• Assinantes
  • Saúde
    Sexta-feira, 17 de março de 2017, atualizada às 16h31

    Três macacos mortos foram encontrados em menos 24 horas em Juiz de Fora

    Da redação
    foto

    Mais um macaco foi encontrado morto nesta sexta-feira, 17 de março, no bairro Monte Castelo. Na quinta, 17, outros dois primatas sem vida foram localizados no bairro Jardim da Serra, na Cidade Alta. Conforme informações da Secretaria de Saúde (SS), todos os três foram recolhidos pelo setor de zoonoses da Secretaria e seus materiais serão enviados à Secretaria de Estado de Saúde, em Belo Horizonte, para investigação da causa da morte. Outros cinco animais já tinham sido encaminhados para a SES e estão sob investigação.

    Antes mesmo do humano, a febre amarela afeta os primatas que quando contaminados, acabam morrendo – situação chamada de epizoorias. No último dia 6 de março, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) confirmou a primeira morte de um primata pela doença na cidade, despertando alerta e ações de bloqueio. Lembrando, que o único transmissor da febre amarela é o mosquito e não o macaco, que ainda ajuda agentes identificarem a circulação do vírus na região, antes de atingir os humanos – como foi registrado a doença do tipo silvestre, o mosquito transmissor é o haemagogus e sabethes, se fosse o tipo urbana, o responsável por disseminar a doença seria o Aedes aegypti.

    A Prefeitura informa, que por precaução, já fez bloqueio nas áreas onde os animais foram encontrados, com aplicação de inseticida. A SS ressalta a morte do animal só pode ser associada a doença, depois de confirmada pelo exame.

    Em casos de animais encontrados mortos, a população deve ligar para a Polícia do Meio Ambiente no telefone 3228-9050 ou para o setor de zoonose pelo 3690-7033, para que sejam recolhidos. O departamento ainda fica responsável pelo preparo dos animais ou retirada de material para envio para Belo Horizonte.

    Primeira morte na Zona da Mata

    A Secretaria Estadual de Saúde (SES) confirmou, através do boletim divulgado nesta sexta-feira, 17, o primeiro caso de febre amarela em humano que progrediu para morte na Zona da Mata mineira. Dos dois óbitos que estavam sendo investigados em Carangola, um foi confirmado e o outro descartado.

    Também há um novo rumor de morte de primata por febre amarela em Além Paraíba. Em Argirita, um caso de epizootia está em investigação. Outras cidades que aguardam confirmação ou descarte de caso de mortes pela doença em primatas são: Belmiro Braga, Lima Duarte, Cataguases, Tocantins e Ubá.

    No boletim epidemiológico divulgado nesta sexta, 17 o número de óbitos confirmados pela doença subiu para 117. Até o momento, foram notificados 1.094 casos. Destes, 339 são casos confirmados, 118 foram descartadas e as demais continuam sob análise. Ao todo, já são 53 municípios de Minas Gerais com a doença confirmada em humanos. 

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.