Exercício físico faz bem para a memória

Nome do ColunistaAmanda Beloti 14/08/2019

Exercício físico faz bem para a memória, não só para o corpo. Todos já devem ter percebido os benefícios de uma leve caminhada ao redor do bairro, por exemplo. Não só ajuda a limpar a mente, como controla a ansiedade e melhora a capacidade do cérebro de armazenar memórias.

Uma revisão publicada neste ano de 2019 teve como objetivo analisar o impacto do treinamento físico nas concentrações de BDNF (Brain-Derived Neurotrophic Fator - Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro) em idosos com mais de 60 anos. O BDNF, de forma bem resumida, é uma neurotrofina presente no hipocampo (região do cérebro responsável por sentimentos e memória), que, portanto, estimula a criação de novas células e a formação de memórias nos humanos.

E com base nas evidências deste estudo, descobriu-se que as concentrações de BDNF na corrente sanguínea não aumenta após o exercício aeróbico sozinho, em idosos. Portanto, podemos concluir que apesar da caminhada beneficiar o cérebro limpando a mente e controlando a ansiedade, a associação com um treinamento físico aumenta as concentrações de BNDF, favorecendo o armazenamento de memórias.

Todas as pesquisas atuais indicam que ser fisicamente ativo reduz o risco do mal de Alzheirmer e de outras demências, podendo até mesmo retardar a progressão da doença nos pacientes já portadores.

A atividade física também atua aumentando a circulação sanguínea para o cérebro (o que oxigena melhor os tecidos) e produzindo catecolaminas (hormônios, como a adrenalina, a dopamina) que causam bem-estar e relaxamento após o fim da atividade.

Os hormônios são substâncias químicas específicas fabricadas pelo nosso sistema endócrino, com grande importância para o funcionamento adequado do nosso organismo. O exercício físico provoca respostas hormonais com influência fisiológica e psicológica. Quando realizamos um adequado exercício físico, com uma indicação profissional precisa em relação à intensidade, tipo e tempo, nossos hormônios agem em conjunto, permitindo que o indivíduo encontre a força física e mental necessária para a sua execução. Portanto, como dito acima, a realização da atividade física periódica libera os hormônios que melhoram memória, concentração, humor, bem-estar, reduzem estresse e depressão, regulam intestino, baixam colesterol, reduzem dor crônica, queimam calorias, melhoram autoestima, controlam pressão sanguínea, reduzindo risco de doenças crônicas (como diabetes e hipertensão).

Diante de todas estas provas, o que você está esperando para começar uma atividade física? A prevenção continua sendo o melhor remédio!

Um abraço e até a próxima!

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.