Juiz de Fora apresenta queda no nível de transmissão da Covid-19

No dia 30 de agosto, o município registrou 43.793 casos confirmados

da Redação - 17/09/2021

Está no ar mais uma edição do boletim informativo da plataforma JF Salvando Todos. O trigésimo sexto documento, desenvolvido por pesquisadores da UFJF, aponta um número ainda elevado de óbitos por Covid-19 em Juiz de Fora, mesmo com uma redução no nível de transmissão aferida no período da última semana epidemiológica.

No dia 30 de agosto, o município registrou 43.793 casos confirmados e 1.927 mortes confirmadas por Covid-19. Esses números evoluíram para 44.539 casos e 1.995 vidas perdidas no dia 13 de setembro, algo que representa um aumento de 1,7% e 1,5% respectivamente. Em comparação com a taxa de aumento dos quatorze dias anteriores, que eram de 2,0% e 1,4%, notou-se uma desaceleração na taxa de crescimento do número de casos e um aumento no crescimento do número de óbitos.

Diante da classificação estabelecida pelo Centros de Controle e Prevenção de Doenças norte-americano (CDC), o nível de transmissão na cidade é considerado como “moderado”, tendo em vista que na 36ª semana epidemiológica, foram registrados 46,2 casos por 100 mil habitantes. Na última edição do boletim, o nível de contágio era classificado como “elevado”, com 64,4 casos registrados em 100 mil habitantes na 34ª semana epidemiológica.

Marcel Vieira, um dos pesquisadores responsáveis pela elaboração do documento, comenta que o avanço da vacinação é um dos principais fatores responsáveis pela diminuição do nível de contágios no município. Entretanto, ele alerta que é importante avançar com a vacinação para alcançar um nível alto de cobertura com duas doses, “só assim podemos garantir um maior controle da pandemia no município”, comenta.

Aumento no número de casos e óbitos confirmados

No dia 30 de agosto, a média móvel de casos confirmados nos últimos sete dias figurava em 55,3 casos. Já no dia 13 de setembro, a média era de 58,4 casos, configurando um aumento de 5,6% no período de 14 dias. Entretanto, a média móvel do número de casos suspeitos teve uma redução de 18,1% no mesmo período.  Em 30 de agosto, o número era de 159,9 casos por dia e no dia 13 de setembro, o número se estabilizou em 130,9 casos por dia.

O boletim também aponta uma elevação na média móvel de óbitos no município. Os números evoluíram de 2,0 óbitos por dia, em 30 de agosto, para 2,9 óbitos por dia no dia 13 de setembro; representando assim um aumento de 45,09% no período de 14 dias. Nos quatorze dias anteriores ao dia 30, foi verificado um aumento de 42,9%. Desta forma, Vieira aponta sobre a necessidade da manutenção dos cuidados no atual momento da pandemia.

 “É importante que os cidadãos continuem evitando aglomerações, usando máscaras de boa qualidade e de forma correta, mantendo o distanciamento social, a ventilação nos ambientes fechados e as medidas de higienização. Além disso, é primordial que todos que pertencem aos grupos contemplados pela campanha de vacinação não deixem de receber as suas doses da vacina”, explica.

O número de leitos de UTI ocupados dedicados à Covid-19 diminuiu em comparação com os últimos quatorze dias. No dia 30 de agosto, 57 desses leitos estavam ocupados, contra 50 leitos ocupados no dia 14 de setembro. A taxa de positividade dos testes realizados no município era de 23% no dia 13 de setembro, uma queda de 5% quando comparado ao número exposto no último boletim de quatorze dias atrás.

Ritmo elevado da vacinação e aumento generalizado nos deslocamentos

Até o dia 14 de setembro, foram aplicadas 634.357 doses de vacinas contra a Covid-19 em Juiz de Fora, sendo 401.496 primeiras doses, 218.013 segundas doses e 14.848 doses únicas. A média móvel da aplicação de primeiras doses diminuiu, passando de 1952,1 primeiras doses aplicadas no dia 30 de agosto para 421 em 14 de setembro. Entretanto, foi registrado um aumento no número das segundas aplicações no mesmo período, com a média subindo de 1817,9 segundas doses para 3445 segundas aplicações, respectivamente.

Desta forma, o boletim aponta que 69,6% da população do município recebeu a primeira aplicação da vacina e 40,3% já está completamente imunizada, seja com as duas doses ou com a vacina de dose única. Ao comparar com o percentual de vacinação nacional, é possível verificar que o município tem uma maior cobertura vacinal. No Brasil, a porcentagem da população vacinada com a primeira dose é de 65,3%, com a população completamente imunizada correspondendo a 35,6%.

De acordo com dados da plataforma Google Mobility, notou-se um grande aumento nos deslocamentos no município na 36ª semana epidemiológica. Com um período de referência anterior à pandemia, os dados demonstram um percentual 10% maior de pessoas indo a locais de trabalho. Da mesma maneira, houve um aumento de 48% no percentual de pessoas indo à farmácias e supermercados diante do período de referência.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.