Quarta-feira, 15 de setembro de 2010, atualizada às 19h40

População discute futuro de Policlínica após chegada de UPA Norte

Pablo Cordeiro
Repórter

No dia 24 de setembro, a população de Benfica irá se reunir a fim de discutir o futuro da Policlínica de Benfica após a construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Norte. O receio dos usuários é de que a unidade regional perca esse caráter de atendimento e se torne uma Unidades de Atenção Primária a Saúde (Uaps). A reunião ocorre às 19h, no Centro Pastoral do bairro, na rua Tomé de Souza 200, Benfica.

"Nosso medo é de que, com a UPA, os serviços de urgência e emergência e pronto atendimento infantil sejam transferidos. De acordo com a Secretaria de Saúde, será uma unidade básica", explica a presidente do conselho regional de saúde de alguns bairros da Zona Norte, Leila Ribeiro. Para o vereador Wanderson Castelar (PT), mediador da reunião, a intenção da campanha "Viva Policlínica" tem o objetivo de recuperar a unidade e não permitir que ela perca aquilo que já possui.

"Também vamos lutar pela recuperação de serviços que eram prestados e não são mais, como o acompanhamento à gestante. Na medida em que a Policlínica foi sendo ocupada pela urgência e emergência, esses serviços foram desaparecendo", destaca. A falta de médicos, situações em que a Policlínica tem fechado as portas e a inexistência de médicos para o atendimento secundário, como dermatologia, neurologia e cardiologia, também serão pontos debatidos.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.