Segunda-feira, 6 de março de 2017, atualizada às 17h08

PJF confirma morte de macaco por febre amarela

Da redação

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) confirmou a morte de um macaco em Juiz de Fora por febre amarela. Mostras de seis animais haviam sido enviadas para análise pelo órgão responsável do estado, no início de fevereiro. Com esta confirmação, Juiz de Fora passa a ter caso da chamada epizootias por febre amarela, mas sem registro ou suspeita da doença em humanos.

A SES afirma já começam a ser adotadas várias medidas para garantir o cerco à doença e tentar impedir que ela chegue à população. Entre elas, a vacinação maciça de todas as pessoas que ainda não receberam duas doses durante a vida, e o planejamento em toda a rede de saúde, incluindo a de urgência e emergência e leitos em hospitais conveniados, para que a cidade esteja preparada para eventuais registros em humanos.

Para garantir o cerco, a PJF solicitou 200 mil doses de vacina contra a febre amarela, para imunização de todos os juiz-foranos que ainda não receberam sua segunda dose. Setenta mil doses chegaram ao município e já estão sendo distribuídas nas unidades de Atenção Primária à Saúde (Uaps), Pronto Atendimento Médico (PAM-Marechal) e departamentos da Criança e do Adolescente e do Idoso, além de ponto extra, a ser confirmado.

Além disso, será feito um dia especial de vacinação neste sábado, 11, para agilizar a imunização da população, principalmente daqueles que têm dificuldade de procurar as unidades durante a semana. Nas regiões onde os macacos com confirmação de febre amarela foram encontrados, a vacinação acontecerá de forma ativa, ou seja, além de os moradores poderem ir aos postos para se vacinar, equipes volantes da SS passarão de casa em casa, para garantir que todos estejam imunizados.

Controle do Vetor

A Secretaria de Saúde informa que os trabalhos dos agentes comunitários de saúde serão intensificados, com fiscalização rigorosa nas casas, para combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e da febre amarela, além do zika vírus e da chikungunya. O trabalho de campo terá apoio do Exército e incluirá aplicação de inseticidas, com bombas costais, o chamado “fumacê”.

O trabalho entre as secretarias de Saúde e Meio Ambiente da PJF, junto a órgãos como os institutos Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Estadual de Florestas (IEF) também vai auxiliar nas medidas de precaução e controle.

Preparação da Rede de Atendimento

Para os casos suspeitos de febre amarela em humanos, as portas de entrada para o atendimento serão nas seis unidades de Urgência e Emergência e nas 63 Uaps espalhadas pela cidade. As equipes passarão por treinamento para atendimento adequado. Para o tratamento dos eventuais pacientes, a SS prepara disponibilização de leitos de retaguarda em hospitais conveniados da cidade.

Ainda foi enviado um comunicado ao Hemominas, para que estejam preparados para os casos em que possa haver necessidade de transfusão de sangue.

foto

Com informações da PJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.