Quinta-feira, 5 de maio de 2011, atualizada às 11h59

Médicos rejeitam proposta da Prefeitura e decidem manter greve por tempo indeterminado

Victor Machado
*Colaboração
foto de cartazes

Os médicos de Juiz de Fora decidiram, em assembleia geral da categoria, realizada na noite de quarta-feira, 5 de maio, continuar a greve deflagrada na última segunda-feira, 2. Segundo o secretário-geral do Sindicato dos Médicos, Geraldo Sette, a categoria rejeitou as propostas apresentadas pela Prefeitura de Juiz de Fora.

O secretário-geral afirma que durante assembleia todos consideraram a proposta do Executivo vaga e, por isso, decidiram pela continuidade do movimento. "Não conseguimos perceber o atendimento às reivindicações." Sette explica que a categoria aguarda novas propostas da PJF, mas ainda não há previsão de serem apresentadas.

Propostas

Segundo ele, a PJF propôs acabar com a progressão automática trienal, que existe em todas as carreiras do Executivo municipal e alteração do piso salarial da categoria. "Ainda não fomos atendidos quanto a nossa solicitação para definir critérios para plantão nas unidades de Urgência e Emergência."

Além disso, o secretário-geral explica que a categoria pediu para suspender a discussão em relação à situação dos médicos da Estratégia de Saúde da Família (ESF) e para que projetos em tramitação na Câmara que envolvem critérios para plantão nas unidades Urgência e Emergência, jornada de trabalho flexível e a criação de uma carreira paralela de médico de sobreaviso/diarista não fossem votados. A votação aconteceria no fim da tarde desta quinta.

*Victor Machado é estudante do 7º período de Comunicação Social da Faculdade Estácio de Sá

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.