Raves de Juiz de Fora atraem público das capitais
De Belo Horizonte e do Rio de Janeiro, turistas vêm conhecer e
aproveitar características únicas dessas festas de Juiz de Fora



Thiago Werneck
Colaboração*
07/08/07

Excursões saem do Rio e de Belo Horizonte para Juiz de Fora a caminho das raves da cidade que ficam cada vez mais conhecidas em outros locais. O contato com a natureza e a união do público são apontados como o diferencial dessas festas que acontecem por aqui. Incentivados por essas qualidades, os amantes do trance e música eletrônica pegam estrada rumo a Juiz de Fora.

O primeiro atrativo são os locais. Enquanto muitas raves das capitais acontecem em casas de festas e locais fechados, em Juiz de Fora a primeira opção são os sítios e granjas. Nesse fim de semana foram 24 horas de festa em um lugar afastado do centro da cidade. Um dos organizadores do evento, Bruno Azevedo, explica que essa é uma das características da rave raiz. "Hoje a maioria das festas está muito industrializada. Aqui temos o contato primordial com a natureza", destaca.

Foto
do pessoal na rave É por causa dessa característica que Giselle Verly saiu de Petrópolis para acompanhar a rave em Juiz de Fora. "Tem árvores, grama por todo chão, local todo aberto. Isso cria um clima que conta muito para a festa. É por isso que tenho disposição de viajar", explica.

As raves em locais mais afastados também contam para as pessoas que querem curtir o trance e a música eletrônica. "Quando é em local central atrai muita gente que não tem nada a ver com rave. Um pessoal curioso e que acaba saindo um pouco desse clima. Por isso a festa ganha muito sendo em local mais afastado", avalia Giselle.

Outro exemplo semelhante é o carioca, Diego Ramos Lima (foto acima), saiu de casa com os amigos só para aproveitar a rave em JF. "Tem festa desse tipo no Rio também, mas a fama das festas daqui já é grande por lá. Tem uma repercussão muito boa. Como não havia nada de diferente por lá nesse fim de semana, viemos para Juiz de Fora e realmente está ótima a festa", relata.

A amizade e a paz das raves na cidade, também são um atrativo a parte. Para Sarah Quinetti, de Belo Horizonte, vale a pena viajar mais de 200 km para aproveitar esse tipo de festa em Juiz de Fora. "O pessoal aqui é mais frenético. Adoro a música e esse tipo de festa. Curto muito esse clima de amizade do público das raves daqui", ressalta.

Público na Rave Goa Trance Público na Rave Goa Trance Público na Rave Goa Trance

Essa relação de amigos na raves é ressaltada por Bruno. "O pessoal que comparece é sempre muito unido e cria um clima muito legal. Junto com o aspecto positivo da natureza, a gente retoma o projeto de rave raiz e sai um pouco dessa indústria cultural que tem tomado conta das festas de hoje em dia", observa. Sarah concorda. "Venho direto nas raves aqui e nunca vi uma briga. O pessoal é todo da paz, acho isso fabuloso", reforça.

E para agradar o público fiel de raves ainda mais, atrações internacionais são sempre destaque. "Como todas as festas mais procuradas, também trouxemos dois DJ's de Israel e outro da Europa, além de grandes nomes aqui do Brasil. Sem dúvida isso chama muito o público que gosta do trance", argumenta Bruno.

*Thiago Werneck é estudante de jornalismo da UFJF


Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.