de trigo, pois existe uma deficiência no país. Ele é importante para as grávidas e sua falta pode fazer com que a criança nasça com problemas físicos", alerta.

    Os diet

    Segundo Wanessa, os produtos diet são os isentos de algum elemento. Encontramos iogurtes, barra de cereal, doces, bolos e até sal. "Encontramos sal isento de sódio e em substituição usam o alho, orégano, manjericão ou cheiro verde", esclarece.

    Foto de soja Foto de abacaxi e laranja Foto de comida

    Igualmente ao sal, outros alimentos são isentos. O doce diet não tem açúcar, que é substituída por adoçante. Mas, adoçante faz mal? "Muita gente diz que ele causa câncer, mas isso não está comprovado cientificamente, mesmo porque os diabéticos são obrigados a consumí-los", explica Wanessa. O importante é ter atenção ao rótulo e consumir a quantidade indicada no rótulo. "Cada um tem uma quantidade a ser consumida e isso está especificado no rótulo. É claro que o excesso pode fazer mal", completa.

    Os light

    Enquanto os diet são isentos, os produtos light são reduzidos em algum elemento, como açúcar, gorduras e calorias. "Eles são reduzidos em, no mínimo, 25% que o produto normal", esclarece Wanessa.

    Segundo ela, os refrigerantes light são reduzidos em açúcar (carboidratos) e os iogurtes em gordura. Assim, em ambos os casos há redução de calorias, que também pode acontecer com a redução de nutrientes e proteínas.

    Veja a tabela de calorias
    • Cada 1g de proteína, gera 4 calorias no organismo
    • Cada 1g de carboidrato, gera 4 calorias no organismo
    • Cada 1g de gordura, gera 9 calorias no organismo

    Então, de acordo com a tabela acima, a nutricionista aconselha que para manter o peso o ideal é usar os produtos reduzidos em gordura. "Mas ainda é importante ficar atento à quantidade que vai tomar. Se você só toma um iogurte por dia, continue assim. Se tomar dois, só porque é light, a redução de gordura não vai valer a pena", aconselha.

    Ao contrário do que acontece com os produtos diet, quando o açúcar é substituído por adoçante, no caso dos light o que foi reduzido não é substituído. "Um bom exemplo é o iogurte. Percebemos que o light toma outra forma e sabor. E a sensação de saciedade é menor. A pessoa fica com fome mais rápido ao se alimentar de light", explica.

    Foto de soja Foto de abacaxi e laranja Foto de comida
    Fique atento

    A dica de Wanessa é estar sempre atento ao rótulo dos produtos. "Se o consumidor sentir que não entende, procure informações com o nutricionista ou através dos serviços de atendimento ao consumidor. O rótulo tem a função de educação e deve ser claro", diz.

    Segundo ela, existem normas e o governo tem que ficar atento aos rótulos. "É nele que contém as informações sobre a quantidade de cada nutrientes e eles devem ser apontados de forma clara".

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.