Como anda o ser autêntico?

Nome do ColunistaAna Pernisa 26/02/2020

Atenção! Nesse mundo "photoshopado" as fragilidades humanas devem ficar cuidadosamente lacradas debaixo de sete chaves em um baú ou, debaixo do tapete,  onde ninguém possa ver, porque caso ocorra um desabafo, você pode correr o risco de ser encarado(a) como uma pessoa com alguma doença contagiosa.

Pois é... É de assustar. Hoje, o que vejo é que a qualquer contato com o real, muitas  pessoas não dão conta. Nesse mundo superficial, desabafos, olhares de tristeza, uma solicitação de colo ou ombro amigo pode por em risco a integridade das pessoas que estão plastificadas. Afinal, foge ao protocolo das caras e bocas aceitáveis. E ai, só quando a coisa toma um nível absurdo e gera um choque que algo se faz. Por que é assim? Seja como for, viva as campanhas! Viva o Setembro Amarelo!!! E vídeos sobre depressão e coisa e tal. E, sem mais, assim segue a humanidade cada vez menos humana, como se um sorriso e uma foto num ótimo ângulo apagasse o efeito e justificasse a obscuridade da alma. Pois é: pare tudo! Alerta total! Acorde! Por mais maquiados e mascarados que possamos nos tornar,  somos feitos de carne e osso, sombras e luz! E, cada vez que nos negamos a ser, acolher e a olhar,  mais doentes ficamos. Quanto mais ignorarmos nossa possibilidade de sermos autênticos, mais adoentado estaremos nesse vazio de muitos likes e pouco coração. Do mundo de caras e bocas, onde as pessoas não conseguem mais se reconhecerem na parte humana e toda do ser. Que tal você se possibilitar ser de fato e Tornar-Ser?

Que tal em vez de fugir do outro que o solicita, experimentar, quem sabe, dar um abraço ou uns minutos de acolhimento? Olha, garanto que você não vai se quebrar... Pode ser até que consiga se sentir mais humano (a).

Que tal se permitir?

Um ótimo dia!

Um beijo carinhoso

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.