Terça-feira, 03 de junho de 2008, atualizada às 15h30

Doença falciforme e hipotireoidismo são as mais diagnosticadas pelo teste do pezinho em JF. Mais de 50 mil exames já foram realizados



Priscila Magalhães
Repórter

O teste do pezinho é um exame que identifica doenças em recém-nascidos de até um mês de vida. Hipotireoidismo congênito, anemia falciforme, fibrose cística, toxoplasmose congênita, rubéola, HIV e hiperplasia supra-renal congênita são algumas das doenças diagnosticadas pelo testo do pezinho, também conhecido como triagem neonatal.

Desde 1999, foram realizados 51.383 exames do pezinho em Juiz de Fora. A partir deles foram diagnosticados 61 casos de doença falciforme, 119 de hipotireoidismo, quatro de fibrose cística e quatro de fenilcetonúria. Para a pediatra neonatal Márcia Mizrahy Dias, os números não são considerados altos, mas revelam as maiores incidências de doenças diagnosticadas na cidade.

A médica alerta que o teste deve ser feito no quinto dia de vida. "Se for feito antes ou muito depois, corre-se o risco de os resultados ficarem alterados". Como muitas das doenças diagnosticadas pelo teste causam retardo mental, a médica alerta para a importância de se realizar o exame o mais cedo possível.

"O retardo mental pode não aparecer se a doença for tratada precocemente", ressalta. Além da importância de conscientizar os pais, que recebem orientação sobre o exame quando a criança é vacinada ao nascer, é alertar que a maioria dessas doenças são compatíveis com a amamentação. "Não se deve parar de amamentar a criança".

O teste do pezinho virou lei há sete anos no Brasil. Segundo a pediatra, ele é realizado pelo SUS no Departamento de Saúde da Criança, na Policlínica de Benfica, na Maternidade Terezinha de Jesus, na Santa Casa de Misericórdia e na UTI do Hospital João Penido. Na rede particular, o exame pode ser feito nos laboratórios.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.