Quarta-feira, 16 de março de 2011, atualizada às 18h19

Disque-dengue recebe, em média, 68 ligações por dia

Da Redação

O disque-dengue de Juiz de Fora tem recebido, em média, 68 ligações por dia, desde 28 de fevereiro, quando tiveram início os trabalhos. Segundo informa a Secretaria de Saúde, foram atendidas 1.165 ligações nos 17 dias de trabalhos, todas referentes a denúncias sobre possíveis criadouros para o Aedes aegypti. Entre as reclamações mais comuns, encontram-se poças d'água, piscina destampada e casas abandonadas.

Para apurar as solicitações, a Subsecretaria de Vigilância em Saúde disponibiliza uma equipe composta por dez agentes de controle de endemias. A princípio, a perspectiva é de que cerca de 20 demandas sejam atendidas diariamente.

O sistema disponibilizado para o atendimento às demandas do disque-dengue possui quatro linhas que são acionadas por meio do telefone 199. Após a solicitação, o sistema gera um boletim de ocorrência (BO), baseado em endereço, análise do local (se já foi vistoriado pelos agentes de controle de endemias), se há presença de larvas, pupas ou mosquito adulto e possíveis formas de tratamento.

Mutirão recolhe 378 toneladas de lixo

Até o momento, o Mutirão de Limpeza da Secretaria de Saúde já recolheu, desde o início dos trabalhos, em 23 de novembro de 2010, 378 toneladas de lixo propício a criadouros para o mosquito da dengue. Ao todo, foram visitadas 291 localidades em Juiz de Fora, englobando os pontos estratégicos que recebem vistorias periódicas. Dois caminhões estão realizando o mutirão e outros dois estão fazendo o trabalho de reforço no recolhimento do lixo em locais onde já ocorreram as Batalhas Regionais de Combate à Dengue.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.