Armando Falconi Filho Armando Falconi Filho 03/11/2008

Escolha e combine melhor seus alimentos

Foto de Falconi segurando uma abóbora no mercado Os alimentos devem ser escolhidos pelo sabor, pela cor, pelo cheiro e também pelo trabalho que fazem silenciosamente no organismo. Você sabe reconhecê-los?

Já aos vinte anos de idade começamos a envelhecer, e desde a juventude nós começamos a nos matar, o homem não morre, mata-se, somos uns auto-suicidas conscientes, pois sabemos o que é bom e o que é ruim para nossa saúde e optamos errado. O homem pode e deve prolongar a vida através de uma alimentação saudável com mais qualidade e não com quantidade.

As frutas são para o homem o alimento de primeira necessidade, são as maravilhas construtoras do organismo humano, dão energia, saúde, desaceleram e retardam o processo do envelhecimento celular. Por isso, devemos consumi-las à vontade.

Alguns tipos de frutas para melhorar sua saúde

- Abacate - abaixa ou reduz os níveis sangüíneos do LDL o colesterol ruim

- Abacaxi - fonte de energia dilui as toxinas das carnes ingeridas.

- Acerola - combate a anemia, gripes e resfriados.

- Água de Coco Verde - remineralizante em potencial, atua na reposição energética, trata os rins, a anemia, e as disfunções do estômago.

- Banana - ótima para tratar a hipertensão e repor o potássio perdido e necessário ao organismo.

- Caqui - dá a longevidade.

- Fruta do Conde ou Pinha - rica em elementos antioxidantes, e altamente energética.

- Figo - importante para a manutenção dos fluídos corporais; trata a hipertensão.

Foto de Falconi segurando um pimentão - Maçã - reduz as chances do colesterol depositar-se nos vasos sangüíneos, dá a longevidade.

- Mamão Papaia - combate a artrite e sua enzima facilita a digestão.

- Melão - é um soro biológico que trata os rins e ajuda na desintoxicação alimentar, fortifica os ossos e os dentes.

- Melancia - elimina o ácido úrico, e desintoxica, é uma fruta única.

- Nêspera - ameixas amarelas e nectarinas - para resistência física, combate a fadiga.

- Pêssego - um néctar para os diabéticos.

- Romã - trata a garganta, e a rouquidão.

- Uva rosada - excelente tônico por causa de grande quantidade de substâncias flavonóides; para desobstrução de veias, e poderoso para tratar o coração, também atua eficazmente no tratamento da anemia.

Alimentos reguladores

Apresentamos as verduras, legumes e frutas, que contêm vitaminas, minerais e fibras, que formam este grupo de alimentos. São necessários para todas as funções metabólicas, fortalecem o sistema imunológico, regulam a digestão e ajudam o bom funcionamento do intestino. Para que você consuma a quantidade certa diariamente, faça de seu prato um mapa colorido, já que a presença de determinadas vitaminas, alimentos reguladores e substâncias antioxidantes pode ser sinalizada pelas cores dos vegetais.

Alimentos vermelhos, como goiaba e melancia, têm licopeno, que previne o câncer de próstata; os verdes contêm ferro, que afasta o risco de anemia; os alimentos de cor laranja e os amarelos têm betacaroteno, bom para os olhos, e assim por diante.

Os alimentos reguladores mantêm o organismo funcionando direitinho, regulando as funções vitais e auxiliando os órgãos a fazer o seu trabalho. As verduras e frutas, por exemplo, são ricas em fibras, que ajudam o estômago e o intestino a funcionar melhor. Outros alimentos ricos em fibras, como grãos, pão e macarrão integral, também entram nesse grupo.

Foto de Falconi segurando uma abcia com canela em pau Na família das verduras, temos alface, rúcula, agrião, espinafre, almeirão, acelga, brócolis, couve, e muitas outras.

Na família das frutas, temos variedades que não acabam mais, como maçã, banana, laranja, mamão, pêra, melão, melancia, etc. Os legumes vêm logo atrás: tomate, pepino, cenoura, berinjela. Dá para fazer uma salada imensa e colorida com os alimentos reguladores.

As fibras são indispensáveis na composição da dieta porque ajudam a reduzir o mau colesterol, prevenindo assim o aparecimento de doenças cardiovasculares, e a controlar os níveis de açúcar no sangue. As solúveis estão presentes em frutas (laranja, maçã), vegetais (cenoura), farelos de aveia e leguminosas.

As insolúveis são encontradas em folhas cruas, grãos de cereais – como milho, soja e grão-de-bico – e frutas consumidas com casca, como maçã, pêra e ameixa. Esse tipo de fibra atua na prevenção de problemas corriqueiros, como a constipação intestinal, e de doenças graves, como o câncer colo-retal.

SUGESTÃO: Inclua uma fonte de alimentos reguladores em cada refeição que fizer. Uma fruta no café da manhã e no lanche da tarde; saladas e legumes no vapor no almoço e no jantar.

Alimentos construtores

São por exemplo as carnes magras, frango, peixe, ovos (basicamente, a clara), leite e derivados contêm proteínas, responsáveis pela formação e renovação da pele, dos músculos e dos ossos. São esses tipos de alimentos que formam também os hormônios, as enzimas e os anticorpos. Atletas e esportistas precisam do dobro da quantidade de proteínas de um indivíduo sedentário. Então, são necessárias em média cerca de 130 g diárias para quem pesa 70 kg e faz musculação e cerca de 70 g diárias para quem não pratica atividade física.

Os alimentos desse grupo trabalham duro, sempre ajudando o organismo a se renovar e fortalecer.

No grupo dos construtores estão os alimentos ricos em proteínas, que encontramos na carne, no peixe, no frango, na clara dos ovos, e também no leite e seus derivados, como queijo e iogurte.

Ainda existem as proteínas de origem vegetal. Como o feijão, a lentilha e grão-de-bico, a soja, e frutas oleaginosas (que contêm óleo) como amendoim, nozes, amêndoa e castanha-do-pará.

As proteínas são substâncias fundamentais para o bom funcionamento do organismo, pois é a matéria básica na formação das células. Os glóbulos vermelhos do nosso sangue, por exemplo, necessitam da proteína para a sua formação. O mesmo acontece com os nossos pêlos, cabelos e unhas (e os chifres dos animais).

Uma coisa curiosa acontece com as proteínas na digestão: elas são quebradas em aminoácidos, que vão construir novas proteínas no nosso organismo. As proteínas são responsáveis pelo crescimento, pelo aumento da resistência do corpo contra as doenças e atua até na cicatrização de ferimentos.

Sugestão: use derivados do leite como coalhada ou yogurte ou coma queijo branco no café da manhã e no lanche da tarde; se você ainda come carne, inclua carne vermelha, frango ou peixe em uma das refeições diárias.

Alimentos energéticos

Foto de Falconi segurando uma abcia com canela em pau São os combustíveis do ser humano, pois têm carboidratos e gorduras, fornecendo a energia para se movimentar, trabalhar e realizar as atividades cotidianas.

Podem ser encontrados nos cereais (arroz, milho, farinha, macarrão e pão), nos vegetais feculentos (batata, mandioca e inhame), na gordura (óleo, azeite, amendoim, castanha, coco, abacate, manteiga, carne gorda e maionese) no açúcar, no mel e nos doces.

Vale a pena lembrarmos das massas e pães, ricos em carboidratos, são combustíveis eficientes para manter os músculos em funcionamento. Durante a atividade física, a reserva de carboidratos é usada como primeira fonte de energia. Assim, é importante ter um estoque disponível antes de se exercitar, para que o organismo reponha o suprimento durante a atividade física, caso o treino ultrapasse 60 minutos.

E adicionarmos alto teor de carboidratos às refeições depois da atividade física, a fim de ajudar o corpo a se recuperar do desgaste. Os carboidratos simples, que proporcionam rápido aumento de energia, são os açúcares – encontrados na rapadura, no açúcar mascavo, no mel e nas frutas. Os carboidratos complexos, que liberam energia para o organismo por um período de tempo mais prolongado, estão nos amidos.

Alimentos energéticos extras: embora tenham vitaminas, em razão do alto teor de energia, devem ser consumidos com moderação. Podem ser encontrados nos óleos e nas gorduras (manteiga, óleo vegetal e azeite de oliva).

SUGESTÃO: inclua uma fonte de alimento energético em cada refeição. Pão integral ou cereal no café da manhã e no lanche da tarde; arroz integral, massa ou batata no almoço e no jantar.

Uma inimiga e dois amigos

Você não enxerga essas substâncias, mas elas estão presentes, para o bem ou para o mal, nos vegetais e em muitos produtos industrializados à venda nos supermercados. Fique atento.

Gorduras trans: a vilã da vez ganhou o apelido de trans, que vem de transversa. É um tipo de gordura altamente prejudicial, porque adere às paredes das artérias formando placas de gordura, que levam ao infarto e ao acidente vascular cerebral (derrame). Estão presentes em sorvetes cremosos, margarinas, tortas à base de massa podre, bolos prontos, salgadinhos tipo snacks e biscoitos. As redes de fast food vêm adotando o óleo de palma, um substituto da gordura hidrogenada, capaz de manter o aspecto crocante dos alimentos fritos sem aumentar o colesterol nem invadir o coração.

Elementos fitoquímicos: são substâncias presentes em frutas, folhas e legumes (fito, em grego, quer dizer planta) que não são consideradas nutrientes, como as vitaminas, mas que atuam como antioxidantes ou como "braços direitos" do sistema imunológico, ajudando a prevenir doenças. Principais fitoquímicos: compostos sulfurosos, encontrados em vegetais como, o alho, cebola, alho-porró e cebolinha; isoflavona, presente na soja.

Antioxidantes: estão em alimentos que contêm vitaminas C (frutas cítricas) e nos alimentos que contêm vitamina E (óleos vegetais) e betacaroteno (frutas e legumes amarelo-alaranjados). Os antioxidantes neutralizam ou amenizam a ação dos radicais livres, que podem lesar as células e provocar de envelhecimento a câncer.

Rótulos – leia atenciosamente

Os produtos trazem na embalagem informações importantes para a sua saúde. Aprenda a decifrá-las.

Valor energético: proveniente de carboidratos, proteínas e gorduras. No rótulo, aparece como kcal (quilocalorias) ou kJ (quilojoules). Dão uma pista de quanto você pode – ou deve – consumir. Uma porção de 30 g (quatro unidades) de biscoito, por exemplo, pode conter 153 kcal (igual a 643kJ).

Gorduras totais: referem-se à soma das gorduras de origem animal e vegetal encontradas no produto. Quanto maior a quantidade de gramas, pior para você.

Gorduras saturadas: altos índices de %VD (percentual de valores diários) apontam que aquele alimento tem grandes quantidades de gordura saturada.

Gorduras trans: a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) diz que não se deve consumir mais que 2 g desse tipo de gordura por dia.

Fibra alimentar: produtos com altos índices de %VD de fibra alimentar são os mais benéficos.

Sódio: prefira os alimentos que têm baixos índices de %VD em sódio.

Estas são as nossas considerações para este mês de novembro. Com sinceros votos de muita paz a tudo e a todos, ficamos à disposição para responder e esclarecer pontos relacionados a este tema. Quer saber mais? Entre em contato conosco, pois as informações são muitas, mas o espaço do artigo é limitado. Aguardamos seu e-mail.

Encerramos com saudações holísticas!


Armando Falconi Filho
é terapeuta holístico, escritor, consultor, conferencista e advogado
Saiba mais clicando aqui.

Sobre quais temas (da área de terapia holística) você quer ler nesta seção? O terapeuta Armando Falconi aguarda suas sugestões no e-mail viver_serholistico@acessa.com

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.