Domingo, 9 de novembro de 2014, atualizada às 10h

Pelos ares: Aeroclube de Juiz de Fora oferece cursos e voos panorâmicos

Eduardo Maia
Repórter
Aeroclube

Seja para desfrutar de um voo panorâmico sobre a cidade de Juiz de Fora, seja para se capacitar como um piloto privado ou comercial, o Aeroclube de Juiz de Fora consolida-se como uma opção aos que desejam experimentar o prazer de voar.

Fundado em 1938, mantém tradicionalmente os cursos de formação de pilotos e instrutores, utilizando a pista do Aeroporto Francisco Álvares de Assis (Serrinha). Atualmente, o aeroclube funciona de segunda a sexta-feira e aos finais de semana, operado por instrutores capacitados, com mais de 500 horas de vôo.

Os voos panorâmicos são abertos ao público e realizados todos os dias da semana, principalmente aos sábados e domingos. Segundo o diretor presidente do Aeroclube de Juiz de Fora, Douglas Messias Fedóceo, o preço individual é de R$ 135 para um passeio que dura cerca de 25 minutos. A capacidade de cada aeronave é de cinco pessoas.

Os passeios são realizados à bordo de um monomotor Cessna 210. "É um avião bem confortável, bastante seguro e durante o passeio, sobrevoa toda a cidade de Juiz de Fora. Há também outras opções que podem ser negociadas como de sobrevoar cidades do entorno, como Chácara, Ibitipoca", explica. Os voos podem ser programados entre 9 às 17h e são destinados a pessoas de qualquer faixa etária.

Cursos de piloto

Tradicional no segmento de aeroplanos no Brasil, o Aeroclube de Juiz de Fora oferece opções de cursos de pilotagem, com um nível de aprovação de mais de 90%. São oferecidos cursos de piloto privado (PP), piloto comercial (PC), instrutor de voo (INVA) e multimotores, destinados à aviação comercial. Por ano, são formados cerca de 60 alunos nos segmentos oferecidos - agrícola, comercial, esportivo, entre outros. 

"Oferecemos esses cursos ao público a partir dos 18 anos, com segundo grau completo. É necessário passar por um exame rigoroso chamado CENAL, realizado no hospital da aeronáutica no Rio de Janeiro. É preciso fazer também uma prova teórica na ANAC no Rio e, depois disso, ele apto a voar", explica. Os aviões disponíveis para as aulas são o Paulistinha NE56 e os Cessna 150 e 152.

Passadas as fases de exame e testes, o interessado em se tornar piloto pode fazer o curso de primeira carteira, com 40 horas de aula e receber a primeira habilitação. Depois disso, o aluno pode fazer o curso de piloto comercial (PC). "Ele precisa ter 110 horas de vôo para tirar a segunda carteira e daí já pode trabalhar de forma remunerado. Antes de ser PC, ele não pode ser remunerado", ressalta.

Apaixonado por voos, Fedóceo afirma que a capacitação é fascinante. "Eu brinco sempre com as pessoas: só quando se voa pela primeira vez é que se vai entender porque um passarinho canta. Fazer um avião sair do chão é muito fácil. Existe muito mistério em torno disso e a gente desmistifica isso. Voar é muito gostoso", conclui.

As informações sobre aulas teóricas e práticas dos cursos oferecidos no Aeroclube, bem como os preços de horas de voos podem ser encontrados no site. Para mais informações, os interessados também podem entrar em contato por e-mail ou pelo telefone (32) 3233-1004.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.